Reserva Extrativista Renascer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde março de 2013).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde março de 2013)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Reserva Extrativista Renascer
Categoria VI da IUCN (Área Protegida de Manejo de Recursos)
Localização Pará, Brasil
Dados
Área 211.741 hectares
Criação 05 de junho de 2009
Gestão ICMBio
Coordenadas 1° 59' 23.069" S 53° 29' 54.353" O

A Reserva Extrativista Renascer é uma unidade de conservação federal do Brasil categorizada como reserva extrativista e criada por Decreto Presidencial em 05 de junho de 2009 numa área de 211.741 hectares no município de Prainha, no estado do Pará.

Histórico[editar | editar código-fonte]

2001: Entrada dos primeiros madeireiros comerciais na região.

2002: Os conflitos entre comunidades locais e madeireiros se acirram.

9 nov. 2004: Criação da RESEX Verde para sempre. A região dos rios Guajará, Tamuataí e Uruará é tirada da área desta RESEX por pressões de parte do poder público local e estadual.

2004: Resistência de parte das comunidades ao ingresso dos madeireiros nas terras e lutas, com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Prainha, para a criação de uma outra RESEX, a Renascer.

5-6 out. 2006: Um grupo de comunitários “prende” umas balsas cheias de toras, descendo o rio Uruará. O dia seguinte, a Polícia Militar libera o transito das balsas. Toda a madeira carregada era oriunda de extração ilegal.

Nov. 2006: Conflitos entre os comunitários e a Polícia sobre o transito pelo rio da madeira ilegal. O Governo Estadual, já “de saída” decreta a criação de áreas de proteção na região da futura RESEX, para privá-la de uma porção abundante de terras e entregar-la aos madeireiros. 20 lideranças são ameaçadas de morte.

Dez. 2006: A Justiça Federal do Pará emite uma decisão liminar impedindo a criação das áreas de proteção e impõe ao IBAMA um prazo de 30 dias para a criação da RESEX Renascer.

13 dez. 2007: O Instituto Chico Mendes (criado a partir da divisão do IBAMA) realiza a Consulta Pública, último ato administrativo para a criação da RESEX.

Mai. 2008: O processo da criação da RESEX sai do Instituto Chico Mendes, para passar para a Casa Civil, onde o decreto de criação da RESEX teria que ser assinado.

8 Jun. 2009: Com extensão de 211.741,37ha, a Resex Renascer é criada. Com base no limite inicial, proposto em 2004, ficam fora da área protegida toda a faixa da várzea, mais de 200.000, na parte meridional da mesma reserva (o alvo da exploração madeireira) e algumas fazendas no meio da área.

População[editar | editar código-fonte]

No território da Resex Renascer se encontram 14 comunidades, que geralmente são discriminadas pelos três principais rios que delimitam e cortam a Resex Renascer: ao longo do rio Guajará (limite oriental) se encontram as comunidades de Monte Carmelo, Terra Preta II, Irí e Ipitanga; ao longo do rio Tamuataí se encontram as comunidades de Santo Antônio, Espírito Santo, Andirobal e Santíssima Trindade; ao longo do rio Uruará (limite ocidental) as comunidades de Floresta, São Raimundo, Beira Rio, Santa Cruz, Terra Preta, Mato Grosso. Fazem parte do entorno da Resex várias comunidades e localidades de varzea, cujas principais comunidades são: Vira Sebo, Acar-açu e Itanduba; as comunidades de várzea e as outras, chamadas de terra firme, mantém entre elas estreitos laços de ordem familiar, social e econômico.

O número estimado de famílias no território da Resex Renascer é de 281, totalizando uma população de 1.405 pessoas (estimativas de 2008).

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Unidades de Conservação da Natureza é um esboço relacionado ao Projeto Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.