Parque Nacional da Amazônia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Parque Nacional da Amazônia
Categoria II da IUCN (Parque Nacional)
Localização
País  Brasil
Estado Pará Pará
Mesorregião Sudoeste Paraense
Microrregião Itaituba
Localidade mais próxima Aveiro, Itaituba
Dados
Área 12 de fevereiro de 1974 (42 anos)
Criação &0000000001084895.6200001 084 895,62 hectares (10 849 0 km2)
Visitantes 1 111 (em 2011[1] )
Gestão ICMBio
Coordenadas 4° 35' 59" S 56° 50' 48" O
Parque Nacional da Amazônia está localizado em: Brasil
Parque Nacional da Amazônia

O Parque Nacional da Amazônia situa-se no município de Itaituba, na região Sudoeste do estado do Pará, Brasil. Possui uma área de 945.851,00 (ha). O perímetro do parque é de 508.366,413 metros. É administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio.

Objetivos[editar | editar código-fonte]

Preservar vários ecossistemas amazônicos naturais, com a finalidade científica, educativa e recreativa e social.

Atrativos[editar | editar código-fonte]

A melhor época para visitação ao Parque Nacional da Amazônia é entre os meses de julho e dezembro, quando as chuvas diminuem. Durante a visitação é possível observar uma grande diversidade de espécies animais e vegetais.

Os próprios habitantes do local constroem trilhas, no relevo suavemente ondulado, que levam a cachoeiras, praias e serras do Rio Tapajós. O turista também passa por outras cidades, no passeio pelo rio, que inclui aventura entre corredeiras, afloramentos, praias, bancos de areia e igarapés.

Caverna no Parque

Partindo da cidade de Itaituba na transamazônica (BR-230) sentido a cidade de Jacareacanga no km 54 encontra a primeira Base de vigilância a beira do Igarapé Tracoá, onde a base recebe o mesmo nome. Nesta base existe apenas a casa dos vigilantes onde o visitante pode apenas fazer acampamento, não possuindo outras estruturas de apoio. Percorrendo mais 12km no interior no Parque encontrasse a segunda Base de nome Uruá, esta possui estrutura para abrigar os visitantes, onde a casa para visitantes, com dois quartos, sala, cozinha e banheiro, contendo algumas beliches com colchões, utensílios para cozinha e fogão. No parque não possui rede elétrica e funciona apenas com motor e gerador que é ligados em algumas horas do dia.Na base Uruá também um mirante com uma bela vista do rio Tapajós e suas corredeiras, e este também pode ser utilizado como redário. A base também oferece espaços para camping.

O Parque Nacional da Amazônia possui como atrativo a oportunidade de estar em contato com a natureza, fazer a visualização de pássaros e animais silvestres. Além de fazer trilhas pela floresta ainda preservada, tomar banho nas praias de areia e de águas esverdeadas do rio Tapajós. Para se visitar o Parque é necessário a retirada da Guia de visitação no Escritório do ICMBio na cidade de Itaituba, no momento não há cobrança para visitação.

O visitante tem três maneiras de chegar a Itaituba. De avião, onde a empresa Azul faz voos diariamente, via fluvial, pelo Rio Tapajós partindo de Santarém até Itaituba. Ou rodoviária indo pela Transamazônica (BR - 230).

Na cidade de Santarém acontece o encontro entre os rios Tapajós e Amazonas. Santarém dispõe de inúmeras atrações, destacando-se a magnífica praia de Alter do Chão. Ao longo da BR 163 (asfaltada pelo Exército até o km 160 e sendo continuado pelo 8º BEC até Rurópolis), pode-se encontrar, no km 43, a cidade de Belterra, construída por americanos ligados ao Grupo Ford para exploração de seringueiras, na época da 2ª Guerra Mundial. A cidade mantém até hoje as características das congêneres dos EUA, sendo preocupação dos moradores e da Prefeitura, manter as construções em madeira, os jardins, as calçadas com grama, a igreja, o sino da liberdade e os hidrantes de incêndio, sempre pintados e limpos.

Antecedentes legais[editar | editar código-fonte]

A criação desta unidade surgiu através do Programa de Integração Nacional iniciado pelo Governo em 1970. Em 1971 uma área de 6 milhões de hectares, designada "Polígono de Altamira", foi desapropriada pelo INCRA. O Grupo de Operações da Amazônia (GOA) propôs que um milhão de hectares do Polígono deveria ser reservado sob a categoria de Parque Nacional.

Aspectos culturais e históricos[editar | editar código-fonte]

A Floresta Amazônica é e sempre foi um dos grandes patrimônios do Brasil. A grandiosidade da floresta Amazônica, com uma quantidade infindável de espécies animais e vegetais fez com que ela fosse conhecida como a região mais biodiversa do planeta. Para preservar a região, freqüente vítima crimes ambientais, foi criado em 1974, o Parque Nacional da Amazônia.

Aspectos físicos e biológicos[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima é quente úmido, com um a dois meses secos. A temperatura média anual é de 26 a 28 °C, com a máxima de 1000 a 4000°C e a mínima de 1000- a 4000-°C.

Relevo[editar | editar código-fonte]

Planalto

Vegetação[editar | editar código-fonte]

Há Predominância da Floresta Tropical Úmida, com grande diversidade de espécies e formas, sendo que as maiores árvores possuem a altura média de 50 metros; e, devido a luminosidade, os estratos inferiores apresentam grande número de plantas trepadeiras, musgos, líquens, orquídeas, entre outras.

Fauna[editar | editar código-fonte]

A fauna do parque, é na sua maioria, composta por animais selvagens, como macacos e onças.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]