Revolução Rosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Revolução Rosa
Gamarjveba61.JPG
Manifestações em frente ao Parlamento da Geórgia, em Tbilisi.
Período Novembro de 2003
Local  Geórgia
Resultado
Causas
  • Má gestão econômica
  • Fraude eleitoral
  • Corrupção
  • Pobreza
Tomada de posse de Saakashvili como Presidente da Geórgia

A Revolução Rosa ou Revolução das Rosas[1][2] foi um movimento pacífico e popular ocorrido na Geórgia em 2003 que retirou do poder o presidente do país, Eduard Shevardnadze.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

A Geórgia era governada por Eduard Shevardnadze desde 1992 (como Presidente da Geórgia desde 1995). Seu governo - e sua própria família - se viam cada vez mais associados com a crescente corrupção que limitava o crescimento econômico do país. O país continuava muito pobre para os padrões europeus. Duas regiões separatistas apoiadas pelos russos (Abecásia e Ossétia do Sul) mantinham-se fora do controle estatal de Tbilisi, e a república autônoma de Adjara era governada por um líder simpatizante do separatista Aslan Abashide.

A crise política e econômica estava próximo de alcançar seu ápice momentos antes das eleições parlamentares realizadas em 2 de novembro de 2003. A aliança de Shevardnadze "Para uma Nova Geórgia" e de Abashidze "União pelo Renascimento Democrático" saíram derrotadas pelos partidos de oposição: o "Movimento de Unidade Nacional" de Mikheil Saakashvili e "Democratas-Burjanadze" liderados pela porta-voz do parlamento Nino Burjanadze e por Zurab Shvania.

Em 22 de novembro de 2003, os partidários de Saakashvili, levando rosas, interromperam uma sessão do parlamento e levaram o presidente Shevardnadze a deixar o prédio, proclamando em seguida estado de emergência, mas o exército não o obedeceu.

Em 23 de novembro, após uma reunião com os líderes da oposição Saakashvili e Zurab Shvania, Shevardnadze anunciou sua renúncia. Nino Bourdjanadze, presidente do parlamento e membro da oposição, tornou-se a presidente interina.

A corte suprema anulou os resultados das eleições parlamentares, tendo antecipado a eleição presidencial para 4 de janeiro de 2004, da qual saiu vitorioso Mikheil Saakashvili.

Referências

  1. «Líder da "Revolução de Rosas" vence presidencias na Geórgia». Consultado em 13 de setembro de 2015 
  2. «Revolução de Rosas trouxe apenas miséria à Geórgia». br.sputniknews.com. Consultado em 13 de setembro de 2015