Rodrigo Scarpa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rodrigo Scarpa
Rodrigo Scarpa na Band em 2013
Nome completo Rodrigo Scarpa de Castro
Nascimento 2 de outubro de 1980 (40 anos)
Itanhandu, MG
Nacionalidade brasileiro
Estatura 1.76 m
Cônjuge Gabriela Baptista (2014-presente)
Ocupação Apresentador, humorista, empresário, radialista e repórter
Principais trabalhos Pânico na Tv e Pânico na Band

Rodrigo Scarpa de Castro (Itanhandu, 2 de outubro de 1980) é um apresentador, humorista, empresário, radialista e repórter brasileiro, mais conhecido por seu apelido Repórter Vesgo dos programas Pânico na TV e Pânico na Band.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em uma pequena cidade de Minas Gerais chamada Itanhandu, logo depois veio a São Paulo, em busca de melhores oportunidades de trabalho. Logo em sua cidade local começou sua carreira artística em emissora de rádio, no qual apresentava um programa chamado "Manicômio".[1][2] Formado em Rádio e TV pela Universidade Metodista de São Paulo, começou sua carreira artística trabalhando como locutor em Itanhandu - MG,[2] além de produções de filmes, dublagens e reportagens, já com 13 anos de idade. Foi em 1994 que Rodrigo Scarpa começou seu contato com a rádio Jovem Pan. Como um simples ouvinte, ele passou a ligar todos os dias para o programa comandado por Emílio Surita e aproveitava o espaço para fazer humor.[3] Em 1999 foi contratado como estagiário[4] e depois produtor e roteirista da Rádio Jovem Pan, trabalhando nos programas de Luciano Huck, Adriane Galisteu, Jairo Bouer, Sabrina Parlatore, Pânico no Rádio e Marcos Mion. Com Mion fez o programa Filé Mion na Rádio Jovem Pan em 2001 e em 2002 o programa Descontrole na TV Bandeirantes. Na emissora também trabalhou com Otávio Mesquita e Sabrina Parlatore. Há 14 anos faz parte do Programa Pânico como humorista, repórter, apresentador e criação em sua versão televisiva, sendo 8 anos na Rede TV (Pânico na TV) e 4 anos na TV Bandeirantes a qual retornou em 2012, 10 anos depois de seu primeiro contato com a TV. Rodrigo Scarpa já participou no cinema da Dublagem de Asterix no filme Asterix e os Vikings[5] e do filme A Terra Encantada de Gaya, Scarpa também é empresário e é sócio em uma casa noturna em SP. Atualmente é casado com Gabriela Baptista [6], estudante de engenharia. Rodrigo é mais conhecido pelo seu personagem "Repórter Vesgo", o qual a 12 anos atua no Pânico na Band. Rodrigo também se dedica as suas redes sociais, todas com o nome "Rodrigo Vesgo" . Rodrigo possui mais de 5,9 milhões de seguidores no Twitter,[7] mais de 4,5 milhões de curtidas no Facebook [8] e mais de 1,2 milhões de seguidores no Instagram. Suas redes sociais o fizeram ficar entre as 50 personalidades brasileiras mais influentes das redes sociais.[9]

Repórter Vesgo[editar | editar código-fonte]

Vesgo é um repórter caracterizado por sua forma inusitada e espontânea de abordar artistas e políticos. As perguntas desconcertantes e o jeito irreverente já renderam matérias positivas na revista VEJA (Vesgo faz Rir no Pânico) e críticas positivas no jornal o Globo. Com o personagem Vesgo, Rodrigo já ganhou prêmios como Troféu Imprensa do SBT,[10] Troféu APCA e Troféu Jovem Brasileiro. Vesgo tem em mais de uma década no ar vários quadros de sucesso como Sandálias da Humildade, Vesgo e Silvio, Dança do Siri, entrevistas com celebridades internacionais, cobertura de 3 Copas do Mundo (Alemanha, África do Sul e Brasil), praias, festas com celebridades e eventos curiosos pelo mundo, como a Tomatina e a Corrida do Queijo. Atualmente tem se dedicado como repórter em coberturas factuais como festas de famosos, entrevistas internacionais como Jim Carrey e Rowan Atkinson e em dezembro de 2014 no velório de Roberto Bolaños,[11] coberturas políticas e entrevistas exclusivas.[12]

Com o surgimento de outros programas do gênero em 2008, como o CQC, Repórter Vesgo foi apontado pela mídia como o precursor do "Jornalismo Deboche" com celebridades. Repórter Vesgo é capa do livro Almanaque da TV (ed. Ediouro) ao lado de Tarcísio Meira e Silvio Santos. O Pânico ainda é líder de audiência entre os programas da Band e um dos líderes em faturamento na emissora. Nascido em Itanhandu - MG, Formado em Rádio e TV pela Universidade Metodista de São Paulo. Logo em sua cidade local começou sua carreira artística em emissora de rádio, no qual apresentava um programa chamado "Manicômio".[1][2]

Carreira artística[editar | editar código-fonte]

Scarpa e Wellington Muniz, caracterizado como Sílvio Santos.

1993 — 1999: Primeiros contatos com Rádio e TV[editar | editar código-fonte]

Em 1993 , ainda adolescente com 13 anos de idade, Rodrigo teve sua primeira experiência com uma câmera de amigos. Rodrigo Scarpa já fazia reportagens e produções audiovisuais em sua cidade como filmes, dublagens e reportagens. Em 1993 começou a receber fitas de amigos de São Paulo de programas de rádio como Djalma Jorge Show (Tutinha) e Boi na Linha (Trotes de Emílio Surita). Em 1994, começou a ouvir o Programa Pânico na Rádio, o que o motivou a criar produções de áudio para apresentar como ouvinte do programa e com a inspiração do Pânico tornou-se locutor e apresentador de um humorístico, o programa "Manicômio" na Rádio 90 FM, em Itanhandu. Ainda como estudante participou de programas como H de Luciano Huck na TV Bandeirantes. Com amigos, Scarpa criou um website com o título "Botecão de Itanhandu", onde publicava músicas, textos engraçados, fotos com montagens e paródias dos personagens da sua cidade.[13] Curiosidade ou ironia do destino, o mesmo homem que interpretava Djalma Jorge (Tutinha, dono da Jovem Pan) e Emílio Surita (Boi na Linha) viriam a se tornar seus chefes e a TV Bandeirantes e a Jovem Pan, suas emissoras de trabalho.[14]

1994 — 1998: Primeiros trabalhos [15][16][editar | editar código-fonte]

Em 1994, começou a telefonar constantemente para a rádio Jovem Pan, para interagir com os apresentadores, contando suas piadas, passando via telefone quadros de humor, paródias e mostrando-se um ouvinte diferenciado, chamando a atenção dos profissionais da emissora, que eram: Emílio Surita, Bola, Marcelo Batista, Maestro Billy. Tornou-se um ouvinte famoso no programa Pânico por sempre se diferenciar dos outros em suas criações. Na época estava com apenas 15 anos, quando conheceu Emílio, com o qual foi o primeiro a construir uma amizade.[2] Rodrigo era um ouvinte diferenciado, já que aproveitava seu espaço para contar piadas, mostrar trotes que fazia em sua cidade, produções caseiras de áudio e edições de trilhas e vinhetas com seu nome, brincando como se já estivesse em uma rádio profissional. Rodrigo chamou a atenção de Emílio Surita, que o conheceu pela primeira vez em 1995, numa visita a São Paulo na Radio Jovem Pan, quando ainda tinha 15 anos de idade. Na ocasião Bola o conhecera pessoalmente e o apelidou de Vesgo. Rodrigo manteve contato com o apresentador Emílio Surita até 1998 quando ainda era ouvinte do Programa.

1999 — 2001: Rádio Jovem Pan de Estagiário a produtor e Roteirista [16][editar | editar código-fonte]

Em 1999, Rodrigo mudou-se para São Paulo, onde fez o curso de Rádio e TV na Universidade Metodista de São Paulo. Por ironia do destino começou sua carreira como estagiário de promoção na Rádio Jovem Pan. Como estagiário, colava adesivos nas ruas e participava de apresentações promocionais da emissora.

Em 2000 passou a trabalhar como estagiário de produção, trabalhando juntamente com Márvio Lúcio, futuro Carioca em criações e roteiros de humor para a emissora.[2] Trabalhou também com Luciano Huck e Adriane Galisteu no programa Torpedo da Pan --. Entre outras produções e roteiros de humor, destacou-se a música Show do Milhão, mixagem de frases feitas do apresentador Sílvio Santos no programa televisivo homônimo, em ritmo eletrônico, no qual Rodrigo Scarpa interagia com Sílvio Santos. Executada inicialmente no Rio de Janeiro, acabou por ser a canção mais pedida do Brasil pela Jovem Pan.[17] Rodrigo Scarpa também trabalhou para Tina Roma, e teve suas primeiras experiencias como repórter na cobertura do Rock In Rio 2001 e em reportagens para o Planeta DJ do locutor Banana e do programa Zíper da Pan com Jairo Bouer.[14]

Em 2001, tornando-se cada vez mais conhecido na emissora, Scarpa foi promovido a produtor e roteirista da Pan e convidado por Surita a criar o roteiro do programa radiofônico Filé Mion apresentado por Marcos Mion, por meio do qual veio a conhecer o então VJ da MTV.

2001 — 2002: Primeira Experiência na TV - Programa Descontrole - TV Bandeirantes [18][editar | editar código-fonte]

Em 2002, Quando Marcos Mion saiu da MTV para começar um programa novo na Rede Bandeirantes, Descontrole, convidou Rodrigo Scarpa para ser seu produtor e roteirista. Scarpa finalmente deixou a Jovem Pan e tornou-se ajudante de palco do programa de Mion, fantasiado como a personagem Corvo.[19][20][21] Com trejeitos peculiares, a personagem de Scarpa ganhou espaço no programa até conseguir estrear um quadro próprio, o Corvo Repórter, primeira experiência de Rodrigo Scarpa como repórter na TV aberta. Assim atuou durante um ano e meio, acumulando experiência como repórter de rua e de externas. Participou também do projeto de Carnaval Band Folia, no qual era repórter.

2003 — 2011: Rede TV! - Pânico na TV[editar | editar código-fonte]

Em 2003, Ao sair da Rede Bandeirantes, Scarpa retomou seu contato com Emílio Surita, que eventualmente concedeu-lhe espaço no então recém-lançado Pânico na TV, da RedeTV!. Rodrigo estreou junto com Panico na Tv, em 28 de setembro de 2003.[22] Rodrigo inicialmente foi contratado como produtor da RedeTV!, onde editava e produzia quadros como a Hora da Morte. Paralelo as criações de ideias, roteiros e produções, Rodrigo aparecia frente as câmeras como o personagem Repórter Estagiário. O papel era inicialmente o de um repórter sério que entrevistava famílias telespectadoras do programa ao vivo. Scarpa surpreendeu em sua primeira entrada ao vivo na estreia do programa, ao lamber o rosto da entrevistada. Aos poucos Rodrigo foi surpreendendo a equipe e os telespectadores com suas abordagens fora do padrão de um repórter convencional, como dar um beijo de língua na cantora Roberta Miranda e fazer perguntas desconcertantes para pseudo-celebridades. Com o tempo, começou a criar novos sketches, como exigir selinhos das atrizes que entrevistava, surgia então, o Repórter Vesgo.[carece de fontes?]

2003 - Vesgo e Silvio[editar | editar código-fonte]

Rodrigo estreou junto com Panico na TV, em 28 de setembro de 2003.[23] Rodrigo inicialmente foi contratado como produtor da RedeTV!, onde editava e produzia quadros como a Hora da Morte. Paralelo as criações de ideias, roteiros e produções, Rodrigo aparecia frente as câmeras como o personagem Repórter Estagiário. O papel era inicialmente o de um repórter sério que entrevistava famílias telespectadoras do programa ao vivo. Scarpa surpreendeu em sua primeira entrada ao vivo na estreia do programa, ao lamber o rosto da entrevistada. Aos poucos Rodrigo foi surpreendendo a equipe e os telespectadores com suas abordagens fora do padrão de um repórter convencional, como dar um beijo de língua na cantora Roberta Miranda e fazer perguntas desconcertantes para pseudo-celebridades. Com o tempo, começou a criar novos sketches, como exigir selinhos das atrizes que entrevistava, surgia então, o Repórter Vesgo.[carece de fontes?]

Rodrigo Scarpa Logo se uniu à personagem Sílvio Santos, interpretada pelo humorista Wellington Muniz, mais conhecido como Ceará.[24] Juntos, começaram a invadir festas para as quais não eram convidados, importunando celebridades, pseudocelebridades e anônimos com perguntas e atitudes politicamente incorretas. O sucesso da dupla foi tão grande que logo se tornaram a principal atração do Pânico na TV, não raramente surgindo boatos de sua desvinculação de Surita para seguirem carreira própria.Convites de outras emissoras valorizaram o passe da dupla, que em 2004, embalados pelo sucesso, fizeram campanhas publicitarias como Vivo e Cepacol. O estouro do programa rendeu prêmios como o Troféu APCA (associação Paulista dos Críticos de Arte), vários prêmios de Revelação e o Troféu Imprensa de Sílvio Santos como melhor programa de humor de 2004, 2005, 2006 e 2007, além de inúmeras capas de revistas e entrevistas. Nem os políticos foram poupados das perguntas de Vesgo. Ele já entregou galochas à então prefeita de São Paulo, Marta Suplicy — referindo-se à ineficácia das obras municipais contra enchentes --, beijou a careca de José Serra, já em seu mandato como prefeito, entregou o troféu "Motosserra de Ouro" (contra o desmatamento) ao governador do Mato Groso Blairo Maggi e perguntou a Paulo Maluf a senha de suas contas bancárias fantasmas na Suíça. Vesgo e Silvio ficaram 6 anos juntos em diversas matérias, deram um tempo em 2010 e em 2014 voltaram a gravar novamente. Com a saída de Wellington Muniz do humorístico, a dupla foi desfeita novamente.[25]

Fim do Pânico e Empresa[editar | editar código-fonte]

Com o fim do programa pânico em dezembro de 2017, [26]saiu da televisão e decidiu abrir um negócio. Rodrigo para complementar a renda, resolveu abrir uma loja especializada em Tapiocas, primeiramente no aeroporto de Congonhas.[27] Depois 2019, foi para Boca Raton nos EUA, para além de ampliar o seu negócio, se especialiazar ainda mais no ramo do empreendimento.[28]

Dublador[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2006 Rodrigo Scarpa participou das dublagens dos filmes A Terra Encantada de Gaya, como o personagem Zeck, e em setembro de 2006 da dublagem de Asterix e os Vikings, como o personagem Asterix.[20][21]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Em tom de brincadeira, os colegas do Pânico dizem que Scarpa já participou da TV Colosso dentro da fantasia da cachorra Priscila.
  • Rodrigo já foi chamado para trabalhar na Globo, no programa Vídeo Show, em 2004, mas recusou, preferindo ficar no Pânico na TV. Outros convites foram feitos, como o do SBT e da Rede Record recentemente, que vem tentando desfalcar o elenco do Pânico.
  • Ficou conhecido nos EUA como "Dude in a Pink Wig" , traduzindo, "Cara numa peruca rosa". Por causa da Perseguição à Britney Spears com uma peruca cor de rosa, a fim de lhe entregar um presente misterioso.
  • Rodrigo Scarpa é capa do livro Almanaque da TV, ao lado de Tarcísio Meira e Silvio Santos
  • Rodrigo Scarpa já participou do programa H com Luciano Huck no quadro da Depilação de Tiazinha na TV Bandeirantes em 1998
  • Rodrigo Scarpa já participou na época de faculdade do Programa Livre do SBT em 1999.
  • Rodrigo Scarpa já gravou um comercial da Nokia ao lado de Danilo Gentilli, e da Vivo ao lado de personalidades como Carolina Dieckmann e Henri Castelli.
  • Foi Eduardo Sterblich quem chamou Rodrigo Scarpa para uma festa em que conheceu Gabriela Baptista no Rio de Janeiro, atual esposa de Rodrigo.
  • Vesgo casou-se em novembro de 2014 no espaço Villa Lobos em São Paulo, em uma cerimônia para 500 convidados, entre amigos, família e famosos e show da Banda Jota Quest.
  • [29]
  • Rodrigo Scarpa foi quem indicou Marcelo "Bolinha" Picon para o diretor Pedro Peixoto para trabalhar no Pânico na TV em 2004, eles trabalhara juntos no programa Descontrole, da Band.[30]
  • Antônio Nunes e Charles Henriquepédia foram descobertos por Edu Sterblich e Rodrigo Scarpa. O primeiro em uma praia em Fortaleza e o segundo em uma festa no Rio de Janeiro.
  • Rodrigo Scarpa já deu entrevista para Marília Gabriela em 2006 e Rafinha Bastos em 2014.[31][32]
  • Rodrigo Scarpa é tímido, apesar do personagem Repórter Vesgo.[31]
  • Rodrigo Scarpa tem uma fobia estranha: medo de arroz.[33]

Referências

  1. a b Bruna Silva (2 de julho de 2010). «Vesgo O Rodrigo Scarpa». SabendoTudo.net. Consultado em 4 de novembro de 2012 
  2. a b c d e «Biografia de Rodrigo para o museu da televisão brasileira». Museu da TV. Consultado em 4 de novembro de 2012. Arquivado do original em 7 de abril de 2014 
  3. «Saiba mas sobre o elenco de Pânico na Band». Panico. Consultado em 4 de novembro de 2012. Arquivado do original em 11 de novembro de 2012 
  4. http://entretenimento.band.uol.com.br/paniconaband/blog-post.asp?p=100000531222
  5. OFuxico. «Integrantes do Pânico na TV dublam Asterix e os Vikings». www.ofuxico.com.br. Consultado em 24 de julho de 2019 
  6. http://ego.globo.com/noite/noticia/2014/11/saiba-tudo-o-que-aconteceu-no-casamento-do-vesgo-em-sao-paulo.html
  7. https://twitter.com/rodrigovesgo
  8. http://www.facebook.com/rodrigovesgo
  9. http://www.baguete.com.br/noticias/20/03/2014/ifruit-r-6-mi-com-celebridades-na-web
  10. «Cópia arquivada». Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 30 de dezembro de 2014 
  11. «Cópia arquivada». Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  12. «Cópia arquivada». Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  13. «Conheça tudo sobre o humorista Rodrigo Scarpa - Repórter Vesgo». Satorahal.com.br. Consultado em 4 de novembro de 2012. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  14. a b «Cópia arquivada». Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  15. «Cópia arquivada». Consultado em 18 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de fevereiro de 2015 
  16. a b http://www.otempo.com.br/super-noticia/mineirinho-da-pá-virada-1.40079
  17. Eliotu (sábado, 24 de outubro de 2009). «BIOGRAFIA ONLINE: rodrigo scarpa reporter vesgo». BIOGRAFIA ONLINE. Consultado em 25 de julho de 2019  Verifique data em: |data= (ajuda)
  18. http://entretenimento.band.uol.com.br/paniconaband/blog-post.asp?p=100000546369
  19. «"Marcos Mion é o meu padrinho", diz o VJ Felipe Solari». Revista Quem. 8 de outubro de 2008. Consultado em 4 de novembro de 2012 
  20. a b «Marcos Mion e Rodrigo Scarpa fazem "sessão nostalgia" na madrugada». 3 de Maio de 2012. Consultado em 4 de novembro de 2012 [ligação inativa]
  21. a b «Rodrigo Scarpa relembra tempos de Corvo». Band. 30 de outubro de 2012. Consultado em 4 de novembro de 2012 [ligação inativa]
  22. «O sucesso do Programa Pânico na TV». Guia e Dicas. Consultado em 4 de novembro de 2012. Arquivado do original em 16 de outubro de 2012 
  23. «O sucesso do Programa Pânico na TV». Guia e Dicas. Consultado em 4 de novembro de 2012. Arquivado do original em 16 de outubro de 2012 
  24. «Rodrigo Scarpa e Wellington Muniz». Consultado em 4 de novembro de 2012 
  25. «Ceará deixa o 'Pânico' e deve comandar programa no Multishow». VEJA. Consultado em 31 de dezembro de 2020 
  26. «Repórter Vesgo fala sobre fim do "Pânico na Band": "Respeitar os ciclos"». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 31 de dezembro de 2020 
  27. «Vesgo, do Pânico, complementa renda vendendo tapioca». R7.com. 15 de maio de 2017. Consultado em 31 de dezembro de 2020 
  28. «Lembra dele? Rodrigo Vesgo abandona o Brasil e vende tapioca nos Estados Unidos». Revista Glamour. Consultado em 31 de dezembro de 2020 
  29. http://vejasp.abril.com.br/materia/casamento-reporter-vesgo-gabi-baptista/
  30. http://www.redetv.uol.com.br/chat/history.aspx?18,64,Panico-na-TV,Rodrigo-Scarpa
  31. a b http://www.estrelando.com.br/celebridades/nota/panico:_gabi_entrevista_vesgo_e_silvio-15411.html
  32. http://4vid.net/rodrigo-scarpa-vesgo-no-agora-tarde-com-rafinha-bastos.html
  33. https://br.toluna.com/opinions/1929104/Repórter-Vesgo-do-Panico-na-Band-tem-medo-de-arroz

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]