Século Africano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Fevereiro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O Século Africano é um termo que possui vários significados. Primeiro, o termo exprime a crença que o século XXI trará a paz, a prosperidade e o renascimento cultural de continente africano, ou é usado para chamar a atenção à necessidade de tal evolução. É usado deste modo por Thabo Mbeki, Nkosazana Dlamini-Zuma e David J. O'Reilly, entre outros. A estabilidade e a prosperidade da África do Sul democrática desde a queda do regime de apartheid muitas vezes são usadas como um exemplo que tal evolução é possível. A criação da União Africana em 2002 é vista como um dos primeiros passos nesta direção.

Em segundo lugar, o termo também é usado para visionar a cristandade antes do século XXI como predominantemente africana, que devido à população rapidamente crescente em África e a importância em declínio da igreja na Europa que causaria "uma mudança geográfica da fé" antes do século XXI. Este significado é usado por Phillip E. Johnson e Philip Jenkins, entre outros.

Ver também[editar | editar código-fonte]