Sebastião Pereira do Nascimento

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Didi
Informações pessoais
Nome completo Sebastião Pereira do Nascimento
Data de nasc. 24 de fevereiro de 1976 (45 anos)
Local de nasc. Parelhas (RN), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Altura 1,84 m
Apelido Didi, Didi Pereira, Didi Facada[1]
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição atacante
Clubes de juventude
Centenário Esporte Clube
Clubes profissionais
Anos Clubes
1997
1998
1999
1999
2000
2001
2002
2003
2003
2003
2004
2004
2005
2005–2007
2007
2008
2008–2009
2010
2012
Sport
Corinthians
Portuguesa
VfB Stuttgart
FC Aarau
Juventude
Busan I'Park
Joinville
Ituano
Bahia
Internacional
Jaguares
Tigres
San Luis
Salamanca FC
Bahia
Tampico Madero
Paysandu
Brasil de Farroupilha

Sebastião Pereira do Nascimento, mais conhecido como Didí (Parelhas, 24 de fevereiro de 1976) é um ex-futebolista brasileiro que atuava como atacante.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira como profissional no Sport em 1997 sendo goleador no leão da ilha, o que lhe rendeu uma transferência para o Corinthians em 1998. Vestindo a camisa 9 da equipe paulista o jogador teve seus bons momentos no clube, em um deles marcando um golaço sobre o São Paulo no segundo jogo da final do Campeonato paulista de 1998, entretanto o atleta não conseguiu repetir as atuações que teve no clube pernambucano e foi perdendo espaço no alvi-negro, saindo em 1999 pra Portuguesa. No Mesmo ano, Didi se transferiu para Europa para o VFB Stuttgart ficando até 2000 na Alemanha, onde com atuações razoáveis, foi contratado pelo FC Aarau da Suíça.

O centroavante voltou ao Brasil em 2001, onde foi jogar pelo Juventude de Caxias na campanha do verdão na Taça Libertadores daquele ano. Em 2002, Didi se transferiu para Coréia do Sul para a equipe do Busan I-Park, voltando em 2003 para o futebol brasileiro. Neste ano o jogador rodou por três clubes, Joinville, Ituano e Bahia. Em 2004, sob o comando de Muricy Ramalho, Didi jogou no Inter de Porto Alegre por pouco tempo, se transferindo no mesmo ano para o México para a equipe do Jaguares de Chiapas. Em sua breve estadia no Internacional, Didi foi acusado de envolver-se em uma altercação violenta com um stripper, na qual ele teria atacado o profissional com golpes de faca. Este escândalo o fez perder seu emprego na equipe de Porto Alegre, e o tornou conhecido como "Didi Facada" pela imprensa e torcedores. [2][3][4][5].De 2004 a 2008, o centroavante permaneceu no México, jogando pelas equipes do Tigres(2005), San Luis(2005-2007) e Salamanca(2007). Didi teve um breve retorno ao Brasil em 2008 para atuar no Bahia, logo no mesmo ano retornando ao futebol mexicano para jogar na equipe do Tampico Madero. Em 2010 o atleta voltou ao Brasil e foi jogar no Paysandu onde conseguiu fazer bons jogos.

Em 2012 Didí foi contratado pelo Brasil de Farroupilha para reforçar o ataque da equipe gaúcha na disputa da segunda divisão do estadual. Meses depois ele aposentou-se encerrando suas atividades como atleta para trabalhar como empresário de jogadores e observador de alguns clubes na região sul.

Ainda em 2012 o atleta voltou a sua cidade natal, (Parelhas), para inaugurar uma escolinha de futebol no bairro São Sebastião, local de origem do jogador, juntamente com o ex-goleiro Geová Azevêdo. O projeto vem dando frutos e em poucos meses de funcionamento revelou atletas que despertaram interesse em clubes do estado de São Paulo.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]