TV Farol

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
TV Farol
Fundação Quilombo
Maceió, Alagoas
Brasil
Tipo Privada
Canais Digital: 17 UHF
Virtual: 16 PSIP
Outros canais 8 (NET)
Analógico:
16 UHF (2009-2018)
Sede
Rede Rede Mundial
Rede(s) anterior(es)
Pertence a Fundação Quilombo
Proprietário João Caldas
Fundação 20 de novembro de 2009 (9 anos)
Prefixo ZYA 225
Emissoras irmãs Farol FM
Cobertura Maceió e áreas próximas
Potência 1 kW (Digital)

TV Farol é uma emissora de televisão brasileira sediada em Maceió, capital do estado de Alagoas. Opera no canal 16 (17 UHF digital) e pertence à Fundação Quilombo, de propriedade do ex-deputado alagoano João Caldas, que também mantém a Farol FM. Foi inaugurada no ano de 2009, retransmitindo a programação da TV Novo Tempo por cinco anos, até se afiliar, em 2014, à TV Cultura, com quem ficou até março de 2016. Mas devido a uma crise interna, passou a retransmitir Rede Mundial, sem gerar programação local.

História[editar | editar código-fonte]

TV Novo Tempo (2009-2014)[editar | editar código-fonte]

No dia 13 de julho de 2009, a TV Novo Tempo firmou uma parceria com a futura TV Farol, que seria inaugurada no dia 20 de novembro. Até 2013, emissora servia apenas para retransmissão da programação da rede, quando passou a investir em programação local, tanto própria, quanto independente. Mas após alguns meses, diminuiu a grade local, voltando a servir como uma mera retransmissora da Novo Tempo.[1]

TV Cultura (2014-2016)[editar | editar código-fonte]

Durante a tarde do dia 17 de dezembro de 2014, a TV Farol deixou a TV Novo Tempo, e passou a retransmitir a programação da TV Cultura. Com a mudança de afiliação, a emissora muda seu logotipo para se adequar à nova rede. Porém, no dia 29 de dezembro, volta a retransmitir a TV Novo Tempo. Segundo a própria TV Cultura, a emissora alagoana estava apenas realizando testes para a implantação de seu sinal digital. Na manhã do dia 7 de janeiro de 2015, a TV Cultura volta a ser retransmitida, em definitivo pela TV Farol.

No dia 24 de janeiro, a emissora fez sua primeira grande cobertura, transmitindo, com exclusividade, o penúltimo dia do festival "Maceió Verão 2015", que nesta edição comemorou os 200 anos da capital alagoana. O evento foi exibido ao vivo durante a programação da emissora. O último dia do festival, ocorrido no dia 31, também foi transmitido ao vivo. No mês de abril, a emissora estreou suas versões locais do Jornal da Cultura e do Roda Viva. A produção dos jornalísticos foi interrompida após três meses, devido aos atrasos nos pagamentos dos salários dos funcionários, voltando a apenas retransmitir a programação da rede.

Rede Mundial (desde 2016)[editar | editar código-fonte]

No dia 23 de março de 2016, sem aviso prévio, a TV Farol passou a retransmitir a programação da Igreja Mundial do Poder de Deus, se filiando à Rede Mundial, que realizou os primeiros pagamentos adiantados. Mas, pelo fato da emissora ser de caráter educativo, a mesma acabou obstruindo a lei. A TV Cultura, por sua vez, ficou sem ter sua programação exibida no estado até o ano de 2017, quando a TVE Alagoas voltou a ser sua afiliada após 8 anos. No dia 1 de junho de 2018, a emissora inaugura seu sinal digital pelo canal 17 UHF (16.1 virtual).

Programação[editar | editar código-fonte]

Desde sua inauguração, a emissora apenas retransmitia o sinal da TV Novo Tempo, quando, no ano de 2013, lançou sua primeira produção local, o Segurança em Debate, apresentado pelo consultor de segurança Fabio Esperon, e consistia em debates sobra a segurança geral. Também nesta primeira fase, a emissora procurava preencher seus horários locais com produções independentes, como a revista eletrônica Beira Mar, além de exibir matérias jornalísticas relacionadas a eventos evangélicos. Porém, com o passar do tempo, a TV Farol diminuiu sua grade local.

Nos primeiros dias de afiliação com a TV Cultura, no final de 2014, a emissora veiculou o boletim jornalístico Edição Experimental, apresentado por Mauro Wedekin. Em abril de 2015, a emissora anunciou o lançamento das versões locais de dois jornalísticos da Cultura: o Jornal da Cultura, exibido nas edições da manhã (apresentada por Arnaldo Ferreira) e da noite (apresentada por Mauro Wedekin), e o Roda Viva. Mas devido aos atrasos no pagamento dos funcionários, a produção dos programas só durou três meses. Após isso, a TV Farol não investiu mais na programação local, se restringindo apenas à retransmissão da programação da Cultura e posteriormente da Rede Mundial.

Referências

  1. Matheus Araújo (29 de janeiro de 2017). «A curta historia da TV Farol antiga afiliada da Cultura». Mamfonline News. Consultado em 23 de fevereiro de 2018