Temporada de furacões no Atlântico de 2002

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Temporada de furacões no Atlântico de 2002
2002 Atlantic hurricane season map.png
Primeiro sistema1 formado: Arthur - 14 de julho
Sistemas ativos1: Temporada encerrada
Total de tempestades nomeadas: 12
Total de furacões: 4
Grandes furacões (Cat. 3+): 2
Tempestade mais forte: Isidore - 205 km/h, 934 mbar
Número de sistemas1 que atingiram terras emersas: 9
Danos totais: 2,6 bilhões de dólares (valores em 2002)
ECA Total:
Fatalidades confirmadas: 23
1Inclui depressões tropicais e depressões subtropicais

A temporada de furacões no Atlântico de 2002 começou oficialmente em 1º de Junho de 2002 e terminou em 30 de Novembro de 2002. Estas datas delimitam convencionalmente o período de cada ano quando a maioria dos ciclones tropicais formam-se na bacia do Atlântico. Em contraste com furacões notáveis, tais como Isidore e Lili, a temporada foi relativamente calma, devido as condições desfavoráveis causadas por estar numa época com o El Niño ativo. Assim como acontece em anos quando o El Niño está ativo, o ciclogênese tropical fica suprimido para áreas ao sul da latitude 25°N, sendo que apenas três das doze tempestades nomeadas formaram-se ao sul daquele paralelo. A atividade tropical também encerrou-se cedo, sendo que nenhuma tempestade tropical formou-se após 21 de Setembro - uma ocorrência rara. No entanto, a temporada foi muita ativa durante o mês de Setembro e empata com a temporada de 2007 quanto ao número de tempestades nomeadas durante o mês de Setembro, com oito sistemas nomeados.

Tempestades notáveis durante a temporada de 2002 incluem o furacão Isidore,[1] o furacão Kyle e o furacão Lili.[2] Isidore fez landfall em três ocasiões; uma vez no oeste de Cuba perto de Cabo Frances, a outra na Península de Iucatã perto de Mérida, México e finalmente fazendo seu último landfall em Grand Isle, Luisiana, Estados Unidos. O furacão Kyle não foi particularmente intenso (alcançando apenas a força de um furacão de categoria 1 na escala de furacões de Saffir-Simpson), mas tornou-se o quarto ciclone tropical atlântico de mais longa duração quando o sistema movia-se erraticamente sobre o Atlântico por cerca de três semanas. Lili foi o furacão mais mortífero da temporada, sendo que 13 fatalidades foram atribuídas ao sistema.

Nomes das tempestades[editar | editar código-fonte]

Os nomes seguintes foram usados para dar nomes a tempestades que se formam em 2002 no oceano Atlântico. Esta é a mesma lista usada na temporada de 1996, exceto por Cesar, Fran e Hortense, que foram substituídos por Cristobal, Fay e Hanna.

  • Arthur
  • Bertha
  • Cristobal
  • Dolly
  • Edouard
  • Fay
  • Gustav
  • Omar (sem usar)
  • Paloma (sem usar)
  • Rene (sem usar)
  • Sally (sem usar)
  • Teddy (sem usar)
  • Vicky (sem usar)
  • Wilfred (sem usar)

Devidos aos impactos causados pelos furacões Isidore e Lili, seus nomes foram retirados e substuídos por Ike e Laura, que foram usados na temporada de 2008.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia

Referências

  1. David M. Roth. «Black Background, color-filled rainfall graphic for Isidore.». Hydrometeorological Prediction Center (em inglês). Consultado em 28 de fevereiro de 2008 
  2. Lawrence (2002). «NHC Tropical Cyclone Report». NHC (em inglês). Consultado em 22 de março de 2008 
Ícone de esboço Este artigo sobre ciclones tropicais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.