The Fast and the Furious: Tokyo Drift

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Fast and the Furious: Tokyo Drift
Velocidade Furiosa - Ligação Tóquio (PT)
Velozes e Furiosos 3: Desafio em Tóquio (BR)
Capa brasileira do DVD.
 Estados Unidos
 Japão

2006 • cor • 104 min 
Direção Justin Lin
Roteiro Chris Morgan
Elenco Lucas Black
Bow Wow
Sung Kang
Brian Tee
Jason Tobin
Nathalie Kelley
Keiko Kitagawa
Satoshi Tsumabuki
Vin Diesel
Sonny Chiba
Caroline Correa
Nikki Grifin
Leonardo Nam
Jay Rodriguez
Keiichi Tsuchiya
Zachery Ty Brian
Brian Goodman
Género Ação
Idioma Inglês
Japonês
Distribuição Universal Pictures
Lançamento Estados Unidos 16 de Junho de 2006
Portugal 22 de Junho de 2006
Brasil 11 de Agosto de 2006
Receita US$ 158.401.402
Cronologia
Último
Último
2 Fast 2 Furious
(2003)
Fast & Furious
(2009)
Próximo
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

The Fast and the Furious: Tokyo Drift (no Brasil: Velozes e Furiosos 3: Desafio em Tóquio / em Portugal: Velocidade Furiosa - Ligação Tóquio) é um filme de ação de 2006. O filme foca uma nova leva de personagens, um novo estilo de corrida, o drifting, e um novo local onde ocorrem os acontecimentos (Tóquio, Japão), diferentemente dos outros filmes.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Sean Boswell (Lucas Black) é um jovem problemático que sempre está arrumando encrenca, isso o força a mudar constantemente de cidade junto com sua mãe divorciada.

Ao tentar uma nova vida no Arizona, Sean não demora e já arruma problemas quando é pego falando com a namorada de Clay, um garoto rico do colégio (cujo o carro é um Dogde Viper SRT-10), o rapaz fica furioso e atira uma bola de baseball pelo para-brisas traseiro do carro de Sean (um Chevrolet Monte Carlo modelo 1971), Sean fica nervoso e o desafia para uma corrida, a namorada de Clay rapidamente se oferece como prêmio.

A corrida acontece num campo de obras de um suburbio da cidade; Após varias colisões e atalhos improvisados, na última curva Clay com a namorada dentro do carro, tenta dar um golpe lateral, mas erra e colide com um tubo de concreto. Sean cruza a linha de chegada, mas perde o controle do carro e capota. Os três acabam na Delegacia de Polícia com escoriações; A mãe de Sean ao chegar fica furiosa, o oficial de polícia informa que em decorrer da ficha de infrações graves de transito, Sean pode ser mandado para o reformatório.

Sua mãe decide envia-lo à Tóquio para morar com seu pai, um oficial veterano da Marinha Americana. Sean é advertido para ficar longe de confusão e é proibido de dirigir qualquer carro. Na escola conhece Twinkie, um imigrante americano que vende produtos de segunda mão na escola e pela cidade e dirige um VW Touran. Twinkie logo o apresenta ao mundo das corridas de rua de Tóquio onde logo descobre que seu estilo de corrida (Drag) não se encaixa do outro lado do mundo e que terá de aprender as técnicas do mundo do Drifting e também conhece Han que empresta seu carro para Sean correr, e este destrói todo seu carro e Han o usa para fazer algumas tarefas e assim eles se tornam amigos. No meio do filme Han é Morto num acidente de carro (que em Velozes e Fuiosos 6 é revelado que Ian Shaw dirigia o carro cinza e o matou) e Sean aposta uma corrida valendo tudo contra DK(Drift King) e vence.

Carros[editar | editar código-fonte]

Carro Cor Ano Motorista
Mitsubishi Lancer Evolution IX Vermelho 2006 Sean Boswell
Ford Mustang Fastback (motor RB26) Verde-montanha/Listras brancas 1967 Sean Boswell
Chevrolet Monte Carlo Light Steel Blue/Azul Luz Metálico 1970 Sean Boswell
Nissan Silvia S15 Azul/Laranja 2000 Sean Boswell (originalmente Han)
Nissan Fairlady 350Z Dourado 2004 Morimoto
Mazda RX-8 Azul-marinho/Azul/Preto 2006 Neela
Nissan Fairlady 350Z Preto/"Gunmetal" 2002 Takashi (D.K.)
Mazda RX-7 FD3S VeilSide Fortune Laranja/Preto 1997 Han
Nissan Fairlady 350Z Dourado/Preto 2002 Morimoto
Nissan Fairlady 350Z Azul/Prata 2003 Tea Hair
Nissan Silvia S-13 Laranja/"Cadence" 1993 Virgil
Plymouth GTX Prateado 1970 Dominic Toretto
Mazda RX-8 Vermelho 2006 Han
Mercedes-Benz Classe S Preto 1999 Kamata
Volkswagen Golf R32 2006 Reiko
Volkswagen Touran Verde 2006 Twinkie
Dodge Viper SRT10 Vermelho 2004 Clay
Subaru Impreza WRX STi 2006 Flatrun
Mazda RX-7 FD3S C-West Laranja c/ faixa preta 2000 Han

Elenco[editar | editar código-fonte]

Rumores e informações vazadas pré-lançamento[editar | editar código-fonte]

Devido à natureza do filme, fãs da franquia e de cenas de drifting vistoriaram as informações com um olhar crítico.

  • A Modified Magazine publicou em outubro de 2005 que dois dos carros do filme seriam um Veilside RX-7 e um Ford Mustang Fastback dos anos 60 com um motor modificado de Nissan Silvia S15. O artigo também mencionou possíveis aparências de outros carros feitas por várias empresas de tuning.
  • O site MovieCarZ foi uma das várias empresas de locação de carros que publicou uma lista de carros pedidos pelo filme, principalmente carros "figurantes". De acordo com o editorial da Modified Magazine, muitos dos carros protagonistas vinham de empresas de tuning e suas vagas já haviam sido preenchidas. Alguns dos carros pedidos: Toyota Corolla AE86 (uma possível homenagem ao anime Initial D); carros básicos do mundo do tuning como o Toyota Supra, Mazda RX-7, Nissan Silvia, e Honda Civic; carros luxuosos e exóticos (possivelmente o Toyota Celsior/Lexus LS400 e o Nissan Cefiro/Infiniti I30), carros destros (Right-Hand-Drive) e carros japoneses clássicos.
  • O site Streetfire.net conseguiu imagens do set de filmagem que mostram um Nissan 350Z e um Ford Mustang Fastback na cena final, na montanha.
  • Os fóruns da Nação Toyota publicaram o boato de que parte do filme havia sido rodado em uma porção do centro de Los Angeles. Um curioso havia filmado uma frota de RX-7 modificados, Nissan 350Z, Mitsubishi Lancer Evolution, e Keicars que foi reunida num quarteirão, enquanto outras cenas mostram a produção cobrindo os luminosos com caracteres japoneses.
  • A Sport Compact Car testou os carros do filme, e notou que os carros de Tokyo Drift eram mais rápidos na aceleração inicial do que os de 2 Fast 2 Furious.
  • A Hot Rod Magazine examinou os carros domésticos do filme (o Mustang equipado com um RB26, o Monte Carlo e o Dodge Viper) e notou que a maioria da cenas de ação no drifting feitas pelo Mustang foram realizadas em Mustangs equipados com motores Windsor. Eles também lamentaram a possibilidade de que haveria motores japoneses nos carros americanos.

Reação ao filme[editar | editar código-fonte]

Fãs[editar | editar código-fonte]

Ao contrário das críticas negativas, Tokyo Drift arrecadou cerca de $24 milhões na semana de abertura. Seu impacto na cultura pop não foi tão grande quanto o do primeiro filme da série, mas o sucesso foi creditado aos fãs que esperavam o ressurgimento da franquia. Tokyo Drift foi também agraciado com repercussão positiva da comunidade asiática quando comparado com o primeiro filme, já que os personagens asiáticos foram protagonizados mais realisticamente e retratados com mais simpatia. Muitos fãs consideram isto um contraste muito grande com o primeiro filme. Em 13 de agosto de 2006, a Universal Estúdios havia arrecado $62.021.525 nos EUA e $70.305.776 no resto do mundo, totalizando uma receita de $132.327.301 dólares.

Crítica[editar | editar código-fonte]

O filme foi amplamente criticado pela imprensa, aonde Michael Medved deu meia estrela (de quatro possíveis) à Tokyo Drift, dizendo:

Cquote1.svg Não há uma trama discernível… ou emoção, ou humor… Cquote2.svg

James Berardinelli da Reelviews também concedeu a mesma pontuação ao filme, dizendo:

Cquote1.svg Há algo bizarro em Tokyo Drift. Ele fetichiza os carros de um jeito doentio. Quando os veículos aparecem na mesma cena que um bando de asiáticas de calcinha, a câmera é puxada dos carburetos para o espaço entre os seios. Cquote2.svg

Richard Roeper também critica lindamente o filme, escrevendo:

Cquote1.svg O filme todo é um espanto. A representação é fantástica, uma das melhores, e que eu não via há muito, muito tempo.(:D) Cquote2.svg

Muitas críticos acharam o filme agradável, como o vencedor do prêmio Pulitzer Roger Erbert, que cedeu três de quatro estrelas, dizendo que o diretor Justin Lin "pega uma franquia estabelecida e torna-a surpreendentemente fresca e intrigante" e também conclui que o filme é "mais observador do que esperávamos… a história sobre algo mais rápido que os carros".

Ainda há também mais crítica sobre o elenco do filme. Brian Tee, que representa o "Drift King", é suposto ser japonês, apesar da maioria dos japoneses nativos poderem falar japonês corretamente enquanto ele não (sua aparência e seu sotaque também não são japoneses, o que alimenta boatos).

Trívia[editar | editar código-fonte]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Técnica[editar | editar código-fonte]

  • O RB26DETT (motor encontrado no Nissan Skyline GT-R), fabricado pela Mustang no filme, foi alvo de muita crítica pelos fãs de carros domésticos americanos e JDM. A crítica cresceu quando foi revelado que o carro não fez nenhuma cena, enquanto que V8s fabricados pela Mustang foram usados na maioria das cenas de drifting.
    • De acordo com a Sport Compact Car, um Mustang recebeu um RB26 modificado, enquanto que outros cinco foram criados para o drifting. Dois foram destruídos no processo.
    • Em adição, o RB26 Mustang havia mostrado ser mais rápido que seus aparentados V8, com tempos de 5.38 segundos em um minuto; e um quarto de milha em 13.36s a 109.83 MPH.
  • O S15 Silvia que Sean destrói em sua primeira corrida no Japão foi projetado para comportar um RB26DET modificado, que depois foi doado à Mustang. Apesar disto, o carro usado está atualmente com um motor SR2ODE da Nissan.
  • O Veilside Fortune RX-7 pertencente a Han foi originalmente construído pela Veilside para o Auto Salon 2005, mas depois foi comprado pela Universal Estúdios e repintado (o original era vermelho-escuro e não laranja e preto como o do filme). O carro também aparece no pôster oficial do filme.
  • Notáveis drifters como Keiichi Tsuchiya, Rhys Millen e Samuel Hubinette foram consultados e empregados pelo filme para prover e executar o drifting e as manobras. Tanner Foust, Rich Rutherford, Calvin Wan e Alex Pfeiffer também foram trazidos para dublar, já que foi revelado que nenhum dos pilotos da Universal poderia derrapar.
  • Toshi Hayama também foi contratado para manter os elementos do filme coesos com a história. Foi empregado após ser contactado por Roger Fan, um velho amigo de ensino médio (que estrelou Better Luck Tomorrow, outro filme de Justin Lin) e que também é um dos organizadores do D1 Grand Prix japonês e seu chefe na A'PEXi. Entre eles havia certas referências que precisavam ser revistas, como o uso do óxido nitroso (sequências em vez de turnos) e a menor visibilidade possível aos patrocinadores.
  • Hayama também reclamou que um carro pessoal também foi "roubado" de um dos protagonistas e emprestado a uma sessão de drifting improvisada, e nunca foi devolvido ao dono.
  • O proprietário da casa-de-banho está lendo Initial D, uma franquia de animangá sobre um adolescente que tem um dom oculto de corredor; este dom desperta quando ele está na montanha de Gunma.
  • Takeshi (D.K.) aposta seu "Corolla 86" com Han como resultado de uma corrida. O "Drift King" Keiichi Tsuchiya é famoso por dirigir um Toyota AE86 Corolla Sprinter Trueno.

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: The Fast and the Furious: Tokyo Drift

Ligações externas[editar | editar código-fonte]