Tingmosgang

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Índia Tingmosgang

Temisgam • Timishgan • Temisgang

 
  Aldeia  
Mosteiro de Tingmosgang
Mosteiro de Tingmosgang
Localização
Tingmosgang está localizado em: Jammu e Caxemira
Tingmosgang
Localização de Tingmosgang em Jamu e Caxemira
Coordenadas 34° 19' 28" N 76° 59' 19" E
Estado Jammu e Caxemira
Distrito Leh
Tehsil Leh
Bloco Khaltsi
Região Ladaque
Características geográficas
População total (2011) [1] 1 517 hab.
Altitude 3 250 m

Tingmosgang, Temisgam, Temisgang ou Timishgan é uma aldeia do Ladaque, noroeste da Índia, no estado de Jamu e Caxemira, distrito de Leh, tehsil de Leh e bloco de Khaltsi. Em 2011 tinha 1 517 habitantes, 49% do sexo masculino e 51% do sexo feminino A taxa de analfabetismo era 26% para os homens e 40% para as mulheres.[1]

A aldeia tem grande importância histórica e nela se situam as ruínas de uma antiga grande cidadela, provavelmente datada do século XV, onde existiu um palácio real.[2] Dado que a cidadela está em ruínas, o monumento mais imponente da aldeia é o seu mosteiro budista tibetano (gompa) masculino,[3] que domina o vale do cimo de um monte.[2] Na aldeia existe também um mosteiro feminino (Tekchen Chosling).[4]

Descrição e história[editar | editar código-fonte]

Tingmosgang, cuja transliteração de documentos históricos é por vezes gTin-`bur-sgan,[5] situa-se a 3 250 metros de altitude no vale de um afluente da margem direita (norte) do rio Indo, a pouco mais 2,5 km em linha reta da margem deste último. A estrada que serve a aldeia entronca na estrada Srinagar—Leh junto ao Indo a pouco mais de 4 km de Tingmosgang, 2 km a oeste de Nurla. Seguindo para sudeste-leste, Basgo fica a 50 km de Tingmosgang e Leh a 80 km. Seguindo para noroeste-oeste, Kargil fica a 140 km.

Acredita-se que Tingmosgang tenha sido um centro de poder dos dardos, o primeiro povo de que há notícia de ter habitado o Ladaque. A partir do século XV foi uma das capitais do Ladaque, partilhando ou alternando com Basgo a sede do reino do Ladaque Superior (ocidental) nos períodos em que o reino ladaque esteve dividido em dois. Após a união, os reis ladaques continuaram a ter um palácio em Tingmosgang, que ainda existe, embora dele apenas restem pouco mais do que as muralhas arruinadas da cidadela que o rodeia, onde se erguem vários chortens (estupas) de grandes dimensões. Durante a Guerra Tibete–Ladaque–Mogol (1679–1684) em que praticamente todo o Ladaque a leste de Basgo esteve ocupado por tropas às ordens do 5.º Dalai Lama, o rei Deldan Namgyal (ou Deleg) transferiu a sua capital de Leh para Tingmosgang.[2]

Palácio e cidadela de Tingmosgang[editar | editar código-fonte]

O palácio real e a cidadela em que se insere foram construídos pelo rei Drag-pa-Bum no século XV, cujo neto Bhagan foi o fundador da dinastia Namgyal ("Vitorioso"), a segunda dinastia de origem tibetana do Ladaque, quando unificou os dois reinos ladaques.[6]

Foi no palácio de Tingmosgang[7] que em 1684 foi firmado o Tratado de Tingmosgang,[8] que pôs fim formalmente à Guerra Tibete–Ladaque–Mogol. O tratado foi assinado pelo rei Deldan Namgyal e um emissário do regente do Tibete que tinha assumido o poder após a morte do 5.º Dalai Lama, o líder da seita budista tibetana Drukpa Kagyu, que então era proeminente no Ladaque. O Ladaque manteve a sua independência, mas com muitas restrições e a fronteira entre os dois países foi acordada[5][7] nos termos em que se manteve pelo menos até à guerra sino-indiana de 1962.[carece de fontes?]

Mosteiro de Tingmosgang[editar | editar código-fonte]

O Mosteiro de Tserkarmo[3] ou simplesmente Mosteiro de Tingmosgang[2] pertence à seita Drikung Kagyu[3] e foi construído, como o palácio, pelo rei Drag-pa-Bum[6] no século XV.[2] Tem vários santuários ou templos, entre os quais um dedicado a Avalokiteshvara, cuja imagem, segundo a lenda, apareceu de forma sobrenatural, era objeto de oferendas dos reis ladaques e ainda hoje é um destino de peregrinação.[6] O templo principal, situado fora do complexo principal,[2] chamado "Capela Vermelha" Tsuglagkhang Marpo,[6] ou Chamba Lha-Khang, uma estátua de Maitreya com 8 metros de altura.[2]

Referências

  1. a b «Blockwise Village Amenity Directory 2014-15» (PDF) (em inglês). Ladakh Autonomous Hill Development Council. leh.nic.in. Consultado em 6 de novembro de 2016. Arquivado do original (PDF) em 9 de setembro de 2016 
  2. a b c d e f g Eakins, Nicholas (2011), Exploring Ldakh — The Complete Guide, ISBN 9788179270066 (em inglês), Deli: Hanish & Co., pp. 123–124 
  3. a b c «Inauguration Ceremony of the Maha Bodhi Stupa. Tserkarmo Monastery, Tingmosgang, Ladakh» (em inglês). Blog pessoal do monge budista Khenpo Rangdol. khenporangdol.blogspot.com. 21 de outubro de 2011. Consultado em 6 de novembro de 2016 
  4. «Tekchen Chosling Nunnery, Tingmosgang» (em inglês). Avalokitesvara Trust. avalokitesvaratrust.org. Consultado em 6 de novembro de 2016 
  5. a b Petech, Luciano (1977), The Kingdom of Ladakh c. 950–1842 A.D. (PDF) (em inglês), Roma: Instituto Italiano per il Medio ed Estremo Oriente, p. 76, consultado em 6 de novembro de 2016 
  6. a b c d «Tingmosgang Monastery» (em inglês). www.ladakhdekho.com[fonte confiável?]. Consultado em 6 de novembro de 2016 
  7. a b Rizvi, Janet (1996), Ladakh: Crossroads of High Asia, ISBN 9780195645460 (em inglês) 2.ª ed. , Deli: Oxford University Press India, pp. 73–74 
  8. «Peace Treaty Between Ladakh and Tibet at Tingmosgang (1684)» (em inglês). Tibet Justice Center. www.tibetjustice.org. Consultado em 6 de novembro de 2016