Tokugawa Hidetada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tokugawa Hidetada
Nascimento 2 de maio de 1579
Hamamatsu
Morte 14 de março de 1632 (52 anos)
Castelo Edo
Cidadania Xogunato Tokugawa, Japão
Progenitores Mãe:Saigō
Pai:Tokugawa Ieyasu
Filho(s) Tokugawa Iemitsu, Tokugawa Tadanaga, Hoshina Masayuki
Irmão(s) Matsudaira Nobuyasu, Yūki Hideyasu, Tokugawa Yorinobu, Tokugawa Yorifusa
Ocupação político
Causa da morte câncer do estômago

Tokugawa Hidetada (徳川 秀忠? ,2 de maio de 1579 - 14 de março de 1632) foi o segundo xogum Tokugawa, que governou de 1605 até sua abdicação en 1623. Terceiro filho de Tokugawa Ieyasu. Foi o vencedor da junto com seu pai na Batalha de Sekigahara.

Juventude (1579-1593)[editar | editar código-fonte]

Tokugawa Hidetada foi filho de Tokugawa Ieyasu e uma de suas consortes, em 1579. A data exata de seu nascimento é desconhecida. Pouco depois de seu nascimento sua madrasta (a esposa oficial de Ieyasu) e seu meio-irmão Tokugawa Nobuyasu foram executados sob suspeita de tramar com Takeda Shingen para assassinar Ieyasu. [1] Ao matar sua esposa e seu suposto co-conspirador, Ieyasu declarou sua posição no conflito entre o clã Oda -- sob a direção de Oda Nobunaga -- e o clã Takeda sob o comando de Takeda Shingen, apoiando os Oda. [2]

O poder tradicional base do clã Tokugawa era Mikawa. Em 1590, o novo Tenkaji (governante do pais) do Japão, Toyotomi Hideyoshi obrigou Ieyasu, a atacar o domínio dos Go-Hojo na batalha que se que se tornou conhecida como o Cerco de Odawara. [3] Hideyoshi alistou Ieyasu para esta campanha com a promessa de trocar as cinco províncias sob controle de Ieyasu por oito províncias em Kanto, incluindo a cidade de Edo. A fim de evitar que Ieyasu se bandeasse para o lado dos Hojo (uma vez que anteriormente os Hojo e os Tokugawa tinham relações amigáveis), Hideyoshi raptou o filho de Ieyasu, Takechiyo, de apenas onze anos de idade e o tomou como refém. Em 1592 Hideyoshi presidiu a cerimônia de maioridade de Takechiyo, que passou a se chamar Hidetada. [4] Nesta época Hidetada foi nomeado herdeiro do Clã Tokugawa, pois o filho mais velho de Ieyasu havia sido executado anteriormente, e seu segundo filho foi adotado por Hideyoshi quando ainda era um bebê. Em 1593, Hidetada retornou ao convivio seu pai.

Suas Realizações Militares (1593-1605)[editar | editar código-fonte]

Em 1595, Hidetada casou com Oeyo do clã Oda e eles tiveram dois filhos, Iemitsu e Tadanaga. [5] Eles também tiveram duas filhas, uma das quais, Senhime, se casou duas vezes. A outra filha, Kazuko-hime, casou-se com o Imperador Go-Mizunooe mais tarde passou a utilizar o nome budista de Tōfukumon-in. [6]

Sabendo que sua morte viria antes que seu filho Hideyori se tornasse adulto, Hideyoshi nomeou cinco Regentes - um dos quais era o pai de Hidetada, Ieyasu - para governar no lugar de seu filho. Hideyoshi esperava que a grande rivalidade entre os Regentes impediria que um deles tomasse o poder. Mas, depois que Hideyoshi morreu em 1598, Hideyori teve um governo apenas nominal, os Regentes esqueceram todos os seus votos de fidelidade eterna e logo passaram a disputar o controle da nação. Ieyasu era um dos mais fortes dos cinco Regentes, e arregimentou a seu lado a chamada Facção Oriental. Em contraposição reuniu-se uma Facção Ocidental em torno de Ishida Mitsunari. As duas facções entraram em conflito na famosa Batalha de Sekigahara, que estabeleceu o início da Era Tokugawa. [7]

Em 1600 Hidetada levou 16.000 homens de seu pai em uma campanha para conter o clã Uesugi da Facção Ocidental em Shinano. [8] Ieyasu então ordenou a Hidetada que marchasse para Sekigahara em antecipação a batalha decisiva contra a Facção Ocidental. Mas o clã Sanada conseguiu retardar as forças de Hidetada, que acabaram chegando tarde demais para ajudar na vitória apertada, mas decisiva, do pai. [9] A partir dai relacionamento entre Hidetada e Ieyasu ficou estremecido. Em 3 de dezembro de 1601, o primeiro filho de Hidetada, Nagamaru (長 丸), nasceu de uma jovem solteira de Kyoto chamada Onatsu. Em setembro de 1602, Chōmaru adoeceu e morreu; seu funeral foi realizado no templo Zōjō-ji em Shibe. [10]

Em 1603, o Imperador Go-Yōzei concedeu a Ieyasu o título de xogum e desta forma Hidetada se tornou o herdeiro do xogunato.

Xogum (1605-1623)[editar | editar código-fonte]

Para evitar o mesmo destino de seu antecessor, Ieyasu estabeleceu um padrão dinástico logo depois de se tornar xogum, abdicando em favor de Hidetada em 1605. Ieyasu continuou a ter um poder significativo até sua morte em 1616; mas Hidetada, passa a assumiu o papel de chefe formal da burocracia do Bakufu. [11]

Para grande consternação de Ieyasu, em 1612, Hidetada arquitetou um casamento entre Sen, a neta favorita de Ieyasu, e Toyotomi Hideyori, que estava morando como plebeu no Castelo de Osaka com sua mãe. Quando isso não conseguiu sufocar as intrigas de Hideyori, o Ogoxo Ieyasu e o xogum Hidetada trouxeram um exército para Osaka. [12] Pai e filho mais uma vez discordaram sobre como conduzir esta campanha contra as forças recalcitrantes de Toyotomi em Osaka. No cerco que se seguiu Hideyori e sua mãe foram obrigados a cometer suicídio. Mesmo o filho pequeno de Hideyori, Kunimatsu, que ele teve com uma concubina, não foi poupado. [13] Só Sen foi poupada; mais tarde ela se casou novamente e teve uma nova família.

Após a morte de Ieyasu em 1616, Hidetada assumiu o controle total do Bakufu. [12] Hidetada fortaleceu os Tokugawa no poder, melhorando as relações com a corte imperial. Para este fim, ele casou com sua filha Kazuko para o Imperador Go-Mizunoo. [12] Fruto desse casamento nasceu uma menina,que sucedera ao pai no trono do Japão para se tornar a Imperatriz Meishō. [14] A cidade de Edo também foi fortemente desenvolvida em seu governo.

Ogoxo (1623–1632)[editar | editar código-fonte]

Em 1623, Hidetada renunciou de seu governo em favor de seu filho mais velho e herdeiro, Iemitsu. [15] Como seu pai antes dele, Hidetada se tornou Ogoxo (xogum aposentado), e reteve o poder efetivo. Ele promulgou medidas anti-cristãs draconianas, que Ieyasu já havia anteriormente considerado: baniu livros cristãos, forçou os daimiōs cristãos a cometer suicídio, ordenou que todos os outros cristãos que renunciassem a sua crença, mandando em 1628, em Nagasaki, executar cinquenta e cinco cristãos (japoneses e estrangeiros) que se recusaram a renunciar o cristianismo ou deixar o pais . [13]

Ogoxo Hidetada morreu 14 de março de 1632. [15] Seu nome póstumo budista é Daitoku-in (台 徳 院). Suas cinzas foram assentadas cerimoniosamente no Mausoléu de Taitoku em Edo.



Precedido por
Tokugawa Ieyasu
Tokugawa family crest.svg - 2º Xogum Tokugawa
1605–1623
Sucedido por
Tokugawa Iemitsu



Referências

  1. Ōta, Gyūichi (2011). The Chronicle of Lord Nobunaga (em inglês). [S.l.]: BRILL, p. 38. ISBN 9789004204560 
  2. Unzer, Emiliano (2019). História da Ásia. [S.l.]: Amazon, p.337. ISBN 9781521900208 
  3. Turnbull, Stephen (2011). Samurai:. The World of the Warrior (em inglês). [S.l.]: Bloomsbury Publishing, p. 61. ISBN 9781849089968 
  4. Sadler, A. L. (2009). Shogun:. The Life of Tokugawa Ieyasu (em inglês). [S.l.]: Tuttle Publishing, p. 107. ISBN 9781462916542 
  5. Wilson, Richard L. (1985). Ogata Kenzan (1663-1743) (em inglês). [S.l.]: University of Kansas, History of Art, p. 40 
  6. Graham, Patricia Jane (2007). Faith and Power in Japanese Buddhist Art, 1600-2005 (em inglês). [S.l.]: University of Hawaii Press, 46. ISBN 9780824831912 
  7. Grant, R. G. (2017). 1001 Battles That Changed the Course of History (em inglês). [S.l.]: Book Sales, p. 310. ISBN 9780785835530 
  8. Turnbull, Stephen (2012). Tokugawa Ieyasu (em inglês). [S.l.]: Bloomsbury Publishing, p. 34. ISBN 9781849085755 
  9. Turnbull. Tokugawa Ieyasu. [S.l.]: p. 79 
  10. Seigle, Cecilia Segawa; Chance, Linda H. (2014). Ooku, the Secret World of the Shogun's Women (em inglês). [S.l.]: Cambria Press, p. 312. ISBN 9781604978728 
  11. Klaproth, Julius von (1834). Nipon o daï itsi ran: ou Annales des empereurs du Japon (em francês). [S.l.]: Oriental Translation Fund, p. 409 
  12. a b c Klaproth. Nipon o daï itsi ran. [S.l.]: p. 410 
  13. a b Henshall, Kenneth (2013). Historical Dictionary of Japan to 1945 (em inglês). [S.l.]: Scarecrow Press, p. 22. ISBN 9780810878723 
  14. Klaproth. Nipon o daï itsi ran. [S.l.]: p. 411 
  15. a b Titsingh, Isaac (2006). Secret Memoirs of the Shoguns: Isaac Titsingh and Japan, 1779-1822 (em inglês). [S.l.]: Routledge, seção 17. ISBN 9781135787370