Tríplice coroa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Tríplice Coroa)

A tríplice coroa, em esportes, é um título não oficial dado a uma equipe ou esportista que conquista três importantes títulos na mesma temporada ou em certa sequência.

Origens

A simbologia da "tríplice coroa" remete ao período dos grandes impérios, evocando a figura de um rei ou militar, que administra simultaneamente três territórios.[1][2] Está presente no Brasão de armas da Suécia, da província de Munster (Irlanda) e da cidade de Kingston upon Hull (Inglaterra), entre outros. "Tríplice coroa" é também um dos nomes dados à Tiara papal ("Tríplice Tiara" ou "Triregnum"), utilizada desde o século XIV como símbolo da autoridade do Papa da Igreja Católica e abandonada por Paulo VI em 1963, que encerrou a segunda sessão da Concílio Vaticano II.[3] O 3 é um número de forte simbolismo em diferentes áreas.[4]

O termo tríplice difere das equivalentes sucessoras (quádrupla, quíntupla e sêxtupla), não sendo tripla coroa uma expressão habitual, do mesmo modo que quadrúplice coroa também não o é. Dentre os sinônimos, um usual é triplete.

Em Diva, livro de 1864 de José de Alencar, o escritor cearense fez o seguinte uso da expressão: (...) não perdoavam a Emília tantas superioridades, como ela tinha; pois cingia-lhe a fronte a tríplice coroa da beleza, do espírito e da riqueza (p. 10).[5]

Futebol

Entidades esportivas, imprensa especializada e estudiosos do esporte consideram diferentes conceitos de "tríplice coroa" no futebol, mas não existe um real caráter de "oficialidade",[6] sendo uma conquista simbólica, com o seu significado segundo o consenso social.

De forma ampla, pode-se ter como referência não uma temporada-ano, como é mais comum, mas uma sequência de conquistas consecutivas, interligadas ou não, mesmo em anos diferentes.[nota 1]

Outrossim, o termo é usado quando se conquista os diferentes níveis (profissional, sub-20 e sub-17, por exemplo) de certa competição seguidamente.[7][8][9][10]

Tríplice internacional

Conceito popular no futebol brasileiro para conquistas internacionais sequenciadas. Para as seleções nacionais, o termo é usado em conquistas diferentes consecutivas ou conquistas dos diferentes níveis da mesma disputa.[11][12]

Continental treble

Na Europa, chama-se "Double" ("Dobradinha") a conquista, em uma mesma temporada, do campeonato e da copa de um país. A "tríplice coroa", em geral chamada de "Treble" ou "Continental Treble" (mas também "Triple Crown"), é conferida ao clube que, além de conquistar o "Double" no seu país, vence também a Liga dos Campeões.

Em mais de 60 anos de Campeonato Europeu de Clubes, apenas 9 vezes uma equipe conquistou a Tríplice Coroa Europeia (copa e campeonato domésticos e a Champions League),[13][14][15] formando um conjunto de 7 times:

  1. Celtic da Escócia: 1966–67. Treinador: Jock Stein;
  2. Ajax da Holanda: 1971–72. Treinador: Rinus Michels;
  3. PSV Eindhoven da Holanda: 1987–88. Treinador: Guus Hiddink;
  4. Manchester United da Inglaterra: 1998–99. Treinador: Alex Ferguson;
  5. Barcelona da Espanha: 2008–09 e 2014-15 (duas vezes). Treinador: Pep Guardiola (2009); Luis Enrique (2015);
  6. Internazionale da Itália: 2009–10. Treinador: José Mourinho;
  7. Bayern de Munique da Alemanha: 2012-13 e 2019–2020 (duas vezes). Treinador: Jupp Heynckes (2013); Hans-Dieter Flick (2020).

Considerando a Copa da UEFA, foram os vencedores:[16]

  1. IFK Göteborg da Suécia: 1981–82;
  2. Galatasaray da Turquia: 1999–00;
  3. FC Porto de Portugal: 2002-03 e 2010-11 (duas vezes);
  4. CSKA Moscou da Rússia: 2004–05.

Domestic treble

Alguns países, além do campeonato e copa, possuem uma copa secundária nacional, geralmente acessível apenas para equipes nos níveis mais altos de seu sistema de liga nacional ("taça da liga"). Assim, fala-se em "Domestic Treble".

Dois exemplos da façanha: Benfica conseguiu um inédito feito na temporada de 2013/2014 ao conquistar Primeira Liga, Taça de Portugal e Taça da Liga (esta última inaugurada em 2007/08); Celtic venceu Campeonato Escocês, Copa da Escócia e Copa da Liga Escocesa de 2017 a 2020, uma "quádrupla coroa de tríplices coroas".[17]

Futebol brasileiro

A "tríplice coroa brasileira", como ficou consagrada a trinca do Cruzeiro em 2003, envolveria as duas grandes competições da CBF e o estadual. De modo geral, no Brasil usa-se o termo "tríplice coroa" para a conquista de três títulos oficiais quaisquer numa mesma temporada.[18][19]

Tríplice coroa de artilharia e prêmios

Automobilismo

Ver artigo principal: Tríplice Coroa do Automobilismo

A tríplice coroa do automobilismo é composta pelas três seguintes conquistas: O Grande Prêmio de Mônaco, as 500 Milhas de Indianápolis e as 24 Horas de Le Mans.

Beisebol

Ver artigo principal: Tríplice Coroa (beisebol)

No beisebol, a tríplice coroa não se refere a títulos conquistados pelos clubes, mas sim a conquistas dos atletas individualmente.

Ciclismo

Ver artigo principal: Coroa Tripla de Ciclismo

Surf

Ver artigo principal: Tríplice Coroa Havaiana

Turfe

Ver artigo principal: Tríplice Coroa (turfe)

Fora do âmbito esportivo

Ver artigo principal: Tríplice Coroa da Atuação

Fala-se em "tríplice coroa da atuação" (em inglês, "Triple Crown of Acting") para atores ou atrizes que sejam premiados por seus trabalhos nos três diferentes veículos: cinema, teatro e televisão, respectivamente com os Prêmios Óscar, Tony e Emmy.[22][23]

No mundo dos concursos de beleza, a imprensa especializada dos Estados Unidos atribui a "tríplice coroa" para modelos que sejam premiadas em seu estado nos três diferentes sistemas (Miss Teen USA, Miss USA e Miss America).[24]

Ver também

Notas

  1. Como as conquistas de Brasileirão (primeiro semestre de 1991), Paulistão (segundo semestre de 1991) e Libertadores (primeiro semestre de 1992) pelo São Paulo, que venceu tudo o que disputou no período.

Referências

  1. Da Costa, Francisco Augusto Pereira (1882). Diccionario biographico de Pernambucanos celebres: Typographia Universal. p. 334. "Tal foi em largos traços a vida do illustre pernambucano D. Francisco de Moura Rolim, em cuja fronte brilham os louros da triplice corôa das suas glorias militares, conquistadas pelo seu heroismo e valor, nos campos da Asia, da Europa e da America."
  2. Cernev, Adrian Kemmer (2011). «Tríplice coroa» (PDF). pesquisa-eaesp.fgv.br 
  3. Braun, Joseph. "Tiara." The Catholic Encyclopedia. Vol. 14. New York: Robert Appleton Company, 1912. 14 Jan. 2022 <https://www.newadvent.org/cathen/14714c.htm>.
  4. Grizzo, Arnaldo (25 de junho de 2007). «Três, o número perfeito». Revista TÊNIS. Consultado em 11 de janeiro de 2022 
  5. de Alencar, José (1864). «Diva» (PDF). www.dominiopublico.gov.br. Departamento Nacional do Livro. Consultado em 21 de dezembro de 2021 
  6. SOUZA NETO, Georgino Jorge de. A Tríplice Coroa e a Legitimidade dos Campeonatos Regionais: quanto vale um Estadual?. Ludopédio, São Paulo, v. 141, n. 55, 2021. Disponível em: https://ludopedio.org.br/arquibancada/a-triplice-coroa-e-a-legitimidade-dos-campeonatos-regionais-quanto-vale-um-estadual/.
  7. Jabur, Miguel. «A história do América no Campeonato Mineiro | Blog Torcedor do América Mineiro». globoesporte.com. Consultado em 11 de agosto de 2022 
  8. Martini, Luiz. «Defensor do América reivindica 'Tríplice Coroa Estadual' de 1957 para o clube». www.mg.superesportes.com.br. Consultado em 11 de agosto de 2022 
  9. «Brasil é campeão mundial sub-20 e conquista a tríplice coroa | Notícias». Tribuna do Paraná. 19 de dezembro de 2003. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  10. «Flamengo conquista o Sub-20 e fecha tríplice coroa do Brasileirão». Confederação Brasileira de Futebol. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  11. «Seleção feminina conquista tríplice coroa e tem protagonismo na América do Sul». Terra. Consultado em 11 de agosto de 2022 
  12. Verminnen, Philip (12 de junho de 2013). «Brasil detém a hegemonia na Copa das Confederações – DW – 12/06/2013». dw.com. Consultado em 10 de janeiro de 2022. Seleção da França comemora a conquista da tríplice coroa: Copa do Mundo em 1998, Eurocopa em 2000 e a Copa das Confederações em 2001 
  13. «Julio Gomes - Bayern de Munique alcança Barcelona ao conquistar segunda tríplice coroa». www.uol.com.br. Consultado em 22 de dezembro de 2021 
  14. Lobo, Felipe (1 de junho de 2013). «Tríplice Coroa, uma glória de apenas sete clubes na Europa». Trivela. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  15. «Bayern de Munique garante a Tríplice Coroa pela segunda vez e se iguala ao Barcelona». ge. 23 de agosto de 2020. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  16. Schneider, Guilherme. «Quais clubes europeus venceram a Tríplice Coroa? | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  17. Escudeiro, Leo (25 de maio de 2019). «Neil Lennon deu sequência à máquina de títulos de Rodgers e levou Celtic à inédita "tríplice coroa das tríplices coroas"». Trivela. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  18. «Atlético-MG entra na lista dos times que conquistaram a Tríplice Coroa». R7.com. 16 de dezembro de 2021. Consultado em 22 de dezembro de 2021. [...] o termo é usado aqui de qualquer forma. 
  19. Publieditorial (9 de março de 2021). «Confira os times brasileiros que conquistaram a Tríplice Coroa». Portal iG. Consultado em 11 de janeiro de 2022. De uma maneira geral, a Tríplice Coroa não tem obrigatoriedade de títulos específicos 
  20. Lavinas, Thiago (1 de março de 2006). «FERAS DO PARREIRA: Adriano, o artilheiro pós-2002». globoesporte.globo.com. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  21. «Com "tríplice coroa" de artilharia, Lewandowski alcança marca inédita até para Cristiano Ronaldo e Messi». ge. Consultado em 10 de janeiro de 2022 
  22. «Biografia da atriz Anne Bancroft mencionando sua "tríplice coroa de atuação" em 1970». Consultado em 26 de agosto de 2010. Arquivado do original em 3 de fevereiro de 2012 
  23. «Notícia da ABC News sobre a "tríplice coroa de atuação" de Alan Alda em 2005». Consultado em 26 de agosto de 2010 
  24. Kranish, Michael (1 de julho de 2017). Revelando Trump: A história de ambição, ego e poder do empresário que virou presidente. [S.l.]: Alaúde 

Bibliografia

  • De Souza, Alexsandro; Olivieri, Anderson. 2003 - A tríplice história de um time mágico. Ed. Número Um. 2018.
  • Olivieri, Anderson. 2003, o ano do Cruzeiro: Diário da Tríplice Coroa. Ed. Número Um. 2015.

Filmografia

Ligações externas