(47171) 1999 TC36

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
(47171) 1999 TC36

(47171) 1999 TC36 (também escrito como: (47171) 1999 TC36) é um sistema que compreende 3 objetos transnetunianos (TNOs). Foi descoberto em 1999 por Eric P. Rubenstein e Louis-Gregory Strolger do Observatório Nacional de Kitt Peak (KPNO). Dr. Rubenstein estava procurando imagens tiradas pelo Dr. Strolger dentro do programa de pesquisa Low-Z Supernova. Está classificado como um plutino, pois, ele tem uma ressonância orbital de 3:2 com Netuno,[1] está atualmente a apenas 30,7 UA em relação ao Sol,[2] e está entre os TNOs mais brilhantes.

Características físicas[editar | editar código-fonte]

(47171) 1999 TC36 é um sistema triplo que consiste em um primário (o que em si mesmo é um objeto binário) e uma pequena lua (componente B). As observações combinadas feitas em infravermelho pelo Telescópio Espacial Spitzer, Observatório Espacial Herschel e Telescópio Espacial Hubble (HST) tornaram possível a estimativa dos diâmetros dos componentes e consequentemente estas estimativas proporcionaram uma gama de possíveis valores para densidade do conjunto do sistema. O diâmetro, tomado como se fosse um só corpo (o tamanho efetivo do sistema), de 1999 TC36 está agora estimado em 393,1+25,2−26,8 km.

A estimada baixíssima densidade de apenas 0,3–0,8 g/cm3 obtida em 2006 (quando se pensava que o sistema era binário), precisava que o sistema tivesse uma incomum e alta porosidade de cerca de 50% a 75%, assumindo uma mistura igual de gelo e rochas. A medição direta das flutuações da luz dos três componentes do sistema, fornecidas em 2009 pelo HST, deram como resultado uma densidade média de 0,532+0,317−0,211 g/cm3, confirmando as primeiras impressões sobre este objeto que é, provavelmente, um conglomerado de entulho. A densidade foi revista em alta, com o novo dado de 0,64+0,15−0,11 g/cm3 em 2012, quando estiveram disponíveis os novos dados obtidos pelo Herschel. A densidade do sistema em conjunto ficava em um intervalo de 1–2 g/cm3, o que significa uma porosidade que iria de 36% a 68%, confirmando uma vez que o objeto é um conglomerado de entulho.

1999 TC36 tem umas linhas espectrais muito marcadas em vermelho na faixa da luz visível e um espectro plano no infravermelho próximo. Há uma fraca linha de absorção próximo do comprimento de onda de 2 μm, provavelmente causada pela presença de gelo de água. O melhor modelo que reproduz o espectro do sistema incluiria tolinas, gelo cristalino de água e serpentinas como materiais da superfície.

Componentes[editar | editar código-fonte]

Em 2009, uma análise feita com o Hubble mostrou que o primário era realmente composto por dois componentes de tamanho semelhante. Estes dois componentes têm um semieixo maior de 867 km e um período de 1,9 dias. Foram considerados que ambos têm albedos iguais, de 0.079, os componentes do primário têm uns diâmetros aproximados de A1=272+17−19 km e A2=251+16−17 km. O componente B, S/2007 (47171) 1, orbita o baricentro do sistema de A1+A2. A massa do sistema foi estimada através de observação do movimento do componente B, que é de 12,75 ± 0,06 x 1018 kg. O movimento orbital dos componentes A1 e A2 dá uma estimativa mais alta, de 14,20 ± 0,05 x 1018 kg. Esta discrepância é provavelmente devido às interações não contabilizadas dos componentes deste complexo sistema triplo.

Satélite[editar | editar código-fonte]

O satélite, S/2001 (47171) 1, foi descoberto em 8 de dezembro de 2001 por C. A. Trujillo e Mike Brown, graças ao uso do Telescópio Espacial Hubble e sua descoberta foi anunciada em 10 de janeiro de 2002,[3] o satélite tem um diâmetro estimado de 132+8−9 kme um semieixo maior de 7.411 ± 12 km, orbita o corpo primário em 50,302 ± 0,001 dias Estima-se que a massa desta lua é de apenas 0,75 x 1018 kg.

Origem[editar | editar código-fonte]

Existem duas hipóteses principais para explicar a formação do sistema triplo de 1999 TC36. A primeira basearia a formação do sistema através de uma grande colisão e posterior concentração do material do disco de criação. A segunda hipótese é baseada na captura gravitacional de um terceiro corpo por parte de um sistema binário pré-existente. Os tamanhos semelhantes dos componentes A1 e A2 dão mais peso a esta segunda hipótese.

Exploração[editar | editar código-fonte]

1999 TC36 foi sugerido como possível alvo para a sonda New Horizons 2, esta sonda é uma proposta para um projeto de uma sonda gêmea da New Horizons que sobrevoaria Júpiter, Urano e quatro KBOs.[4]

Referências

  1. MPEC 2009-V05 :Distant Minor Planets (2009 NOV. 15.0 TT) (em inglês). Página visitada em 11 de maio de 2014.
  2. AstDys (47171) 1999TC36 Ephemerides (em inglês). Página visitada em 11 de maio de 2014.
  3. IAU Circular No. 7787 (em inglês). Página visitada em 11 de maio de 2014.
  4. New Horizons 2 (em inglês). Página visitada em 11 de maio de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]