Aborto na Austrália

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa da Austrália mostrado a aplicação em cada estado
  Legal a pedido
  Legal em caso de violação, risco da morte da mãe, saúde, doença mental, factores socioeconómicos ou defeitos do feto
  Legal em caso de violação, risco da morte da mãe, saúde, doença mental ou defeitos do feto
  Ilegal excepto em caso de risco da morte da mãe, saúde, ou doença mental
.

O aborto na Austrália é legal desde a década de 1970, mas o governo anunciou um plano para reduzir o número de abortos no país,[1] [2] [3] [4] onde anualmente 100 mil abortos são realizados. Para o governo australiano este número é excessivo. A fim de reduzir a prática do aborto, o governo federal da Austrália vai investir 51 milhões de dólares australianos (aproximadamente 40 milhões de dólares americanos) num programa de aconselhamento à gestante e prevenção do aborto.

Tal como na Espanha e em outros países, o numero de abortos realizados legalmente tem disparado desde que a prática foi legalizada. Em 1985, foram executados na Austrália 66 mil abortos. Esse número saltou para 71.000 abortos em 1987, 83 mil em 1991, 92 mil em 1995, estabilizando-se em torno de 88 mil por ano até 2002. Em 2005, o Ministério da Saúde australiano registrou cerca de 100 mil abortos executados legalmente[carece de fontes?].

Os dados, com exceção dos relativos ao ano de 2005, foram extraídos da página eletrônica do Medical Journal of Australia [1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre o aborto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.