Antim, o Ibérico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Santo Antim Ivireanul
Retrato de Antim em uma ilustração.
bispo, mártir
Nascimento ca. 1650 em Geórgia
Morte 27 de setembro de 1716 (66 anos) em Adrianópolis
Veneração por Igreja Ortodoxa Romena
Igreja Ortodoxa Georgiana
Canonização 21 de junho de 1992, Bucareste por Sínodo da Igreja Ortodoxa Romena
Principal templo Mosteiro Antim, Bucareste
Festa litúrgica 27 de setembro (NE; Igreja Ortodoxa Romena)
26 de junho (NE; Igreja Ortodoxa Georgiana)
Gloriole.svg Portal dos Santos

Antim Ivireanul, conhecido também por Antim, o Ibérico (romeno: Antim Ivireanul, georgiano: ანთიმოზ ივერიელი - Antimoz Iverieli; nome secular: Andria; Kartli, 1650 — Adrianópolis, setembro ou outubro de 1716) foi uma das maiores figuras eclesiásticas da Valáquia (província histórica da atual Romênia), um notável teólogo e filósofo ortodoxo, fundador da primeira imprensa da Romênia, e Metropolita de Bucareste em 1708-1715.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Antim era um georgiano nascido em Kartli (hoje em dia na República da Geórgia). Antim foi feito prisioneiro pelas tropas do Império Otomano, e se tornou monge em Istambul, enquanto vivia da ajuda do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla. Em 1689 ou 1690, foi convidado a se estabelecer na Valáquia pelo príncipe Constantin Brâncoveanu, e foi encarregado de gerenciar a recém fundada imprensa principesca em Bucareste. Sendo nomeado posteriormente, padre supremo (hegúmeno) do Mosteiro de Snagov, Antim transferiu a imprensa para o novo local.

Antim se tornou Bispo de Râmnicu em 1705, e em 1708 Metropolita da Valáquia. Antim falava e escrevia em muitas línguas orientais e europeias. Apesar de estrangeiro, logo adquiriu um conhecimento profundo de romeno, e foi fundamental para ajudar a introduzir aquela língua na igreja local como sua língua oficial. Em 1693, publicou os Evangelhos em romeno.

Em 1709 Antim foi um dos fundadores da primeira imprensa da Geórgia em Tbilisi; treinou também georgianos na arte da impressão, e confecções de tipos com os quais, sob a direção de seu pupilo Mihail Ishtvanovitch, imprimiram o primeiro Evangelho georgiano (1710). Além disso, Antim publicou vinte e cinco outros livros - em romeno, eslavo eclesiástico, grego, e árabe (geralmente em volumes bilíngues, tal como o grego-árabe Missal de 1702); isso significou que ele também foi o primeiro na Valáquia a utilizar fontes árabes).

Seu trabalho pessoal, Didahiile, foi uma coleção de sermões entendido como uma crítica afiada de hábitos contemporâneos e moral; especialmente, ao lado de fontes cristãs, Antim fez referência à filosofia clássica. Juntamente com sua produção literária, o clérigo foi o construtor do Mosteiro de Todos os Santos em Bucareste - hoje conhecido como o Mosteiro de Antim em sua memória.

A oposição aberta de Antim com relação à tutela otomana sobre a Valáquia fez dele um adversário do regime dos fanariotas. O novo príncipe Nicholas Mavrocordatos mandou prendê-lo e, posteriormente, exilou-o no Monte Sinai. Antim foi capturado pelos otomanos, enquanto estava seguindo para o exílio, e assassinado em algum lugar da atual Bulgária (seu corpo teria sido jogado no rio Maritsa ou no Tundzha). Alega-se que seu assassinato foi encomendado pelo próprio Mavrocordatos.

Em 1992 Antim foi canonizado pela Igreja Ortodoxa Romena.

Referências

  • Este artigo incorpora texto da Encyclopædia Britannica (11ª edição), publicação em domínio público.
  • Wikisource  "Anthim the Iberian". Encyclopædia Britannica (11th). (1911). Cambridge University Press. 
  • Moses Gaster, Chrestomathie roumaine (1881) e "Gesch. d. rumänischen Litteratur," em Gröber, Grundriss d. rom. Philologie, vol. ii. (1899)
  • E. Picot, Notice sur Anthim d'Ivir (Paris, 1886).
  • "Anthimus of Iberia", em Encyclopædia Britannica, edição 2007. Encyclopædia Britannica Online
  • "Antimoz Iverieli", em Sakartvelo Encyclopedia, Vol. I, Tbilisi, 1997, p. 158
  • Otar Gvinchidze, Antimoz Iverieli, Tbilisi, 1973

Ligações externas[editar | editar código-fonte]