Artur Ávila

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Artur Ávila
Matemático
Nacionalidade  Brasileiro e França Francês[1]
Nascimento 29 de junho de 1979 (35 anos)
Local Rio de Janeiro
Atividade
Campo(s) Matemático
Alma mater Universidade Federal do Rio de Janeiro

Instituto de Matemática Pura e Aplicada

Tese 2001: Bifurcations of Unimodal Maps
Orientador(es) Welington de Melo[2]
Prêmio(s) Prêmio Salem (2006), Prêmio EMS (2008), Medalha Fields (2014)

Artur Ávila Cordeiro de Melo (Rio de Janeiro, 29 de junho de 1979) é um matemático brasileiro, hoje também naturalizado francês.[1] [3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Estudou no Colégio de São Bento e no Colégio Santo Agostinho no Rio de Janeiro. Ávila graduou-se na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e cursou o mestrado e o doutorado em matemática concomitantemente, no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA). Aos 19 anos, começou sua tese de doutorado baseada na teoria de sistemas dinâmicos. Finalizada em 2001, quando viajou à França para fazer pós-doutorado.[4] Trabalha nas áreas de dinâmica unidimensional e holomorfa.[5] Desde 2003 trabalha no Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS), na França, e desde 2008 é directeur de recherche nesse estabelecimento. Seu orientador de pós-doutorado foi Jean-Christophe Yoccoz.[6]

Considerado um prodígio desde a adolescência, em 2005, aos 26 anos, Artur tornou-se conhecido entre os matemáticos por conseguir provar a "Conjectura dos dez martínis", problema proposto em 1980 pelo norte-americano Barry Simon. Simon prometeu pagar dez doses de martini a quem explicasse sua teoria sobre o comportamento dos "Operadores de Schrödinger", ferramentas matemáticas ligadas à física quântica. Artur solucionou o problema junto com a matemática Svetlana Jitomirskaya[7] e ganhou de presente algumas rodadas de martíni.[8] [9]

Dentre outros Ávila trabalhou com Marcelo Viana, Mikhail Lyubich e Jean-Christophe Yoccoz. Em 2005 provou com Viana uma hipótese de Maxim Kontsevich e Anton Zorich sobre os expoentes de Lyapunov do fluxo de Teichmüller sobre o espaço módulo de diferenciais de Abel sobre superfícies de Riemann compactas (isto é, que os expoentes de Lyapunov não-triviais são todos distintos).[10]

Honrarias[editar | editar código-fonte]

Ávila foi agraciado com o Prêmio Salem em 2006, o Prêmio EMS em 2008 e o Prix Jacques Herbrand de 2009. Foi convidado para apresentar uma conferência plenária no Congresso Internacional de Matemáticos de 2010.[11] Recebeu uma Medalha Fields de 2014, considerada o "Nobel de Matemática", pelos seus trabalhos em teoria de sistemas dinâmicos,[12] tornando-se o primeiro latino-americano a conseguir tal premiação.[13] [14]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

É casado com a economista gaúcha Susan Schommer, que faz pós-doutorado no IMPA.[15]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Elon Lindenstrauss, Ngô Bảo Châu, Stanislav Smirnov e Cédric Villani
Medalha Fields
2014
com Manjul Bhargava, Martin Hairer e Maryam Mirzakhani
Sucedido por