Cíntia Moscovich

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cíntia Moscovich (Porto Alegre, 15 de março de 1958) é uma escritora e jornalista brasileira, mestre em Teoria Literária e ministrante de oficinas literárias.

Carreira literária[editar | editar código-fonte]

Conquistou o primeiro lugar no Concurso de Contos Guimarães Rosa, instituído pelo Departamento de Línguas Ibéricas da Radio France Internationale, de Paris, ao qual concorreu com mais de mil e cem outros escritores de língua portuguesa.

Em 1996, a autora publicou sua primeira obra individual, Reino das Cebolas, uma co-edição da Prefeitura Municipal de Porto Alegre e da Editora Mercado Aberto, que mereceu a indicação ao Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro. O livro foi reeditado em 2002 em pocket pela L&PM Editores, de Porto Alegre. Um dos contos que integram a coletânea foi traduzido para o inglês, e faz parte de Jewish Voices in Brazilian Literature: A Prophetic Discourse of Alterity, uma antologia organizada por Nelson H. Vieirae que reúne escritores brasileiros de ascendência judaica.

Em 1998, pela L&PM Editores, lançou a novela Duas iguais, que recebeu o Prêmio Açorianos de Literatura, na modalidade de Narrativa Longa, em 1999. O livro foi reeditado pela Record em 2004.

Em outubro de 2000, também pela L&PM Editores, lançou o livro de contos Anotações durante o incêndio, que tem apresentação de Moacyr Scliar e reúne onze textos de temáticas diversas, com destaque ao judaísmo e à condição feminina, merecendo outra vez o Prêmio Açorianos de Literatura.

Em setembro de 2004, lançou Arquitetura do arco-íris, reunião de contos, e que mereceu o terceiro lugar na categoria de contos e crônicas do Prêmio Jabuti de Literatura, além de ser uma das dez finalistas ao Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira, e uma das três finalistas à primeira edição do Prêmio Bravo! Prime de Cultura de 2005.

Em novembro de 2006 lançou o romance Por que sou gorda, mamãe?, narrativa em primeira pessoa que explora os pontos comuns entre obesidade, judaísmo, humor e relações familiares.

Também participou de antologias, como Geração 90: manuscritos de computador, que reúne os melhores contistas surgidos na última década, cuja seleção foi realizada por Nelson de Oliveira, e publicada em 2001 pela Boitempo Editorial.

Em 2003 integrou 13 dos melhores contos de amor da literatura brasileira, da Ediouro, com organização de Rosa Amanda Sztraus e Ficções Fraternas, organizado por Lívia Garcia-Roza e publicado pela Record. Também integrou O viajante transcultural: leituras da obra de Moacyr Scliar (Edipucrs, 2004), organizada por Regina Zilberman e Zilá Bernd, além de Contos para ler em viagem, organizado por Miguel Sanches Neto para a editora Record, em 2005. É uma das autoras do volume Contos do novo milênio, organizado por Charles Kiefer e lançado pelo Instituto Estadual do Livro, em 2005.

Em Portugal, participou da coletânea Putas: novo conto português e brasileiro, da editora Quasi. Também em Portugal, foi publicado Duas iguais e, proximamente, Arquitetura do arco-íris, pela editora Pergaminho. Também faz parte da antologia 25 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira, organizada por Luiz Ruffato, publicado pela Record.

Na Itália, integra a antologia Sex'n'bossa, organizado por Patrizia Di Malta e lançado pela editora Mondadori em 2005.

Ex-diretora do Instituto Estadual do Livro, órgão da Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul, a autora trabalhou como editora de livros do jornal Zero Hora, de Porto Alegre, além de colaborar para jornais e revistas de todo o Brasil. Por que sou gorda, mamãe foi ser publicado em setembro de 2006, pela Record. Em outubro de 2006, participou da Copa da Cultura, na Embaixada Brasileira em Berlim.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Reino das Cebolas, contos, 1996 (L&PM) – indicado ao Prêmio Jabuti
  • Duas iguais, novela, 1998 (L&PM) e 2004 (Record)
  • Anotações durante o incêndio, contos, 1998 – Prêmio Açorianos na categoria de Contos
  • Arquitetura do arco-íris, contos, 2004 (Record) – Prêmios Portugal Telecom e Jabuti de 2005.
  • Por que sou gorda, mamãe?, romance, 2006 (Record)
  • Mais ou menos normal, romance infanto-juvenil, 2006 (Publifolha)
  • Essa coisa brilhante que é a chuva?, contos, 2012 (Record)

Participação em antologias[editar | editar código-fonte]

  • Geração 90: manuscritos de computador (2001, São Paulo: Boitempo Editorial) – organização de Nelson de Oliveira
  • 13 dos melhores contos de amor da literatura brasileira (Rio: Ediouro, 2003) – organização de Rosa Amanda Sztraus
  • O dever da memória: o levante do Gueto de Varsóvia (Porto Alegre: AGE, 2003) – organização de Abrão Slavutzky
  • Ficções Fraternas (Rio: Record, 2004) – organização de Lívia Garcia-Roza
  • 25 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira (Rio: Record, 2004) – organização de Luiz Ruffato
  • O viajante transcultural - leituras da obra de Moacyr Scliar (Porto Alegre: Edipucrs, 2004) – organização de Regina Zilberman e Zilá Bernd
  • Contos para ler em viagem (Rio: Record, 2005) – organização de Miguel Sanches Neto
  • Contos do novo milênio, organização de Charles Kiefer (Porto Alegre: IEL, 2005)
  • O livro dos sentimentos (Rio: Guarda-Chuva, 2006) – organização de Márcio Vassallo e Maria Isabel Borja
  • Os 100 menores contos do século (São Paulo: Ateliê Editorial, 2005) – organização de Marcelino Freire
  • Contos de bolso (Porto Alegre: Casa Verde, 2005) – organização de Laís Chaffe
  • 69/2 Contos eróticos (Belo Horizonte: Leitura, 2006) – organização de Ronald Claver
  • Contos de bolsa (Casa Verde, 2006) – organização de Laís Chaffe
  • O dia que virou noite (Guarulhos: Leitura, 2007) &Gjand; organização de Lorenzo Kwanth

Publicações no exterior[editar | editar código-fonte]

Em antologias[editar | editar código-fonte]

Itália
  • Sex'n'bossa: antologia de narrativas eróticas brasileiras (Mondadori, 2005) – organização de Patrizia di Malta.
Portugal
  • Putas: novo conto português e brasileiro (Quasi, 2002) – organização de Marcelino Freire e outros
Estados Unidos
  • Concedida formalmente a autorização para a publicação do conto Sheine Meidale no volume Jewish Writing in the Contemporary World: Brazil (University of Nebraska Press) – organização de Nelson H. Vieira

Livros individuais[editar | editar código-fonte]

Portugal
  • Duas iguais (Pergaminho, selo Pena da Pavão, 2006).
  • Em breve, pela mesma editora, deverá ser publicado o livro de contos Arquitetura do arco-íris, já contratado.
Espanha
  • O romance Duas iguais acaba de ser contratado pela editora Tusquets, com edição prevista para o mês de novembro de 2007.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]