Castlevania: The Adventure

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Castlevania: The Adventure
Capa da versão norte-americana.
Produtora Konami
Editora(s) Konami
Plataforma(s) Game Boy
Série Castlevania
Data(s) de lançamento
Gênero(s) Jogo de plataforma
Modos de jogo Single player
Média Cartucho de 512-kilobit

Castlevania: The Adventure[2] , conhecido no Japão como Dracula Densetsu (ドラキュラ伝説, Dorakyura Densetsu?, lit. "Lenda do Dracula"), é o primeiro jogo da séri Castlevania lançado para um Game Boy. Ele foi lançado no Japão em 27 de outubro de 1989 e nos EUA em dezembro de 1989. Foi também re-lançado como parte do Konami GB Collection Vol.1, que foi publicado como uma compilação para Super Game Boy, no Japão, e para Game Boy Color, na Europa.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

O jogador controla Christopher Belmont, que é o bisavô de Simon Belmont.[3] O jogo consiste de quatro estágios e ao contrário de outros jogos de Castlevania, não existem armas secundárias, assim, os Corações são usados para restaurar vida.[1] O jogador possui três vidas, o que resulta fim de jogo quando acabada as três.[3] Armas podem ser modificadas para melhor, como o chicote virando uma corrente de ferro ou de fogo, mas qualquer dano do inimigo irá desfazer a modificação de armas alteradas.[3] No fim de cada nível, existe um "Primary Evil" para enfrentar.[2] Os jogadores podem utilizar de cristais, corações e crucifixos de ouro.[2] Existe também um contador de pontos que, quando chega à marca de 10.000 pontos, o jogador recebe uma vida extra e também receba uma para cada 20.000 após isto.[2] Cada estágio também possui um tempo limite para completar o nível.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Dracula desperta de seu sono centenário, pensando que não para que temer a família Belmont. Ele estava enganado: Christopher Belmont lhe prova isto. Acontecendo em 1576, Christopher Belmont parte viagem para destruir o Dracula.[1] Durante a batalha com Christopher, Dracula sente que o melhor a fazer é fugir. Ele não teve chances contra o Belmont, então decidiu esperar uma nova oportunidade para atacar, que ocorre quinze anos após o combate.[4] Na conclusão do jogo, Dracula é derrotado e seu castelo destruído.[5] [6]

Recepção na mídia e legado[editar | editar código-fonte]

Castlevania: The Adventure gerou matérias favoráveis e negativas. O jogo foi classificado como difícil em alguns casos, devido aos níveis longos demais e o fato de se possuir somente três vidas no começo. Os gráficos foram elogiados como "competentes" e a música bem composta com melodia memorável.[3] A IGN disse que ele possuía um design básico, sem chefes familiares e nada original.[1]

Uma série de gibis foi lançada em 2005 pela IDW Publishing chamado Castlevania: The Belmont Legacy, onde foi centralizado o personagem Christopher Belmont.[7]

Referências

  1. a b c d Mark Bozon. Castlevania: The Retrospective (em inglês). IGN.
  2. a b c d e In: Konami Inc.. Manual de instruções de Castlevania: The Adventure' (em Inglês). [S.l.]: Konami Inc.. 6 p. DMG-CV-USA
  3. a b c d Castlevania: The Adventure (1989) (em inglês). GameSpy.
  4. Castlevania: The Adventure na TheCastlevaniaDungeon (em inglês). http://castlevania.classicgaming.gamespy.com/dungeon.html TheCastlevaniaDungeon].
  5. In: Konami staff. Castlevania II: Belmont's Revenge instruction manual (em Inglês). [S.l.]: Konami, 1991. 11 p. ???-CW-USA
  6. Ending de Castlevania: The Adventure. VGMuseum.com.
  7. Castlevania: The Belmont Legacy. GameSpy (2005-01-01). Página visitada em 2008-07-13.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]