Crash Bandicoot (jogo eletrônico)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Crash Bandicoot
Capa da versão norte-americana para PlayStation
Desenvolvedora Naughty Dog
Publicadora(s) Sony Computer Entertainment
Universal Interactive Studios
Distribuidora Sony Computer Entertainment
Designer Jason Rubin (diretor)
Andy Gavin (programador)
Escritor(es) Andrew S. Gavin
Compositor(es) Josh Mancell
Motor Game Oriented Object Lisp [1] [2] [3]
Plataforma(s) PlayStation, PlayStation Network
Série Crash Bandicoot
Data(s) de lançamento Playstation
Gênero(s) Plataforma
Modos de jogo Single Player
Número de jogadores 1
Classificação Permitido para todas as idades i ESRB (América do Norte)
Permitido para todas as idades i OFLCA (Austrália)
Inadequado para menores de 6 anos i USK (Alemanha)
Permitido para maiores de 3 anos, especialmente a faixa de 3-10 anos ELSPA (Reino Unido)
Média CD-ROM
Idioma Inglês

Crash Bandicoot é o primeiro jogo da série de mesmo nome. Foi lançado pela Naughty Dog para o PlayStation 1 em 31 de agosto de 1996 na América do Norte, em novembro do mesmo ano na Europa e em 6 de dezembro no Japão.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

O jogo se passa nas fictícias ilhas Nsanity, um arquipélago situado na costa noroeste da Austrália (ver início do Crash Bandicoot 3 onde a nave do Dr. Neo Cortex cai na ilha) e possui 32 fases, sendo seis delas de chefes e duas fases secretas. Com exceção dos chefes, todas as fases contém caixas a serem quebradas. Se todas as caixas forem quebradas e o jogador chegar ao final da fase sem morrer, ou morrer antes do primeiro check point da fase, ganhará um diamante. Esses diamantes são importantes porque habilitam o final secreto na fase "The Great Hall" ("O grande salão"). As caixas podem conter vários itens úteis, como Frutas Wumpa, Moedas (Figuras) de Bônus que são do Dr. Neo Cortex (só tem apenas 2 e serve para abrir as fases secretas), Dr. Nitrus Brio e da Tawna, Moedas (Figuras) de Crash e Máscaras de Aku Aku.

Enredo[editar | editar código-fonte]

História[editar | editar código-fonte]

Os cientistas do mal Neo Cortex e Nitrus Brio, planejam criar um exército de animais mutantes para dominarem o mundo. Apesar dos avisos do Dr. Nitrus Brio de que a máquina (chamada Vórtice de Cortex) ainda estava incompleta, Cortex ainda quer testá-la em mais um animal (o Crash Bandicoot, nosso futuro herói). Como foi previsto, o experimento falhou e Crash não adquiriu a maldade. Crash então foge do castelo, mas deixando Tawna para trás. Ela também é alterada e aprisionada para observação no castelo de Cortex, e agora cabe a Crash voltar ao castelo, derrotar os cientistas e seus capangas e salvar Tawna.

Final secreto[editar | editar código-fonte]

Depois de pegar todos os diamantes e de pular de gema em gema da fase The Great Hall, Crash e Tawna fogem voando num urubu, e depois disso, há um epílogo que conta o que aconteceu com cada chefe após a derrota de Cortex, transcrito logo abaixo:

  • Papu Papu: Papu Papu vendeu as ruínas do castelo de Cortex para um construtor de resorts. Ele então utilizou os procedimentos para abrir uma gigantesca loja de souvenirs na ilha.
  • Ripper Roo: Depois de uma intensa terapia e oito anos de uma melhor educação, o Dr. Ripper Roo começou a escrever o renomado livro "Através dos olhos do Vórtice: Um rápido estudo sobre a evolução e suas consequências".
  • Koala Kong: Koala Kong se mudou para Hollywood e lá assinou um contrato de cinema de proporções universais. Atualmente ele está trabalhando com um logopedista para melhorar sua dicção.
  • Pinstripe: Pinstripe se mudou para Chicago, onde agora é presidente de uma grande companhia de saneamento. Ele está guardando dinheiro para sua vindoura campanha governamental.
  • Dr. Nitrus Brio: Depois do desaparecimento de seu mentor, o cientista Nitrus Brio redescobriu sua verdadeira vocação: ser garçom.
  • Dr. Neo Cortex: Nunca mais se ouviu falar de Cortex depois que Crash arruinou seus planos… Mas cientistas do mal são mais difíceis de se esmagar que baratas.

Personagens[editar | editar código-fonte]

O protagonista da história e do personagem jogável é Crash Bandicoot, um marsupial heróica, ágil e mutante que precisa salvar sua namorada Tawna. O principal antagonista é doutor Neo Cortex, um cientista louco que foi muitas vezes ridicularizado pela comunidade científica por suas bizarras (mas quase viável) teorias e agora está motivado para provar seus algozes errado, criando um exército mutante de animais para conquistar o mundo. Capanga Cortex é doutor Nitrus Brio, o criador insegura do Evolvo-Ray. Interesse de Crash amor é Tawna, uma bandicoot fêmea prestes a sofrer experimentação pelos médicos. Crash ajudando em sua jornada é um espírito antigo médico bruxo chamado Aku Aku, que espalhou máscaras de si mesmo em todas as ilhas para conceder poderes especiais Crash. Os vilões do jogo incluem Papu Papu, o chefe de obesos e de pavio curto da aldeia natal; Ripper Roo, um canguru demente com afiadas unhas; Koala Kong, um coala muscular, mas pouco inteligente, e Potoroo Riscas, a metralhadora empunhando guarda-costas de doutor Cortex Todos os personagens são dublados por Brendan O'Brien.

Inimigos[editar | editar código-fonte]

  • Papu Papu: Papu Papu é um chefe de uma tribo de índios que vive em N. Sanity Beach. Ele não é do lado de Cortex mas Crash invade seu território, fazendo ele e seus índios o atacarem. Crash ganha de Papu Papu pulando na cabeça dele, desviando de seus ataques, que ele faz com um cajado. Crash vence os outros índios com um javali das criações de javalis da tribo.
  • Ripper Roo: Ripper Roo é um experimento, realizado da maquína Vortíce de Cortex. Ele é um Canguru azul e louco, que fica no topo de uma cachoeira da Ilha Wumpa. Fica pulando na arena, e Crash o derrota pulando nas TNTs (Na verdade são big TNTs).
  • Koala Kong: Um coala muito forte, assim como Ripper Roo foi um experimento da máquina de Cortex. Ele é a última fase da Ilha Wumpa, em minas de lava. Crash desvia dos seus ataques, que ele faz jogando pedras, também desvia das TNTs e derrota Koala Kong revidando o ataques de pedras.
  • Prinstripe: Um rato gangster, eleito por Cortex, chefe da área Cortex Power da Ilha de Cortex. Usa uma poderosa metralhadora para acabar com Crash. mas ele desvia dos seus ataques, fazendo ele atirar no centro, dando-se por vencido-o.
  • Dr. Nitrus Brio: Parceiro de Cortex e seu melhor amigo. Tem dois parafusos na cabeça e se veste de verde tendo o mesmo tamanho de Cortex. Usa seus experimentos contra Crash e no final toma outro frasco e fica muito forte. Mas Crash o derrota.
  • Dr. Neo Cortex: O vilão fica em seu dirigível, atirando com sua arma a laser. Mas o lazer verde pode ser revertido para seu lançador, fazendo-o Cortex ser derrotado e cai de seu dirígível. Após as fases o seu castelo ficou em chamas, assim como seus planos. Mas vilões, não são faceis de derrotar…

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Crash Bandicoot foi criado pelos fundadores da Naughty Dog: Andrew Gavin e Jason Rubin. O desenvolvimento do jogo começou em agosto de 1994, quando Gavin e Rubin contrataram Charles Zembillas e Joe Pearson para ajudar a criar a aparência do personagem principal.

O jogo começou a ser desenvolvido na Califórnia, e depois foi movido para Massachusetts. O personagem principal se chamaria Willy Wombat, mas seu nome foi mudado para Crash Bandicoot. A Sony se tornou a distribuidora oficial do jogo em março de 1995, e o jogo foi anunciado ao público em maio de 1996, na Electronic Entertainment Expo.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crash Bandicoot recebeu avaliações favoráveis dos críticos. Game Revolution comparou fortemente o jogo com Donkey Kong Country e acrescentou que "tudo está muito bem estruturado, com alguns dos melhores controles que eu já vi ou senti em um jogo. Os gráficos são mais suaves e nítidas do que em outros títulos de Playstation. Mas como um jogo de plataforma, ele não tem nada de realmente novo ou revolucionário". IGN observou que "fundos lindos e animação suave e sedosa, fazem deste um dos títulos mais bonitos disponíveis para o PlayStation. O controle é muito bom, embora seja um pouco lento em alguns dos níveis." Zach Meston do GameSpot disse que o jogo era "tão plano quanto atropelamentos em uma rodovia de quatro pistas", mas observou que o jogo tem "ambientes de selva brilhantemente coloridos e complexos que possuem verdadeira diversidade de forma e textura".

Em novembro de 2003, Crash Bandicoot vendeu aproximadamente 6,8 milhões de unidades em todo o mundo, tornando-se o jogo de PlayStation mais vendido de todos os tempos. O sucesso do jogo resultou em um relançamento para a linha Sony Greatest Hits em 15 de setembro de 1997 e para o Platinum Range em março de 1998. Crash Bandicoot foi o primeiro jogo não-japonês a receber um "Prêmio de Ouro" no Japão por vender mais de 500.000 cópias. O jogo passou quase dois anos na lista do NPD dos 20 jogos mais vendidos do PlayStation, e só saiu desse top 20 em setembro de 1998.

Histórico de lançamentos[editar | editar código-fonte]

Celular[editar | editar código-fonte]

  • A versão para celulares foi desenvolvida pela Kaolink e lançada em 2003. É um jogo de plataforma em 2D que se parece muito com os jogos da série lançados para Game Boy Advance. As frutas Wumpa, gemas e cristais podem ser coletados pelos níveis.

Esta versão possui 18 fases, que trazem vários elementos característicos da série. Não há checkpoints ou vidas extras, se você morrer, volta ao início da fase. É um bom jogo para celulares, especialmente para a época em que foi lançado.

O game tambêm está disponível para o smartphone xperia play.

PlayStation Network[editar | editar código-fonte]

No dia 4 de dezembro de 2006, Crash Bandicoot tornou-se disponível como um jogo para download na PlayStation Store (um serviço on-line acessível através do PlayStation Portable e do PlayStation 3). O jogo é um port direto, por isso não foram feitas alterações a ele.

Este jogo é um dos primeiros a fazer parte deste serviço, junto com Tekken 2, Cool Boarders, Syphon Filter e Hot Shots Golf 2.

Referências culturais[editar | editar código-fonte]

  • O nível "Rolling Stones" é intitulado em homenagem à banda de mesmo nome.
  • O nome do nível "Up the Creek" é baseado no filme Corrida na Correnteza, de 1984.

Sequências[editar | editar código-fonte]

Crash Bandicoot recebeu duas sequências diretas: Crash Bandicoot 2: Cortex Strikes Back e Crash Bandicoot 3: Warped,e depois um jogo de corrida de karts, Crash Team Racing, sendo que todos foram desenvolvidos pela Naughty Dog e lançados para PlayStation, sendo que Team Racing foi o último jogo da série criado pela companhia antes dela começar a desenvolver a série Jak and Daxter.

Depois de Team Racing, a Eurocom desenvolveu o último jogo da série para PlayStation, o party Crash Bash. Depois desse, vários outros jogos foram lançados de inúmeras desenvolvedoras diferentes, se tornando uma franquia multiplataforma e uma das mais vendidas de todos os tempos, com 40 milhões de cópias vendidas em 2007.

Reboot Cancelado[editar | editar código-fonte]

Em 2010, a Radical Entertainment estava desenvolvendo um Reboot da série Crash bandicoot que seria lançado em 2010 para PlayStation 3, Xbox 360, Wii e Nintendo DS com o título Crash Landed, porém, a Activision rejeitou a ideia e demitiu grande parte dos desenvolvedores, artistas e programadores, e, por conta disso, o game foi cancelado.

Referências

  1. c2. Lisp In Jak And Daxter (em inglês). Página visitada em 31 de dezembro de 2012.
  2. Gamasutra. Andy Gavin (em inglês). Página visitada em 31 de dezembro de 2012.
  3. Franz.com. Crash Bandicoot Game System (em inglês). Página visitada em 31 de dezembro de 2012.
  4. a b c Crash Bandicoot na GameFAQs. Página visitada em 11 de dezembro de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]