Espaguete

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde julho de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Espaguete preparado sem nenhum condimento ou tempero.

Espaguete ou esparguete é um tipo de Massa alimentícia cilíndrica, compacta, longa e fina. Sabendo que em Portugal se diz "esparguete" e no Brasil "Espaguete", o nome é um aportuguesamento de spaghetti, que em italiano é o diminuitivo de spago, barbante.

Há vários tipos de espaguete conforme o seu diâmetro (spaghettone, spaghettino, capellini, vermiceli, vermicelloni). Diz-se que cada italiano consome cerca de 30 quilogramas anuais de massas, enquanto que no Brasil esse consumo é da ordem de apenas 5,7 quilogramas /ano. O prato é consumido tradicionalmente com molho branco ou quatro queijos, lentilha, camarão, presunto e queijo, e por vezes com pão.

Origem[editar | editar código-fonte]

O clássico espaguete italiano à la Carbonara.

Por muito tempo se discutiu sobre que povo teria inventado o spaghetti e as massas em geral: os chineses, os árabes ou os italianos. A origem até recentemente admitida era aquela da origem árabe, na forma do spaghetti seco, a chamada Itrjia que entrou na Europa quando do domínio árabe na Sicília no século IX. Aí essa massa foi sendo mais elaborada desde sua chegada a Trabia, próxima a Palermo. A Sicília ficou sendo a "pátria" dessa iguaria até ser substituída por Nápoles já no século XVIII.

Outra teoria sobre a chegada na Itália do spaghetti atribui essa feito a Marco Polo que teria trazido essa novidade na volta de sua viagem à China entre 1271 e 1295. Hoje, sabe-se que já havia registros de spaghetti e maccheroni (macarrão) na península anteriores a essa data.

Pesquisas do Instituto de Geologia e Geofísia da Academia de Ciências de Beijing [1] sob o comando do Prof. Houyuan Lu mostraram que, embora os mais antigos registros escritos em chinês acerca do spaghetti datassem dos anos 25 a 220 DC, durante a Dinastia "Han Oriental", essa massa alimentícia era bem mais antiga. Houyauan Lu escavava no sítio arqueológico de Lajia (junto ao Rio Amarelo, em Haidong, província Qinghai, noroeste da China) da cultura Qijia, onde teria se iniciado a civilização Chinesa. O local fora destruído por um terremoto seguido de inundação no final do Neolítico. Ali, um recipiente soterrado sob diversas camadas de argila continha um fio cilíndrico, espesso em diâmetro e com cerca de meio metro de comprimento, feito de milheto. Tratava-se de um precursor do spaghetti. Os árabes teriam sido apenas o veículo da entrada na Europa dessa invenção chinesa.[2]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Revista "Nature" - Reino Unido, outubro de 2005
  2. "A rainha que virou pizza" - autor: José Antônio Dias Lopes - Cia. Editora Nacional 2007
Ícone de esboço Este artigo sobre culinária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.