Festival Internacional de Quadrinhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
FIQ
Festival Internacional de Quadrinhos
Festival Internacional de Quadrinhos.png
Primeira edição 1999
Local(is) Belo Horizonte
Realização Prefeitura de Belo Horizonte
Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte
Página oficial fiqbh.com.br

O Festival Internacional de Quadrinhos é realizado em Belo Horizonte a cada dois anos e já foi eleito o principal evento de histórias em quadrinhos no Brasil.[1] Em 2011 superou a marca de visitantes de eventos como a Comic-Con em San Diego e passou a ser considerado o maior evento de quadrinhos da América.[2]

Embora sua programação varie de edição para edição, reúne, geralmente, convidados de relevância nacionais e internacionais, exposições, lançamentos, feira de publicações, sessões de vídeo, oficinas, palestras, mesas redondas e outras atividades.

História[editar | editar código-fonte]

A primeira edição do FIQ, em 1999, substituiu o evento anterior, a Bienal Internacional de Quadrinhos, cuja derradeira edição também foi realizada na capital mineira, em 1997.

Em 2001 a segunda edição do evento foi realizada na casa de shows Matrix, no Terminal turístico JK.[3]

Em 2003 o evento foi realizado pela primeira vez na Casa do Conde de Santa Marinha, casario antigo e ex-sede da Estrada de Ferro Central do Brasil.[4] O homenageado foi o mineiro Mozart Couto, que assinou o cartaz do evento e recebeu uma exposição com uma retrospectiva de suas obras desde 1979.[5] Essa edição marcou a estréia da Maratona de Quadrinhos, um projeto destinado aos educadores, que coloca os quadrinhos como ferramenta de ensino.[6] A edição trouxe ainda o desenhista inglês David Lloyd, da série escrita por Alan Moore, "V de Vingança".[7]

A quarta edição do evento foi realizada entre 5 e 9 de outubro de 2005, novamente na Casa do Conde.[8] O premiado quadrinista paulista Lourenço Mutarelli foi o principal homenageado do evento,[9] com uma grande exposição com 110 trabalhos originais, abrangendo toda a sua carreira.[10]

Em 2007 o evento voltou a ser realizado na Serraria Souza Pinto e celebrou o centenário da imigração japonesa no Brasil promovendo inclusive, duas exposições com essa temática: "Nouvelle Mangá" e "Dreamland".[11]

A edição de 2009 do evento foi realizada entre os dias 6 e 12 de outubro nas dependências do Palácio das Artes e recebeu cerca de 75 mil pessoas.[12] O evento fez parte do Ano da França no Brasil e homenageou o desenhista Renato Canini e a ilustradora Ciça Fittipaldi.[13] No ano seguinte, o festival recebeu o Troféu HQ Mix pelo júri técnico, como o melhor evento do Brasil na área dos quadrinhos e humor gráfico.[1]

Em 2011, o evento foi realizado na Serraria Souza Pinto e recebeu cerca de 148 mil pessoas,[14] [15] superando o recorde de público da ultima edição da Comic-Con, realizada em San Diego em 2010, que teve 130 mil visitantes.[16] O sucesso do evento lhe rendeu o título de maior evento de quadrinhos da América, por parte do blog britânico Bleeding Cool.[2] [17] A sétima edição do evento teve como convidado de honra o cartunista Maurício de Souza e homenageou a produção em quadrinhos da Coréia do Sul.[18] Ainda em referência ao país asiático, os restaurantes populares de Belo Horizonte serviram durante o evento, pratos inspirados na culinária coreana, preparados por chefes especializados.[19]

Em 2013, o evento foi novamente realizado na Serraria Souza Pinto, entre os dias 13 e 17 de de novembro[20] ,

Homenageados[editar | editar código-fonte]

A cada edição, a coordenação do festival elege um convidado de honra e, até 2011, um país homenageado. Eis a lista de convidados e países:

Referências

  1. a b 6º Festival de Quadrinhos recebe Troféu HQMIX. Jornal Hoje.
  2. a b JOHNSTON, Rich (12 de dezembro de 2012). The Biggest Comic Convention In America… Is In South America? (em inglês). Bleeding Cool.
  3. 2º Festival Internacional de Quadrinho. Omelete (9 de outubro de 2001).
  4. MARTINS, Jotapê (5 de setembro de 2003). 3º Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte. Omelete.
  5. GUSMAN, Sidney. FIQ: entre vários acertos e alguns erros, o maior evento de quadrinhos do Brasil (Parte 1). Universo HQ.
  6. GUSMAN, Sidney. FIQ: entre vários acertos e alguns erros, o maior evento de quadrinhos do Brasil (Parte 2). Universo HQ.
  7. MARTINS, Jotapê (19 de setembro de 2003). Atrações internacionais no festival de quadrinhos de Belo Horizonte. Omelete.
  8. Conceito Editora Casa21
  9. AGUIAR, José (30 de setembro de 2005). Vem aí o 4º FIQ - Festival Internacional de Quadrinhos. Omelete.
  10. MACHADO, Rober (17 de outubro de 2005). O que rolou no 4º FIQ - Festival Internacional de Quadrinhos. Omelete.
  11. HESSEL, Marcelo (11 de outubro de 2007). BH recebe a partir de terça o 5º Festival Internacional de Quadrinhos. Omelete.
  12. FARIAS TEIXEIRA, Rafael. O poderoso mercado nerd. PEGN.
  13. 6º Festival Internacional de Quadrinhos em BH. HQ Maniacs (23/09/2009).
  14. a b O FIQ quebra tudo!. FIQ (15 de novembro de 2011).
  15. Retrospectiva 2011: Quadrinhos a todo vapor no Brasil.
  16. WEISBERG, Lori (22 de novembro de 2010). Comic-Con registration crashes for second time. San Diego Union-Tribune.
  17. Sucesso do FIQ ainda repercute e festival é citado em blog britânico. Portal PBH (16 de dezembro de 2011).
  18. GAZIRE, Nina (3 de novembro de 2011). 7º Festival Internacional de Quadrinhos de BH. Select.
  19. Festival Internacional de Quadrinhos tem início hoje em BH. Folha de Venda Nova (9 de novembro de 2011).
  20. http://www.fiqbh.com.br/contato/
  21. http://www.fiqbh.com.br/homenageado/

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Festival Internacional de Quadrinhos