Ihlara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Turquia Ihlara  
—  Vila (köy)  —
O Vale de Ihlara
O Vale de Ihlara
Ihlara está localizado em: Turquia
Ihlara
Localização de Ihlara na Turquia
38° 14' 40" N 34° 18' E
Região Anatólia Central
Província Aksaray
Distrito Güzelyurt
Administração
 - Prefeito Dursun Kaya (2009, AKP)[1]
Altitude 1 300 m (4 265 pés)
População (2009)[2]
 - Total 2 808
Fuso horário EET (UTC+2)
 - Horário de verão EEST (UTC+3)
Código postal 68xxx
Prefixo telefónico 0382
Sítio Prefeitura: www.ihlara.bel.tr

Ihlara é um município do distrito (em turco: ilçeler) de Güzelyurt, da região histórica e turística da Capadócia, da província de Aksaray e da região da Anatólia Central da Turquia. Em 2009 a sua população era de 2 808 habitantes.

A área é famosa pela beleza natural e pelas habitações e igrejas trogloditas bizantinas do Vale de Ihlara (em turco: Ihlara Vadisi).[nt 1] A vila situa-se na margem do rio Melendiz, a cerca de 30 km (35 km por estrada) em linha reta a sudeste de Aksaray e a cerca de 60 km (72 km por estrada) a sudoeste de Nevşehir.

Vale de Ihlara[editar | editar código-fonte]

O vale de Ihlara é uma garganta com 16 km de comprimento, escavada na rocha vucânica pelo rio Melendiz. A rocha resultou de milhões de anos de erupções dos vulcões Erciyes[nt 1] e Hasan,[nt 2] que deram origem à paisagem característica da Capadócia. A garganta começa junto à vila e termina junto a Selime, a noroeste. No extremo norte de de Ihlara, uma escadaria com 400 degraus e mais de 100 metros de desnível dá acesso ao fundo da garganta.[3] [nt 2]

Devido à abundância de água e de esconderijos naturais, a região foi um dos primeiros refúgios dos cristãos que fugiam às perseguições romanas.[nt 2]

Igrejas do Vale de Ihlara e Belisırma[editar | editar código-fonte]

Desde o século VII que o vale foi a residência de monges bizantinos que escavaram os seus mosteiros e igrejas no tufo. A área entre Ihlara e Belisırma, onde se encontram cerca de cinquenta igrejas,[nt 2] era então conhecida por Peristrema e parece ter sido pouco afetada pelas disputas turbulentas do período iconoclasta. A decoração das igrejas mostra influências orientais e ocidentais, nomeadamente nas roupas das figuras retratadas, que nuns casos vestem longos robes árabes, ora usam vestes similares às que se encontram nos frescos bizantinos da Europa.[3]

As igrejas de Peristrema podem dividir-se em dois grupos. As igrejas do primeiro grupo, mais próximas de Ihlara, são quase todas anteriores ao período iconoclasta (séculos VIII e IX), embora muitas tenham pinturas de épocas posteriores. As do segundo grupo, mais próximas de Belisırma, apresentam decorações de estilo bizantino dos séculos X e XI.[nt 2]

Entre as igrejas mais antigas, a sul e mais próximas de Ihlara, destacam-se as seguintes:

Vista da garganta do Vale de Ihlara.
O rio Melendiz no Vale de Ihlara.
Parte da fachada da Sümbüllü Kilise.
  • Ağaçaltı Kilise (igreja debaixo da árvore) — Escavada na rocha, é de planta cruciforme e data provavelmente do século VII.[nt 2] Originalmente tinha três andares, mas dois deles colapsaram, o mesmo tendo acontecido à sala de entrada.[3] Há vários frescos em bom estado, que resistiram às destruições de imagens do período iconoclasta.[nt 2] Um dos mais impressionantes representa os Três Reis Magos oferecendo os seus presentes na Natividade. Noutro aparece Daniel e os leões. Na cúpula central há uma cena das Ascensão de Jesus.[3] As cores dominantes são o vermelho, azul e cinzento e as imagens teem um ar naïf que sugere influências da Pérsia sassânida, algo que é mais notório num friso com grifos alados. Lamentavelmente, os frescos teem sofrido sérios estragos nos anos mais recentes.[3]
  • Pürenli Seki Kilise — Situada numa ravina, a 30 m de altura, tem frescos em mau estado, que representam sobretudo cenas da vida de Jesus.[3]
  • Yilanli Kilise (igreja da serpente) — De planta em cruz, apresenta a particularidade de ter uma abside de grande dimensão. O nártex está decorado com representações do inferno datadas do século IX, que incluem pecadores nus entrelaçados em monstros com aspeto de serpentes.[nt 2] Quatro mulheres pecadoras são mordidas pelos monstros, uma delas nos mamilos como castigo por não ter amamentado os seus filhos, outra é possuída por oito serpentes, as outras duas são punidas por caluniarem e não darem ouvido aos bons conselhos. No centro encontra-se uma das raras representações de Satanás da Capadócia. Em cada uma das cabeças de serpente há uma alma condenada ao Inferno.[3]
  • Sümbüllü Kilise (igreja do jacinto) — Data provavelmente do século X. A planta em T denota a transição para o estilo bizantino mais tardio,[nt 2] com forte influência grega.[3] As pinturas das paredes mostram, entre outros, o imperador Constantino e a sua mãe Santa Helena. A decoração de uma das fachadas apresenta influências orientais.[nt 2]

Entre as igrejas do segundo grupo, a norte e mais próximas de Belisırma, destacam-se as seguintes:

IhlaraTal.jpg
  • Kırkdamaltı Kilise (igreja dos quarenta telhados ou de São Jorge) — Dedicada a esse santo por Basílio Giagoupes, um emir cristão ao serviço do sultão seljúcida de Rum Mesud II, tem uma inscrição que expressa a gratidão dos cristãos pela tolerância religiosa dos seljúcidas[3] e onde consta que a igreja foi construída entre 1283 e 1295, o que faz dela a mais recente do vale.[nt 2] Um dos frescos mostra São Jorge flanqueado por Basílio Giagoupes e pela mulher deste, Tamar, uma princesa da Geórgia, que oferece um modelo da igreja ao santo.[3] São Jorge veste uma uma armadura, um escudo triangular e um capucho,[3] Basílio tem um turbante e vestes seljúcidas. Junto a esse fresco há uma inscrição que refere o imperador bizantino Andrónico II Paleólogo e Mesud II.[nt 2] O fresco ao lado representa São Jorge matando uma serpente de três cabeças, com uma inscrição acima onde se lê "expia os pecados da minha alma".[3] No século XIX, a igreja foi reutilizada pela comunidade cristã grega da região.[nt 2]
  • Karagedik Kilise (igreja da fenda negra) — Construída no século XI em tijolo e traquito, tem uma abóbada em cruzaria e três colunas. Está em muito mau estado e as pinturas quase se desvaneceram.[nt 2]

Notas

  1. a b Artigo «Ihlara» na Wikipédia em inglês (acessado nesta versão).
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q Artigo «Ihlara-Tal» na Wikipédia em alemão (acessado nesta versão).

Referências

  1. Ihlara Belediyesi (em turco) www.yerelnet.org.tr YerelNET. Visitado em 2010-07-18.
  2. Address based population registration system (ABPRS) database (2009) (em inglês) www.tuik.gov.tr TURKSTAT. Visitado em 2010-07-18.
  3. a b c d e f g h i j k l m n o Ayliffe, Rosie; Dubi, Marc; Gawthrop, John; Richardson, Terry. The Rough Guide to Turkey (em ). 5. ed. [S.l.]: Rough Guides, Ltd, 2003. 670-673 pp. ISBN 1-84353-071-6.

Não usadas diretamente, mas referida no artigo «Ihlara-Tal» na Wikipédia em alemão (acessado nesta versão):

  • Mehling, Marianne. Knaurs Kulturführer in Farbe Türkei (em ). [S.l.]: Droemer-Knaur, 1987. ISBN 3-426-26293-2.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Vale de Ihlara
Vale de Ihlara.
Aldeia de Selime, no extremo noroeste da garganta do Vale de Ihlara.