Isabel da Boémia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Isabel Stuart em 1613.

Isabel ou Elizabeth, Eleitora Palatina e Rainha da Boémia (português europeu) ou Boêmia (português brasileiro) (nascida Elizabeth Stuart; Palácio de Falkland, 19 de agosto de 1596Westminster, 13 de fevereiro de 1662), foi a filha mais velha de Jaime VI da Escócia e I de Inglaterra, e da sua rainha consorte Ana da Dinamarca. Deste modo, era irmã de Carlos I da Inglaterra e prima de Frederico III da Dinamarca. Com o desaparecimento da dinastia Stuart, em 1714, os seus descendentes directos, os governantes da Casa de Hanover, sucederam no trono britânico.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Isabel foi baptizada em honra da rainha Isabel I de Inglaterra. Quando o seu pai sucedeu àquela monarca como soberano da Inglaterra e da Irlanda, Isabel tornou-se numa das noivas mais atractivas da Europa.

Parte do plano da Conspiração da Pólvora, de 1605, era pôr a pequena Isabel - de apenas 9 anos de idade - no trono da Inglaterra (e, provavelmente, também no da Escócia) como uma monarca católica, depois do assassínio do seu pai e da nobreza inglesa protestante. Enquanto a conspiração se desenrolava, ela permanecia na Coombe Abbey, no Warwickshire, um antigo palácio real adaptado a partir dum mosteiro.

No dia 13 de fevereiro de 1613, casou-se na Capela Real do Whitehall Palace, em Londres, com Frederico V, Eleitor Palatino, e membro da poderosa Casa de Wittelsbach, tomando lugar na corte deste em Heidelberg, sediada no Heidelberger Schloss, onde foi erguido um edifício em sua homenagem, o Englischer Bau (Edifício da Inglesa). Deste matrimónio viriam a nascer 13 filhos; dentre eles Sofia de Hanôver, mãe de Jorge I da Grã-Bretanha.

Em 1619, foi oferecida a Frederico a Coroa da Boémia, proposta aceite por ele. No entanto o seu reinado foi extremamente breve (entre 4 de novembro de 1619 e 8 de novembro de 1620), pelo que ficou conhecido como Rei de Inverno e Isabel como Rainha de Inverno. Isabel também foi chamada, por vezes, de "Rainha dos Corações" devido à sua popularidade. Ela está enterrada na Abadia de Westminster.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Isabel da Boémia