Isabel da Boémia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde maio de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Isabel Stuart
Rainha consorte da Boêmia
Reinado 4 de novembro de 16198 de novembro de 1620
Coroação 7 de novembro de 1619
Cônjuge Frederico V, Eleitor Palatino
Descendência
Henrique Frederico, príncipe hereditário do Palatinado
Carlos I Luís, Eleitor Palatino
Isabel do Palatinado
Ruperto, Duque de Cumberland
Maurice do Palatinado
Luísa Hollandine, abadessa de Maubuisson
Luís
Eduardo, conde Palatino de Simmern
Henrieta Maria do Palatinado
Filipe Frederico do Palatinado
Carlota do Palatinado
Sofia de Hanover
Gustavo Adolfo do Palatinado
Casa Casa de Stuart
Pai Jaime VI da Escócia e I de Inglaterra
Mãe Ana da Dinamarca
Nascimento 19 de Agosto de 1596
Palácio de Falkland, Fife, Escócia
Morte 13 de fevereiro de 1662 (65 anos)
Westminster, Londres, Inglaterra
Enterro Abadia de Westminster
Isabel Stuart em 1613.

Isabel ou Elizabeth, Eleitora Palatina e Rainha da Boémia (português europeu) ou Boêmia (português brasileiro) (nascida Elizabeth Stuart; Palácio de Falkland, 19 de agosto de 1596Westminster, 13 de fevereiro de 1662), foi a filha mais velha de Jaime VI da Escócia e I de Inglaterra, e da sua rainha consorte Ana da Dinamarca. Deste modo, era irmã de Carlos I da Inglaterra e prima de Frederico III da Dinamarca. Com o desaparecimento da dinastia Stuart, em 1714, os seus descendentes directos, os governantes da Casa de Hanover, sucederam no trono britânico.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Isabel foi baptizada em honra da rainha Isabel I de Inglaterra. Quando o seu pai sucedeu àquela monarca como soberano da Inglaterra e da Irlanda, Isabel tornou-se numa das noivas mais atractivas da Europa.

Parte do plano da Conspiração da Pólvora, de 1605, era pôr a pequena Isabel - de apenas 9 anos de idade - no trono da Inglaterra (e, provavelmente, também no da Escócia) como uma monarca católica, depois do assassínio do seu pai e da nobreza inglesa protestante. Enquanto a conspiração se desenrolava, ela permanecia na Coombe Abbey, no Warwickshire, um antigo palácio real adaptado a partir dum mosteiro.

No dia 13 de fevereiro de 1613, casou-se na Capela Real do Whitehall Palace, em Londres, com Frederico V, Eleitor Palatino, e membro da poderosa Casa de Wittelsbach, tomando lugar na corte deste em Heidelberg, sediada no Heidelberger Schloss, onde foi erguido um edifício em sua homenagem, o Englischer Bau (Edifício da Inglesa). Deste matrimónio viriam a nascer 13 filhos; dentre eles Sofia de Hanôver, mãe de Jorge I da Grã-Bretanha.

Em 1619, foi oferecida a Frederico a Coroa da Boémia, proposta aceite por ele. No entanto o seu reinado foi extremamente breve (entre 4 de novembro de 1619 e 8 de novembro de 1620), pelo que ficou conhecido como Rei de Inverno e Isabel como Rainha de Inverno. Isabel também foi chamada, por vezes, de "Rainha dos Corações" devido à sua popularidade. Ela está enterrada na Abadia de Westminster.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Isabel da Boémia