Lei dos Direitos Civis de 1964

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kennedy em seu discurso à nação pelos direitos civis.

A Lei dos Direitos Civis (Civil Rights Act, em inglês) foi o diploma legal adotado pelos Estados Unidos da América em 1964 e que pôs fim aos diversos sistemas estaduais de segregação racial, conhecidos por Leis de Jim Crow, e foi promulgada a 2 de julho de 1964, estabelecendo um marco legal naquele país.[1]

A lei teve sua proposta iniciada pelo então presidente John F. Kennedy em seu pronunciamento de 11 de junho de 1963, no qual ele pedia que fosse criada uma legislação capaz de "dar a todos os americanos o direito de serem servidos em todas as instalações abertas ao público - como hotéis, restaurantes, teatros, lojas e estabelecimentos similares", e ainda para "reforçar a proteção ao direito de voto."[nota 1] [2]

Notas e referências

Notas

  1. Livre tradução para: "giving all Americans the right to be served in facilities which are open to the public—hotels, restaurants, theaters, retail stores, and similar establishments," e de "greater protection for the right to vote."

Referências

  1. Wright, Susan (2005), A Lei dos Direitos Civis de 1964: Legislação contra a discriminação Landmark , O Rosen Publishing Group, ISBN 1-4042-0455-5
  2. Transcrição e gravação in: J. F. K. (11.6.1963). Radio and Television Report to the American People on Civil Rights, June 11, 1963. JFK Library. Página visitada em março de 2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre História dos Estados Unidos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.