Pussy Riot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pussy Riot
Pussy Riot em 2012
Informação geral
Origem Moscovo
País  Rússia
Gênero(s) Punk rock
Riot grrrl
Período em atividade 2011 - presente
Página oficial Site oficial

Pussy Riot é um grupo de punk rock feminista russo que encena, em Moscovo, performances extemporâneas de provocação política sobre temas como o estatuto das mulheres na Rússia e, mais recentemente, contra a campanha do primeiro-ministro Vladimir Putin para a presidência da Rússia.

Em março de 2012, durante um concerto improvisado e não autorizado na Catedral de Cristo Salvador de Moscovo, três mulheres da banda foram presas e acusadas ​​de vandalismo motivado por intolerância religiosa[1] . Seu julgamento começou no final de julho. Os membros da banda ganharam simpatia, tanto dentro da Rússia como internacionalmente, devido a acusações de tratamento cruel enquanto sob custódia, e um risco de uma possível sentença de prisão de sete anos, mas também foram criticados na Rússia por ofender os sentimentos das pessoas religiosas. Advogados do grupo declararam que as circunstâncias do caso reavivaram a tradição da era soviética do julgamento farsa.

Em 17 de agosto de 2012 as três integrantes foram condenadas por vandalismo motivado por ódio religioso e receberam penas de dois anos de prisão.[2]

Influências[editar | editar código-fonte]

Suas roupas usuais são vestidos de verão em cores vivas, com seus rostos sempre cobertos por balaclavas. O grupo exibe esse visual tanto em shows quando ao ser entrevistado. As artistas usam pseudônimos ao identificarem-se em entrevistas. O grupo é composto de aproximadamente 10 artistas, além de 15 assistentes técnicos encarregados de filmar e editar seus vídeos, os quais são difundidos via Internet.[3] [4] O grupo diz inspirar-se em bandas de punk rock e de Oi! como Angelic Upstarts, Cockney Rejects, Sham 69, Era e The 4-Skins.[5] [6] A banda também cita a banda americana de punk-rock Bikini Kill e o movimento Riot grrrl dos anos 1990 como inspirações. Elas declararam que: "O que temos em comum é a imprudência, letras politicamente carregadas, a importância do discurso feminista e uma imagem feminina fora do padrão".[7]

Protestos[editar | editar código-fonte]

Ação anti-governista em 2012[editar | editar código-fonte]

Em 21 de fevereiro de 2012, como parte de um protesto contra as eleições presidenciais russas de 2012, que culminaram com a reeleição de Vladimir Putin, três mulheres do grupo adentraram a Catedral de Cristo Salvador de Moscou, curvaram-se diante do altar e começaram a cantar. Menos de um minuto depois, elas foram conduzidas por guardas para fora da Catedral.[8] A filmagem do protesto foi usada posteriormente para criar um videoclipe para a música. Na música cantada na Catedral, o grupo pede à Virgem Maria (em russo Богородица, no alfabeto cirílico ou Bogoroditsa, na versão latinizada) para retirar Putin do poder. A musica também descreve o patriarca russo, Cirilo I de Moscou, como alguém que acredita em Putin ao invés de acreditar em Deus.[9] Esta referência da música remete ao fato de Cirilo I ter demonstrado abertamente apoio a Putin durante as eleições.[10]

Condenação[editar | editar código-fonte]

Em 3 de março de 2012, Maria Alyokhina e Nadezhda Tolokonnikova, duas supostas integrantes do Pussy Riot, foram presas pelas autoridades russas sob a acusação de vandalismo. A princípio, ambas negaram integrar o grupo, e iniciaram uma greve de fome por terem sido detidas e separadas de seus filhos até o início do julgamento, em abril.[11] Em 16 de março outra mulher, Ekaterina Samoutsevitch, que havia sido antes interrogada como testemunha do caso, foi igualmente presa e indiciada.[12]

Em 4 de junho de 2012 foram apresentadas acusações formais contra o grupo que compunham um processo de 2800 páginas.[13] Em 4 de julho as rés foram notificadas que teriam o prazo de até 9 de julho de 2012 para preparar suas defesas. Como resposta, as três reiniciaram a greve de fome, alegando que dois dias úteis era um prazo insuficiente para a elaboração de suas defesas.[14] Em 21 de julho o tribunal estendeu a prisão preventiva em mais seis meses.[15]

Em 17 de agosto de 2012 as três integrantes foram condenadas por vandalismo motivado por ódio religioso e receberam penas de dois anos de prisão. A Igreja Católica Ortodoxa Russa pediu às autoridades que demonstrassem misericórdia às condenadas "na esperança de que estas evitassem a repetição de ações de blasfêmia no futuro"; ao mesmo tempo, a Igreja declarou não questionar a legitimidade da decisão do tribunal.[16]

No dia 26 de agosto de 2012, o grupo punk russo havia anunciado, que duas das suas integrantes procuradas pela polícia, abandonaram a Rússia para evitar a perseguição devido ao protesto contra Vladimir Putin.[17]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. "Pussy Riot trial over Putin altar protest begins", July 30, 2012. Página visitada em 30 de Julho 2012.
  2. "Banda punk Pussy Riot é sentenciada a dois anos de prisão por vandalismo", 17/8/2012. Página visitada em 17/8/2012.
  3. Corey Flintoff (February 8, 2012). In Russia, Punk-Rock Riot Girls Rage Against Putin NPR. Visitado em 10 de Fevereiro de 2012.
  4. Miriam Elder. "Feminist punk band Pussy Riot take revolt to the Kremlin", February 2, 2012. Página visitada em August 8, 2012.
  5. Veli Itäläinen. "Pimppimellakka omin sanoin", March 26, 2012. Página visitada em 8 de agosto de 2012. (em Finlandês)
  6. Henry Langston. "A Russian Pussy Riot", March 2012. Página visitada em 8 de Agosto de 2012.
  7. Sergey Chernov. "Female Fury", February 1, 2012. Página visitada em 8 de Agosto de 2012.
  8. Mark Feigin (19 de abril de 2012). Интервью | Гости | Русская служба новостей (em russo) Rusnovosti.ru. Visitado em 8 de agosto de 2012.
  9. Pussy Riot (21 de fevereiro de 2012). Texto da música em russo (em russo) http://pussy-riot.livejournal.com.+Visitado em 31 de julho de 2012.
  10. Bennetts, Marc (13 de agosto de 2012). Na Rússia de Putin, pequena separação entre Igreja e Estado The Washington Times. Visitado em 16 de agosto de 2012.
  11. «Russian punk band Pussy Riot go on hunger strike in Moscow», 6 de março de 2012. Consultado el 8 de agosto de 2012.
  12. «Third member of 'Pussy Riot' charged over punk prayer», RT, 16 de março de 2012. Consultado el 8 de agosto de 2012.
  13. Участниц Pussy Riot официально обвинили в хулиганстве по мотивам религиозной ненависти (em ruso) rosbalt.ru (4 de junho de 2012). Visitado em 8 de agosto de 2012.
  14. Jonathan Earle (4 de julho de 2012). Pussy Riot Suspects Go on Hunger Strike The Moscow Times. Visitado em 4 de julho de 2012.
  15. Gabriela Baczynska (21 de julho de 2012). Russia extends jailing of Pussy Riot activists Reuters. Visitado em 21 de julho de 2012.
  16. "Banda feminista Pussy Riot é condenada por vandalismo", 17/8/2012. Página visitada em 17/8/2012.
  17. Duas das Pussy Riot saíram da Rússia para fugir à polícia. Visitado em 27 de agosto de 2012.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Pussy Riot
Flag of Russia.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical da Rússia, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.