Queratinócito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Células epiteliais (em vermelho, queratina).

Queratinócitos ou ceratinócitos são células diferenciadas do tecido epitelial (pele) e invaginações da epiderme para a derme (como os cabelos e unhas) de animais terrestres responsáveis pela síntese da queratina.

São as células mais presentes na epiderme (representam 80% das células epidérmicas). Os queratinócitos formam as cinco camadas da epiderme: camada basal, camada espinhosa, camada granulosa, camada lúcida e camada córnea. A camada basal é a mais profunda e é constituída por uma só camada de células cúbicas que se dispõem por cima da união dermo-epidérmica. A camada espinosa de Malpighi é constituída por múltiplas fileiras de queratinócitos, de citoplasma eosinófilo, aplanados e unidos entre si por pontes intercelulares.

A camada granulosa está por cima e é constituída por uma ou várias fileiras de células que constituem os grânulos de queratina. Por cima da camada granulosa se encontra a camada córnea em que as células perderam o núcleo e formaram a queratina (as queratinas são um complexo de proteínas entre 50 e 70.000 de peso molecular). Existem duas formas: a queratina líquida, que constitui a maior parte de queratina que cobre a superfície cutânea, e a queratina dura, que forma o pêlo e as unhas. Em certas localizações, existe una capa visível, amorfa, entre a camada granulosa e a camada córnea que se denomina estrato lúcido.

Nas aves, que apresentam origem evolucionária diferente, as células das penas sintetizam filamentos de queratina de estruturas moleculares diferentes denominadas β-queratina.

Referências[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Queratinócito
Ícone de esboço Este artigo sobre Histologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.