Ribatejo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Província do Ribatejo

O Ribatejo (também conhecido informalmente como Borda d'Água) é uma antiga província (ou região natural) de Portugal, formalmente instituída pela reforma administrativa de 1936.

História[editar | editar código-fonte]

Ao contrário de outras províncias que foram recriadas ou restauradas em 1936, o Ribatejo foi uma província criada totalmente de novo, dado que o seu território pertencia historicamente à tradicional província da Estremadura, e a designação Ribatejo fora atribuída, historicamente, à Margem Sul do Tejo (a Outra Banda, como era então chamada).

As antigas províncias portuguesas nunca tiveram qualquer atribuição prática e foram extintas administrativamente em 1959, na sequência da revisão constitucional, tendo-se mantido apenas os actuais distritos; segundo a constituição de 1976, estes deveriam dar lugar a regiões administrativas, mas a falta de acordo sobre o seu número e limites tem mantido o statu quo.

Limites e composição[editar | editar código-fonte]

O Ribatejo faz fronteira a Noroeste com a Beira Litoral, a Oeste e a Sul com a Estremadura, a Sudeste com o Alto Alentejo e a Norte e Nordeste com a Beira Interior. A sua sede e cidade mais importante é Santarém.

À data da sua criação, era constituído por 21 concelhos, integrando quase a totalidade do distrito de Santarém, e ainda dois concelhos do distrito de Lisboa e um do distrito de Portalegre. A província passou posteriormente a contar com 22 municípios, com a autonomização, em 1945, do concelho do Entroncamento, por divisão do de Vila Nova da Barquinha), distribuídos da seguinte forma:

O seu antigo território reparte-se actualmente pelas regiões do Alentejo, Centro e de Lisboa, sendo que até 2002 era o núcleo central da extinta região de Lisboa e Vale do Tejo. Em termos de subregiões, acha-se repartido pela Grande Lisboa (concelho de Vila Franca de Xira), Alto Alentejo (concelho de Ponte de Sor) e ainda pela totalidade da subregião da Lezíria do Tejo e quase todo o Médio Tejo (exceptuado o concelho de Ourém).

Geografia[editar | editar código-fonte]

Do ponto de vista geográfico, o Ribatejo está dividido em três regiões naturais: Lezíria, Bairro e Charneca.

  • A Lezíria compreende a área de planície inundável pelo rio Tejo e terrenos adjacentes, e inclui solos de aluvião, de óptima qualidade, nos quais a vinha ostenta todo o seu vigor. Nestas terras fertilíssimas para além da vinha encontram-se plantações de cereais, melão, tomate e excelentes pastagens para gado bovino e equino.
  • O Bairro surge na margem direita do Tejo (Norte do Ribatejo), com um relevo pouco acentuado, adjacente e de formações areníticas, calcárias e argilosas cujas tonalidades são variadas, podendo ir desde o esbranquiçado até aos acastanhados, vermelhos e alaranjados. Nestes solos argilosos encontram-se culturas arbustivas e arbóreas nas quais impera a oliveira que convive de perto com a vinha, o trigo e o milho.
  • A Charneca estende-se da margem esquerda do rio Tejo até ao Alentejo (Sul do Ribatejo). Nela encontra-se solos arenosos, incluindo vastas áreas de montado de sobro, bem como de eucaliptos e pinheiros. Contudo também é possível observar, em locais mais favoráveis, cultivo de cereais e vinha, bem como arroz nas zonas mais irrigadas.

Os campinos ribatejanos da Lezíria e da Charneca usam como traje de gala: camisa branca, colete encarnado, calças e capote azuis, meia branca e barrete verde com borda encarnada. Os campinos ribatejanos do Bairro usam como traje de gala: camisa branca, colete negro, calças e capote negros, meia branca e barrete negro.