Sidney Magal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sidney Magal
Informação geral
Nome completo Sidney Magalhães
Também conhecido(a) como Magal
Nascimento 19 de junho de 1953 (62 anos)
Origem Rio de Janeiro-RJ
País  Brasil
Gênero(s) Romântico
Ocupação(ões) Cantor, dançarino, ator
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade 1977 - hoje
Gravadora(s) Polydor Records
Página oficial www.sidneymagal.com.br

Sidney Magal, nome artístico de Sidney Magalhães[1] (Rio de Janeiro, 19 de junho de 1953)[2] , é um cantor, dançarino e ator brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Por seus trajes bufantes, e estilo exuberante não economizando em acessórios como argolas, correntes e coisas mais, diziam-se que Sindey Magal era cigano principalmente após o lançamento de seu grande sucesso "Sandra Rosa Madalena" e dançava em estilo meio aflamencado, típico dos ciganos que o adoravam, iam em seus shows, o prestigiavam e ainda diziam que ele tinha uma história de vida diferente da qual imaginava. Diziam que ele havia sido deixado ainda bebê na porta da casa dos pais por uma mãe cigana. Mas isto não passa obviamente de um mero folclore inventado pelo seu público cigano, por desejarem talvez que ele o fosse de fato. Coincidentemente, Sidney Magal teve um avô húngaro que era cigano mas que isso não se perpetuou. Seus avós e pais não eram ciganos e em várias entrevistas ele já desmentiu este boato. Começou a cantar em programas infantis de televisão, mais tarde trabalhando também na noite, em boates e casas noturnas. O sobrenome artístico surgiu em uma excursão pela Europa. Apareceu na mídia nos anos 70 como um cantor de músicas sensuais e românticas, causando furor entre as fãs. Seu primeiro sucesso foi um compacto com a sugestiva música "Se Te Agarro Com Outro Te Mato". Incorporando elementos da música cigana, da disco music e da música latina, se tornou popular, presença constante em programas populares de televisão.

Seu maior sucesso é "Sandra Rosa Madalena, a Cigana", muito executada em programas como de Silvio Santos e Chacrinha entre o final dos anos 70 e início dos anos 80. Um dos pontos altos de sua popularidade foi no início dos anos 90 - com a efêmera explosão da lambada, Sydney Magal tornou-se um dos maiores ícones desta época, explodindo com a música "Me Chama que eu Vou", que foi inclusive tema da novela Rainha da Sucata da Rede Globo. Também trabalhou em cinema, estrelando o filme "Amante Latino", em que interpretava a si próprio. Seus shows atraíam um público em sua maioria feminino, que ao final atacava o ídolo, buscando levar pedaços da roupa como recordação. Nos anos 90 buscou mudar um pouco a sua imagem, gravando um CD de jazz e bossa nova, acompanhado de uma orquestra. Em seguida regravou seus antigos sucessos para a coletânea "Discoteca do Chacrinha".

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio

  • 1977: Sidney Magal
  • 1978: Magal
  • 1979: O Amante
  • 1980: O Amor Não Tem Hora para Chegar
  • 1981: Quero Te Fazer Feliz
  • 1982: Magal Espetacular
  • 1983: Vibrações
  • 1984: Cara
  • 1985: Me Acende
  • 1987: Mãos Dadas
  • 1990: Magal
  • 1991: Só Satisfação
  • 1995: Sidney Magal & Big Band
  • 1998: Aventureiro
  • 2000: Baila Magal
  • 2006: Sidney Magal Ao Vivo [CD/DVD]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ana Maria Bahiana (2006). Nada será como antes: MPB anos 70 - 30 anos depois Google Books. Visitado em 3 de novembro de 2012.
  2. Sidney Magal Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Visitado em 3 de novembro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Sidney Magal