A História de Ana Raio e Zé Trovão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
A História de Ana Raio e Zé Trovão
Informação geral
Formato Telenovela
Criador(es) Marcos Caruso
Rita Buzzar
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Jayme Monjardim
Roberto Naar
Marcos Schechtman
Marcelo Travesso
Henrique Martins
Elenco Ingra Liberato
Almir Sater
Nelson Xavier
Tamara Taxman
Carlos Gregório
Micaela Góes
Maurício do Valle
Luiz Maçãs
Giuseppe Oristânio
Xandó Batista
Ruy Rezende
e outros
Tema de abertura "Raio e Trovão" – Sagrado Coração da Terra
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Manchete
Transmissão original 12 de dezembro de 199012 de outubro de 1991
N.º de episódios 251
(na Rede Manchete)
258
(no SBT)
Cronologia
Último
Último
Pantanal
O Fantasma da Ópera
Próximo
Próximo

A História de Ana Raio e Zé Trovão foi uma telenovela brasileira produzida pela extinta Rede Manchete, exibida originalmente de 12 de dezembro de 1990 a 12 de outubro de 1991.

Foi escrita por Marcos Caruso e Rita Buzzar com a colaboração de Jandira Martini, idealizada e dirigida por Jayme Monjardim e teve codireção de Roberto Naar, Marcos Schechtman, Marcelo Travesso e Henrique Martins.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Ana de Nazaré é órfã de mãe e mora com o pai no sul do país. Aos treze anos é estuprada por Canjerê, um ex-capataz da fazenda onde seu pai trabalha e que foi acusado de roubo por ele. Ana fica grávida e dá à luz uma menina a quem dá o nome de Maria Lua. Vingativo e sem escrúpulos, Canjerê volta à fazenda, mata o pai de Ana e rapta sua filha.

Treze anos depois, Ana de Nazaré se transforma em Ana Raio, uma afamada peoa de uma companhia de rodeios. Ela percorre o país com sua caravana e procura pela filha que foi arrancada de seus braços ainda bebê. Ao lado de Ana está João Riso (Giuseppe Oristânio), que é apaixonado por ela e que faz de tudo para agradá-la e ajudá-la a encontrar Maria Lua.

Um dia, a caravana de Ana Raio cruza com outra caravana importante, a de Dolores Estrada, cuja maior atração é o peão Zé Trovão, um rapaz que desconhece seu passado. Entre rodeios, feiras e viagens pelo Brasil, começa a emocionante história de amor de Ana Raio e Zé Trovão.

Elenco[editar | editar código-fonte]

elenco creditado na abertura

Ator Personagem
Ingra Liberato Ana de Nazaré (Ana Raio)
Almir Sater Azelino Santos Ferreira (Zé Trovão)
Com
Ator Personagem
Charles Myara Rudi
Giuseppe Oristânio João Riso
Maurício do Valle Cabeção
Marcélia Cartaxo Antônia
Carlos Gregório Ubiratan Hernandez
Valéria Alencar Malvina
Antonio Pitanga Elomar
Riva Nimitz Madre Beatriz
Carolina Ferraz Verônica Santos (jovem)
Gisela Reimann Albinha
Eduardo Silva Niltinho (Nilton)
Luiz Maçãs Getúlio Veigas (Armando Rosas)
Edmundo Félix Arcanjo Gabriel
Miguel Magno Billy
Ivan de Almeida Mosca
Via Negromonte Luíza
Zé Capeta Zé Capeta
Lu Grimaldi Clarice
Andréa Cavalcanti Marilda Ferreira (Mary Hilda) [1]
Catarina Abdalla Berenice
Carlos Cambraia Máximo
Apresentando
Ator Personagem
Flor Violeta Ana de Nazaré (jovem)
Íris Bustamante Flor Violeta
Roberto Bomtempo Daniel
Luciano Vianna Andorinha (André)
Tatiana Toffoli Lina (Carolina)
Cícero Bernardes Cícero
Micaela Góes Maria Lua Miranda (Maria Lua de Nazaré)
Daniel Ávila Azelino Ferreira Prado Jr. (Zezinho)
Leonardo Vieira Pedro
Marília Medina Flávia Batista (Flávinha)
Rebecca Buenosilva Vera (falsa Maria Lua)
Helena Ranaldi Stefânia
Fernando Vieira Enrico
Lígia Cortez Marina
E as duplas sertanejas
Ator Personagem
Dênis & Demian Orelhinha & Cotonete
Celia & Celma Luminada & Luminosa
Participação especial
Ator Personagem
Sérgio Britto Basílio
Yara Lins Mãe Candinha
Roberto Frota Chico de Nazaré
Liana Duval Dona Amália
José Dumont Mané Coxo
Evandro Mesquita Jacaré
Orlando Orfei Walter Estrada
Hélio Souto Prefeito Bruno
Luís de Lima Pérsius Bulhões
Maria Sílvia Fifi
Participação especial no Rio Grande do Sul e Santa Catarina
Ator Personagem
Antônio Petrin Lamberto Bérgamo
Renata Fronzi Gióia
Lolita Rodrigues Verônica Santos
Luiz Armando Queiroz Rodrigo
Henrique César Ranulfo
Wilza Carla Maria Gasolina
Kadu Karneiro Capataz de Canjerê na Fazenda Santa Rosa
Diva Pirante Jandira
Elizabeth Hartmann Helena
Giovanna Gold Marisa Prado
Guilherme Corrêa Gaudêncio Flores
Luciene Adami Marlene
Renato Consorte Comendador Pirante
Gésio Amadeu Bastião (Sebastião)
Walter Breda Padre Lizâneas
Lafayette Galvão Velho Nicolau
Serafim Gonzalez Klaus
Lélia Abramo Dona Lúcia Piagentini
Wilma de Aguiar Gioconda
Luiz Serra Delegado de Treze Tílias
Charles Möeller Werner
João Camargo Tavinho Goiabada
Nei Piacentini Bonifácio Furacão
Antônio Gonzalez Macedo
Raul Toledo Trigueirinho
Sidney Magal Ed Cigano
José de Abreu Investigador Roberto Dantas
Henrique Martins Caminhoneiro
Irving São Paulo Minho
Renato Master Angelino
Sérgio Mamberti Pupo Valdez
Atores convidados
Ator Personagem
Geisa Gama Gorda (Carmem)
Ângela Leal Velha Biga
Ruy Rezende Roberto (Bob Lamb)
Xandó Batista Seu Jesus
Marcos Caruso Zé Batista
Jandira Martini Vitória Imperial (Martina Ferraz)
Antônio Pompêo Delegado da Chapada
Nelson Xavier como Leopoldo Miranda (Canjerê)
E
Tamara Taxman como Dolores Estrada
Elenco de apoio

Repercussão[editar | editar código-fonte]

A História de Ana Raio e Zé Trovão sucedeu o grande sucesso Pantanal e não conseguiu os mesmos índices e repercussão da antecessora, ainda que tenha tido boa audiência. Percorreu vários estados do Brasil, partindo de Treze Tilhas. Sandy fez sua primeira atuação.

Reprises[editar | editar código-fonte]

Foi reprisada pela Manchete, sua emissora original, entre 29 de março e 31 de maio de 1993 em versão compacta. Mais uma vez foi reprisada, desta vez no SBT entre 7 de junho de 2010 e 4 de abril de 2011.

O SBT não cortou as cenas originalmente previstas e fez capítulos com uma menor duração em suas últimas semanas. Além disto, algumas cenas foram ao ar duas vezes (cenas de paisagem e flashbacks). Os motivos do SBT ter esticado-a foram a boa audiência da trama (cerca de 7 pontos em um horário que a emissora registrava 4) e a necessidade de estrear a nova novela, Amor e Revolução, somente após o fim do Big Brother Brasil.

Referências

  1. Defendendo Marilda. Tv-pesquisa.com.puc-rio.br.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]