Telenovela brasileira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A telenovela brasileira refere-se à contribuição do Brasil na produção e exibição de novelas desde a sua assimilação na década de 50, até a atualidade. Sua Vida Me Pertence, escrita e dirigida por Walter Forster, e exibida pela extinta TV Tupi São Paulo entre 21 de dezembro de 1951 até 15 de fevereiro de 1952, foi a primeira do gênero, não apenas no Brasil, mas em todo mundo.[1] [2]

As telenovelas são costumeiramente tratadas como "obras abertas", em razão de seu enredo poder ser alterado para ir ao encontro das reações do público que a consome. Veiculadas nas redes nacionais de televisão, em sua maioria de sinal aberto, as telenovelas brasileiras costumam ter seus direitos de exibição vendidos para diversos outros países. Voltadas inicialmente ao entretenimento, algumas novelas também já discutiram polêmicas e questões de responsabilidade social em suas histórias. A telenovela Explode Coração, escrita por Glória Perez e exibida pela Rede Globo em 1995, por exemplo, abordou o desaparecimento de crianças[3] , e Chamas da Vida, escrita por Cristianne Fridman e exibida pela Rede Record entre meados de 2008 e o início de 2009, abordou a questão da pedofilia.[4]

As novelas brasileiras são os programas mais vistos por todos os segmentos de sexo e faixas etárias. Ranking feito pelo Ibope, mostra que o gênero mais visto por homens na televisão aberta, em todo o país, por exemplo, são as telenovelas. A audiência das novelas entre mulheres, no entanto, é quase o dobro do que entre homens. Entre as crianças, os folhetins têm mais do que o dobro da audiência dos programas infantis.[5]

História[editar | editar código-fonte]

A atriz Juliana Paes no complexo de estúdios do Projac, em intervalo das gravações da novela Caminho das Índias, 2009.

A primeira telenovela brasileira foi exibida na TV Tupi de São Paulo, Sua Vida Me Pertence, escrita e dirigida por Walter Forster, estreou em 21 de dezembro de 1951 e permenceu até 15 de fevereiro de 1952, tendo cerca de 15 capítulos, exibidos às 20 horas e duas vezes por semana, apresentadas ao vivo. Alguns dos atores que participaram desta produção foram: Vida Alves, Lia de Aguiar, Lima Duarte, José Parisi, Dionísio de Azevedo, além do próprio autor, Walter Forster. O primeiro beijo da televisão brasileira aconteceu nesta novela entre os protagonistas, interpretados por Walter Forster e Lia de Aguiar[1] , que não passou de um inocente "selinho".

Em julho de 1963, estreia a novela 2-5499 Ocupado, na extinta Rede Excelsior em São Paulo, às 19h30, inicialmente exibida três vezes por semana, passou a ser diária (de segunda a sexta), sendo a primeira a seguir este formato, para poder prender a atenção do telespectador. Escrita pela autora Dulce Santucci, que traduziu para nossa lingua, a obra original do escritor argentino Alberto Migré, baseando-se no original de Abel Santa Cruz. Esta foi a primeira produção a mostrar o casal romântico Glória Menezes e Tarcísio Meira, casados na vida real, que protagonizaram esta novela. Passou a ser exibida pela Rede Excelsior do Rio de Janeiro, em 9 de setembro de 1963, de forma diária.

E na primeira rede de televisão brasileira, a Rede Tupi (inaugurada em 18 de setembro de 1950 e extinta em 16 de julho de 1980), muitas telenovelas produzidas e exibidas pela emissora fizeram enorme sucesso. Mulheres de Areia, A Viagem, A Barba-Azul, Os Inocentes e O Profeta, todas escritas pela autora Ivani Ribeiro, foram alguns dos maiores sucessos da Rede Tupi na época e, superavam as novelas da Rede Globo em audiêcia. Outras novelas, como Beto Rockfeller de Bráulio Pedroso, Ídolo de Pano e O Direito de Nascer de Teixeira Filho, Simplesmente Maria de Benjamin Cattan e Benedito Ruy Barbosa, Antônio Maria e Nino, o Italianinho de Geraldo Vietri, também foram algumas das novelas produzidas pela Rede Tupi que fizeram um estrondoso sucesso.

Escrava Isaura escrita por Gilberto Braga, adaptando o romance homônimo de Bernardo Guimarães, foi exibida pela Rede Globo entre 11 de outubro de 1976 a 5 de fevereiro de 1977, às 18 horas, tendo 100 capítulos, com direção de Herval Rossano e Milton Gonçalves. Foi uma das novelas com maior número de exibições no Brasil, no total foram cinco vezes, e foi uma das mais vendidas para o exterior. Segundo a emissora, foi vendida para quase 80 países. A obra fez tanto sucesso no exterior, que chegou a parar a guerra na Croácia por um dia, e em Cuba, o governo chegou a cancelar o racionamento de energia elétrica durante o gorário de exibição da novela. Lucélia Santos, que estreava na televisão, ficou mundialmente famosa, pelo seu desempenho como a protagonista Isaura. Leôncio é considerado, até hoje, um dos vilões mais cruéis da história da teledramaturgia brasileira, e o papel mais marcante do ator Rubens de Falco na televisão. A novela ganhou um remake em 2004, pela Rede Record, mais uma vez a novela foi um grande sucesso, manteve media de 20 pontos e a lideranca durante sua exibiçao, alem de mais uma vez ser exportada com grande exito para todo o mundo, escrita por tiago santiago, a trama exibida na faixa das 7h deu inicio a uma grande reforma na dramaturgia da emissora que ganhou porte e reconhecimento, nos anos seguintes vieram outros sucessos do canal que a epoca ja tinha dois horarios para exibicao de novelas, entre eles estao: Essas mulheres, Prova de amor, Vidas Opostas, Amor e intrigas, Caminhos do Coração, Chamas da Vida entre outros!

Roque Santeiro, escrita por Dias Gomes, seria originalmente exibida a partir de 27 de agosto de 1975, substituíndo o grande sucesso Escalada, novela de Lauro César Muniz e já havia cerca de 30 capítulos gravados e chamadas anunciavam sua estreia. Entretanto, no dia da estreia, o Departamento de Ordem Política e Social, do governo federal, enviou uma mensagem para Rede Globo, censurando e proibindo a exibição da novela. Pois Roque Santeiro era uma adaptação para televisão da peça de teatro, do próprio Dias Gomes, O Berço do Herói, que havia sido censurada e proibida também em sua estreia em 1965, pelo regime militar. E para ocupar o horário na programação, enquanto preparavam outra novela, foi exibida uma reprise compacta do grande sucesso Selva de Pedra, de Janete Clair, que posteriormente seria substituída por Pecado Capital, da mesma autora, sendo que se tornou um dos maiores sucessos história da televisão brasileira. Para a realização desta novela, parte do elenco e dos cenários de 'Roque Santeiro foram reaproveitados.

Depois de 10 anos, já no Governo civil de José Sarney, Roque Santeiro finalmente foi liberada e pode ser exibida. Por consideração aos artistas envolvidos no trabalho original, os mesmos foram convidados a participar da nova versão da novela, com seus respectivos personagens. Porém, Francisco Cuoco e Betty Faria recusaram os papéis principais de Roque Santeiro e Viúva Porcina, já Lima Duarte retornou à produção, interpretando o inesquecível Sinhozinho Malta, mesmo personagem que ele interpretara na versão censurada da novela. Roque Santeiro tornou-se um dos maiores sucessos da história da televisão brasileira, conseguindo atingir índices aparentemente impossíveis de audiência. Em seu último capítulo, exibido em 21 de fevereiro de 1986, a novela registrou incríveis 100 pontos de audiência, sendo esta a maior audiência já registrada na história da televisão brasileira.

Vale Tudo, escrita por Gilberto Braga, Leonor Bassères e Aguinaldo Silva, e exibida entre 16 de maio de 1988 a 6 de janeiro de 1989, abordou temas como corrupção, ética e honestidade e é considerada um dos maiores sucessos da televisão brasileira. Quem matou Odete Roitman?, mistério relacionado a identidade do assassino da vilã Odete Roitman (Beatriz Segall), considerada uma das mais cruéis da história da teledramaturgia brasileira, causou uma enorme repercursão e tanta curiosidade nos telespectadores, que foram gravados cinco finais diferentes, mas nem mesmo os próprios atores tiveram acesso ao verdadeiro final. A identidade do assassino foi revelada no capítulo de encerramento da trama: Leila (Cássia Kiss) havia matado Odete Roitman, por engano, pensando que ela era Maria de Fátima (Glória Pires), amante de seu marido, Marco Aurélio (Reginaldo Faria), ex-genro de Odete.

Vale a Pena Ver de Novo é um tradicional programa de televisão transmitido pela Rede Globo às tardes, que exibe reapresentações de telenovelas que fizeram grande sucesso na grade da emissora. Dona Xepa de Gilberto Braga, foi a primeira novela a ser reapresentada neste horário em 1980 que permanece, desde então. Mulheres de Areia de Ivani Ribeiro, em sua primeira reprise, registrou a maior audiência neste horário - 30 pontos de audiência -, outras novelas, como A Viagem, O Rei do Gado, Anjo Mau, Tieta, A Indomada, entre outras, também registraram excelentes índices de audiência. No entanto, muitas telenovelas, como Roque Santeiro, Terra Nostra, Tropicaliente, Deus Nos Acuda, Sinhá Moça e O Profeta, entre outras, que em suas exibições originais foram consideradas "fenômenos de audiência", neste horário, representaram fracassos.

Características[editar | editar código-fonte]

Os capítulos costumam ter uma média de 55 minutos diários de duração na Rede Globo e Rede Record e 45 no SBT atualmente as unicas a produzir e exibir novelas. São apresentados de segunda-feira a sábado na Rede Globo e segunda a sexta na Rede Record e SBT. As tramas ficam no ar cerca de sete meses, mas há exceções como "Irmãos Coragem", exibida pela Rede Globo, escrita por Janete Clair e dirigida por Daniel Filho, que ficou mais de um ano no ar (de 8 de junho de 1970 a 12 de junho de 1971).[6]

Os tipos de assuntos foram divididos, de acordo com o público de cada horário, pesquisado ao longo dos anos, pelas televisões no Brasil. De uma maneira geral, seguem o seguinte padrão:

  • 18 horas - enredo simples e tipicamente romântico, muitas das vezes sendo de época e/ou regional[7] ;
  • 19 horas - drama e comédia
  • 20, 21 ou 22 horas - drama, sexo e violência ou drogas, nudez e torturas

Classificação Indicativa Telenovelas Rede Globo

  1. Anos 10: Novela Das Sete 6, Românticos, Aventuras
  2. Anos 10: Novela Das Sete 7, Dramas é Comédias
  3. Anos 12, Anos 14: Novela Das Nove 9 ,Violência, Drogas, Agressão Física, Licitas
  4. Anos 16, Anos 18: Novela Das Nove 9, Dramas, Suspense é Sexo, Drogas, Violência, Nudez Topless, Decapitaçãos, Mutilaçãos, Massacres, Torturas, Erótica, Explícita

Certos elementos são considerados básicos pelos autores, produtores e diretores de televisão:

  • A história segue a ideia de um folhetim eletrônico, com apelos dramáticos.
  • O enredo deve ser muito claro e ter poucos personagens centrais que, na maioria das histórias, têm mocinho ou mocinha, vilã, bandido, filho ou filha perdido que não sabe quem são os seus verdadeiros pais, o velho, o jovem, etc.

Produção[editar | editar código-fonte]

A construção de uma telenovela baseia-se em sua audiência, ou seja, quanto maior a audiência, maior a duração a novela, pois nem sempre, grandes audiências representam grandes telenovelas. As novelas começam com quatro ou cinco meses de antecedência, o autor pode ter uma ideia concebida só por ele, ou pode haver casos de dois ou três autores trabalhando na mesma novela. Também pode ocorrer os seguintes casos: adaptação geralmente é exclusivo de telenovela para telenovela, podendo ser, ou não, do mesmo criador; baseado em, usado geralmente em romances, ou uma compilação de um autor, sendo as mais comuns as de Jorge Amado (geralmente por Aguinaldo Silva), Éramos Seis de Maria José Dupré são as mais conhecidas. As adaptações pode haver uma interferência dos escritores, principalmente em personagens, já que os romances têm geralmente de dez a vinte personagens, e as novelas têm de trinta a sessenta. Inspirado em é usado geralmente quando alguma obra, seja por inteiro, seja por um personagem, façam uma parte fundamental, sendo que o autor pode e deve interferir na trama, podendo ser o não inspirado em algum acontecimento. A colaboração acontece quando um autor intervém e um personagem ou em algum núcleo, quando acontece algo com o autor, outros escritores devem intervir, mantendo a lógica do enredo criado pelo autor principal. A supervisão de texto ocorre quando um escritor mais experiente supervisiona outros autores mais inexperientes. A direção tem como seus líderes os diretores de núcleo e artísticos, que geralmente são os mesmos. Os diretores de núcleo escolhem o elenco, sendo que os principais são escolhidos à dedo pelo autor.

Música[editar | editar código-fonte]

As telenovelas costumam apresentar duas trilhas sonoras: uma nacional e outra internacional, com exceção de algumas delas exibidas no horário das 18 horas que continham uma única trilha e também as que abordaram temas rurais, as quais apresentaram duas trilhas nacionais; "Roque Santeiro" foi a primeira a mostrar essa novidade na época (1985). O Rei do Gado (Rede Globo, 1996) é a trilha sonora mais bem sucedida da história da TV nacional, foram vendidas cerca de 1,6 milhão de cópias. A trilha nacional de Mulheres Apaixonadas (2003), foi a ultima a conquista disco de diamante, depois de ter vendido mais de 1 Milhão de cópias.[8]

As novelas brasileiras mais vendidas para o exterior[editar | editar código-fonte]

# Telenovela Autor Diretor Países
1 Avenida Brasil João Emanuel Carneiro Ricardo Waddington, Amora Mautner e José Luiz Villamarim 130 países [9] [10] [11]
2 Da Cor do Pecado João Emanuel Carneiro Denise Saraceni 100 países [12]
3 A Vida da Gente Lícia Manzo e Marcos Bernstein Jayme Monjardim 98 países [13]
4 Terra Nostra Benedito Ruy Barbosa Jayme Monjardim 95 países [14]
5 O Clone Gloria Perez Jayme Monjardim e Marcos Schechtman 91 países [15]
6 Caminho das Índias Gloria Perez Marcos Schechtman 90 países [16]
7 Escrava Isaura Gilberto Braga Herval Rossano e Milton Gonçalves 79 países [17]
8 Por Amor Manoel Carlos Paulo Ubiratan e Ricardo Waddington 70 países [18]
9 Insensato Coração Gilberto Braga e Ricardo Linhares Dênis Carvalho 68 países [19] [20]
10 Mulheres de Areia Ivani Ribeiro Wolf Maya 67 países [21]
11 Laços de Família Manoel Carlos Ricardo Waddington e Moacyr Góes 66 países [22]

As novelas mais longas da televisão brasileira[editar | editar código-fonte]

# Telenovela Autor Emissora Nº de capítulos Ano de exibição
1 Chiquititas Gustavo Barrios e Patricia Maldonado SBT 807 capítulos 1997 - 2001
2 Redenção Raimundo Lopes Rede Excelsior 596 capítulos 1966 - 1968
3 Os Mutantes: Caminhos do Coração Tiago Santiago Rede Record 483 capítulos 2007 - 2009
4 Os Imigrantes Benedito Ruy Barbosa Rede Bandeirantes 459 capítulos 1981 - 1982
5 Chiquititas Íris Abravanel SBT 445 capítulos 2013 - 2015
6 Rebelde [23] Margareth Boury Rede Record 410 capítulos 2011 - 2012
7 O Machão Sérgio Jockyman e Ivani Ribeiro Rede Tupi 371 capítulos 1974 - 1975
8 Floribella Jaqueline Vargas e Patrícia Moretzsohn Rede Bandeirantes 344 capítulos 2005 - 2006
9 A Grande Mentira Hedy Maia Rede Globo 341 capítulos 1968 - 1969
10 Irmãos Coragem Janete Clair Rede Globo 328 episódios 1970 - 1971
11 Simplesmente Maria Benjamin Cattan e Benedito Ruy Barbosa Rede Tupi 315 capítulos 1970 - 1971

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Redação NaTelinha (21 de dezembro de 2011). Primeira novela brasileira completa hoje sessenta anos (em português) UOL NaTelinha. Visitado em 16 de maio de 2012.
  2. Qual foi a primeira telenovela brasileira?
  3. Memória Globo - Explode Coração (em português) Memória Globo Globo.com. Visitado em 16 de maio de 2012.
  4. Marcela Fonseca (15 de julho de 2008). Bombeiros estão "empolgadaços" com novela, diz Leonardo Bricio (em português) Folha.com. Visitado em 16 de maio de 2012.
  5. Daniel Castro. Homem assiste mais novela do que futebol; jornalismo perde força (em português) Notícias da TV. Visitado em 28 de Janeiro de 2014.
  6. Paulo Senna (14 de fevereiro de 2011). Irmãos Coragem (Rede Globo) (em português) Nostalgia O Globo. Visitado em 16 de maio de 2012.
  7. Jorge Brasil (14 de outubro de 2009). Caí na rede de Cama de Gato. E você? Está curtindo a novela das 6? (em português) MdeMulher. Visitado em 16 de maio de 2012.
  8. Segundo volume com faixas da novela persegue a venda de 1 milhão de cópias do primeiro
  9. "Avenida Brasil", licenciada para 130 países, é a mais exportada da Globo
  10. Avenida Brasil é a novela mais vendida da Globo no exterior
  11. Sucesso no Brasil, AVENIDA BRASIL agora é campeã de vendas pelo mundo
  12. 10 novelas brasileiras no mundo
  13. Globo chega à China com nova produção
  14. As 10 novelas da Globo mais vendidas para o exterior
  15. As 10 novelas mais vendidas para o exterior]
  16. Caminho das Índias será novela mais exportada em 2010
  17. Conheça as 10 novelas brasileiras mais vendidas no mundo
  18. Conheça as 10 novelas brasileiras mais vendidas no mundo
  19. ‘Insensato Coração’, adquirido por mais de 60 países, é destaque no MIPCOM 2012
  20. “Insensato Coração” foi a novela mais vendida pela Globo em 2012
  21. Conheça as 10 novelas brasileiras mais vendidas no mundo
  22. Conheça as 10 novelas brasileiras mais vendidas no mundo
  23. Após queda no ibope, Record tira "Rebelde" do ar (em português) Ilustrada. Folha de S. Paulo. Folha.com.. Visitado em 14 de outubro de 2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Filho, Daniel. O Circo Eletrônico – Fazendo TV no Brasil,(2001).
  • Rixa. Almanaque da TV – 50 anos de memória e informação (2000).
  • Simões, Silvia H.; Priolli, Gabriel (coordenadores). A Deusa Ferida (2000).
  • Fiuzza, Silvia Regina de Almeida (coordenadora). Dicionário da TV Globo – volume 1: Programas de Dramaturgia & Entretenimento (2003).