Pecado Capital (1975)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto.
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Pecado Capital
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 45 min. aproximadamente
Criador(es) Janete Clair
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Daniel Filho
Jardel Mello
Elenco Francisco Cuoco
Betty Faria
Lima Duarte
Tema de abertura Pecado Capital, Paulinho da Viola
Transmissão original 24 de novembro de 19754 de junho de 1976
N.º de episódios 167
Cronologia
Último
Último
Escalada
O Casarão
Próximo
Próximo

Pecado Capital foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo pela primeira vez entre 24 de novembro de 1975 e 4 de junho de 1976. Substituindo Escalada e sendo substituída pela telenovela O Casarão. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Daniel Filho e Jardel Mello, tendo contado com 167 capítulos. Também foi a primeira novela em cores para o horário das oito da noite.

Trama[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A telenovela traz José Carlos Moreno, chamado Carlão, um taxista morador do subúrbio carioca do Méier. Logo no primeiro capítulo, acontece um grande e audacioso assalto a banco e os ladrões, em fuga, embarcam no carro de Carlão. Só que a mala cheia de dinheiro é esquecida no veículo. O taxista, então, vê ali a chance de ascender socialmente, podendo enfim casar-se com a noiva, Lucinha, operária numa fábrica de roupas. Graças à beleza da moça, as brigas entre os dois por causa de ciúme do taxista são frequentes. Lucinha conhece, então, na fábrica, o publicitário Nélio Porto Rico, que a convida a ser modelo. Pensando na possibilidade de crescer na vida, ela aceita. Enquanto isso, Carlão faz segredo quanto a estar com o fruto do assalto ao banco. A opção de Lucinha pela carreira de modelo leva-a a romper com Carlão e com o pai, Orestes, pela intolerância.

Enquanto isso, Eunice, uma dona-de-casa de classe média, infeliz no casamento, sofre com o repúdio do marido, Ricardo, e com a consciência pesada. Ela esteve no assalto, do qual participou convencida pelo amante, Miguel, e foi quem esqueceu o dinheiro com Carlão. Numa discussão com Miguel, que acreditava que ela quisesse enganá-lo, terminou matando-o. Foi, então, pedir ajuda ao marido para sair da enrascada, e ele a obrigou a ir passar uns tempos nos Estados Unidos, longe do filho, Paulo Roberto. E a suburbana Lucinha é escolhida como principal modelo das Confecções Centauro, onde antes trabalhava. Desperta o interesse do adormecido coração de Salviano Lisboa, um milionário viúvo que, apesar de ter seis filhos - Vitória, Vilma, Vicente, Virgílio, Vinícius e Valter - e viver cercado por muitos bajuladores, sente muita solidão. O início do romance entre Salviano e Lucinha desperta em Carlão um grande ódio, e ele lança mão do dinheiro, que planejava devolver, para ascender socialmente - para ele, Lucinha deseja isto:fortuna e posição.

Eunice volta ao Brasil e, cumprindo suas ameaças cheias de rancor, Ricardo a denuncia e ela é presa. Ao ficar sabendo da situação da mulher, Carlão sente a consciência pesar e começa a ajudá-la. Penalizado, sabendo que se tivesse entregue o dinheiro a situação de Eunice seria outra, morrendo de pena, Carlão se casa com ela, mesmo apaixonado por Lucinha, que passa a enfrentar, a cada dia que passa, maior oposição dos filhos de Salviano. Carlão e Eunice vivem um casamento infeliz. Ela, verdadeiramente apaixonada, sofre com o amor do marido por outra que não o quer;ele, por estar casado por piedade e medo de que ela, já o tendo reconhecido como o taxista do caso, o denuncie.

Ao longo da trama, Carlão vai se afundando mais e mais graças à ambição e ao desejo de reconquistar Lucinha. No final, quando resolve deixar o dinheiro (800 mil cruzeiros) numa obra do metrô e fazer uma denúncia anônima às autoridades, Carlão termina assassinado no local por um capanga de Sandoval, um mau-caráter com quem se havia envolvido em negócios escusos. Salviano e Lucinha se casam. Um empregado chega perto do patrão com um jornal que noticia a morte do taxista, tido na reportagem como membro da quadrilha que assaltou o banco, ou coisa do gênero. Lucinha pergunta o que é, e Salviano: "Nada, nada, uma nota sobre o nosso casamento". Amassando o jornal, sai com a esposa. O envolvimento de Carlão com gente "barra-pesada", a ambição, a infelicidade no amor, mesmo com fortuna, provam ao público que, como diz a letra do tema de abertura, "dinheiro na mão é vendaval"; a trama sintetizada nos versos de Paulinho da Viola, para ela especialmente compostos.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

  1. "Moça" - Wando
  2. "Você Não Passa de Uma Mulher" - Martinho da Vila
  3. "El Dia En Que Me Quieras" - Pablo Hernandes y Sus Vocalistas
  4. "Se Você Pensa" - Moraes Moreira
  5. "Melô da Cuíca" - Azimuth
  6. "Pecado Capital" - Paulinho da Viola
  7. "Juventude Transviada" - Luiz Melodia
  8. "Meu Perdão" - Beth Carvalho
  9. "Que Besteira" - João Donato
  10. "O Boêmio" - Época de Ouro
  11. "Makaha" - Marcio Montarroyos
  12. "Não Sei" - Sônia Santos
  13. "Beijo Partido" - Nana Caymmi

Internacional[editar | editar código-fonte]

  1. "Like Roses" - Jack Jones
  2. "Zing Went The Strings Of My Heart (O Som da Massa)" - The Trammps
  3. "Il Maestro Di Violino" - Domenico Modugno
  4. "Atlantica" - Seventy-Five Music
  5. "Woman (You've Gotta Be There)" - Jae Mason
  6. "Never Let Me Say Goodbye" - Dave Ellis
  7. "You And Me Against The World" - Gladys Knight & The Pips
  8. "Happy" - Michael Jackson
  9. "Lady Bump" - Penny McLean
  10. "Love Me Like a Stranger" - The Lettermen
  11. "Words Of Love" - David D. Robinson
  12. "Ain't Nobody Straight In Los Angeles" - The Miracles
  13. "Happy Days" - Montezuma
  14. "Dolannes Melodie (Flûte de Pan)" - Jean Claude Borelly

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Pecado Capital foi a primeira telenovela "das oito" em cores da Globo.
  • Em 1975, a Rede Globo começou a produzir Roque Santeiro. No dia marcado para a estreia, 27 de agosto, a censura proibiu sua exibição, e a saída encontrada pela emissora foi uma reprise, em caráter emergencial, da novela Selva de pedra, de Janete Clair, sucesso em 1972, enquanto se aprontava uma produção inédita para o horário das 20h. O elenco de Roque Santeiro(a qual ganharia uma nova versão em 1985) foi remanejado para uma história que Janete estava escrevendo, inicialmente intitulada O Medo.
  • A atriz Elza Gomes, que interpretava , governanta que havia ajudado o milionário Salviano a cuidar dos seis filhos depois da viuvez, teve de se ausentar da novela devido a problemas de saúde. Assim, a atriz Miriam Pires entrou em seu lugar, interpretando a personagem Nora, prima de Bá, que sabia da história por cartas que a prima lhe enviava. Elza depois voltaria à cena.
  • Pecado Capital foi reapresentada pela emissora em duas ocasiões:em 1980, como atração do Festival 15 Anos (compacto apresentado por Lima Duarte) e entre 4 de janeiro e 23 de abril de 1982, às 22h, na versão original de 85 capítulos.
  • Primeira novela de Gilson Moura, Lauro Góes e Sandra Barsotti.
  • Uma segunda versão da novela foi escrita por Glória Perez e exibida de outubro de 1998 a maio de 1999, no horário das 18h, sem o sucesso da original.
  • No dia em 4 de junho de 1976 houve um grande Incêndio da TV Globo no Rio de Janeiro o Último  Capítulo da novela quase que não foi no ar.

[editar | editar código-fonte]