Débora Duarte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2011). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Débora Duarte
Nome completo Débora Susan Duke
Nascimento 2 de janeiro de 1950 (65 anos)
Brasil São Paulo, Brasil
Cônjuge Wladimir Nikolaief
Antônio Marcos
Outros prêmios
Troféu APCA
Melhor Atriz - Televisão
2000 Terra Nostra
1985 Corpo a Corpo
Melhor Atriz - Teatro
1990 Vida de Artista
Revelação de Atriz - Teatro
1967 O Sistema Fabrizzi
Troféu Imprensa
Melhor Atriz
1969 Beto Rockfeller
Troféu Roquette Pinto
Melhor Atriz
1968 Beto Rockfeller

Débora Susan Duke[1] (São Paulo, 2 de janeiro de 1950), mais conhecida por Débora Duarte, é uma atriz brasileira. Ela assumiu o sobrenome artístico do padrasto, o ator Lima Duarte. É filha da atriz Marisa Sanches.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Com cinco anos de idade, era uma menina graciosa e inteligente e já demonstrava muito talento, tendo sido escalada por Vida Alves para atuar no seriado Ciranda, Cirandinha, da TV Tupi. Daí para frente não parou mais de atuar. Na mesma emissora onde atuavam seus pais fez várias novelas e teleteatros, ganhando, rapidamente, o reconhecimento artístico.

Do seu extenso currículo, constam, além dos muitos trabalhos para televisão (passando por todas as grandes emissoras brasileiras), várias peças de teatro, filmes, fotonovelas. Entre seus personagens mais marcantes estão a Vilminha Lisboa de Pecado Capital, a Camila Karany de Coração Alado, a Angelina Gattai na minissérie Anarquistas, Graças a Deus, a Eloá Pellegrini em Corpo a Corpo, a Tia Sãozinha da minissérie Hilda Furacão e a Hermínia em Paraíso Tropical.

Entretanto, Débora marcou a história da TV brasileira ao interpretar a poderosa é amargurada Teresa Giacomo na novela Canavial de Paixões, pelo SBT. A novela chegou a ser indicada para o Troféu Imprensa 2004.

Após o fim de Canavial de Paixões, Débora retornou a Rede Globo.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Débora Duarte é também poetisa.

Casou duas vezes, a primeira com o ator Wladimir Nikolaief, e a segunda vez com o cantor Antônio Marcos.[2] Tem duas filhas: Daniela, filha de Gracindo Jr. e Paloma, filha de Antônio. Suas filhas são atrizes. Débora também já tem duas netas, filhas de Paloma: Maria Luísa e Ana Clara.

Filmologia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
2015 Babilônia Celina Junqueira
2014 Sexo e as Negas Rosimere
2012 Lado a Lado Eulália Praxedes
2011 Cordel Encantado Amália
2010 Tempos Modernos Tertuliana (Tertu)
2009 Toma Lá, Dá Cá Moacira
2008 Dicas de Um Sedutor Mãe de Carlos
Três Irmãs Florinda Áquila
2007 Paraíso Tropical Hermínia Vilela
2004 Como uma Onda Alice Prata
2003 Canavial de Paixões Teresa Giácomo
2002 O Quinto dos Infernos Amália
2001 Porto dos Milagres Olímpia
2000 Malhação 2000 Leila Schmidt (mãe de Érika)
1999 Terra Nostra Maria do Socorro Teles de Aranha [3]
1998 Hilda Furacão Tia Sãozinha
1995 Explode Coração Marisa
1994 Pátria Minha Carmita Bevilácqua
1993 Sonho Meu Mariana
1991 Grande Pai Maria
1989 Cortina de Vidro Giovanna
1988 Bebê a Bordo Joana Mendonça
1987 A Rainha da Vida Estela
1984 Padre Cícero Maria de Araújo
Partido Alto Laura
Corpo a Corpo Eloá Pellegrini
Anarquistas, Graças a Deus Angelina Gattai
1983 Parabéns pra Você Maria Rita
1982 Elas por Elas Rosa
1981 Jogo da Vida Beatriz Madureira
1980 Coração Alado Camila Karany (Catucha)
1979 Cara a Cara Regina
1977 O Profeta Carola
1976 Anjo Mau Sonia
1975 Pecado Capital Vilminha Lisboa
Escalada
1974 O Espigão Dora
1973 Carinhoso Marisa
1972 A Patota Nely
Bicho do Mato Ruth
1971 Editora Mayo, Bom Dia
1970 Toninho on The Rocks Anita
As Bruxas Stella
1969 João Juca Jr.
1968 Beto Rockfeller Lu
O Homem que Sonhava Colorido
O Décimo Mandamento Mariana
O Morro dos Ventos Uivantes Catarina (jovem)
1967 Os Miseráveis Cosette
O Grande Segredo Nina
1966 Ninguém Crê em Mim Martinha
1965 O Pecado de Cada Um Mônica
Ana Maria, Meu Amor
A Outra Carina
1964 Quem Casa com Maria? Maria das Graças
Gutierritos, o Drama dos Humildes

No Cinema[editar | editar código-fonte]

  • 1987 - A Menina do Lado X
  • 1974 - Pontal da Solidão
  • 1970 - Celeste

Teatro[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Aplausos para Débora Duarte O Globo
  2. Débora Duarte - Filmow Visitada em Jun/ 2012. Entre outras referências de seu casamento com Wladimir.
  3. Terra Nostra Globo.com. Visitado em 29 de dezembro de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]