Lucinha Lins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Lucinha Lins
Nome completo Lúcia Maria Werner Vianna Lins
Outros nomes Lucinha Lins
Nascimento 9 de março de 1953 (61 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
 Brasil
Ocupação Atriz e Cantora
IMDb: (inglês)

Lúcia Maria Werner Vianna de Carvalho Lins, artisticamente Lucinha Lins (Rio de Janeiro, 9 de março de 1953), é uma atriz e cantora brasileira.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cresceu na Barra da Tijuca[2] e, na adolescência, com um grupo de amigos apaixonados por música, Lucinha Lins formou o MAU (Movimento Artístico Universitário) – onde começou a cantar e conheceu o músico e compositor Ivan Lins.

No começo dos anos 70, já casada com Ivan Lins, Lucinha participou dos shows do cantor como vocalista e percussionista. Paralelamente, Lucinha Lins cantou em festivais de música brasileira e começou a gravar jingles. Vieram, então, os comerciais de televisão, que acabaram por revelar o belo rosto escondido atrás daquela bela voz.

Como cantora, venceu o Festival MPB Shell 81 com a canção "Purpurina". Também imortalizou a canção "Narizinho" no seriado Sítio do Pica-Pau Amarelo na versão de 1977. Meses depois de ganhar o festival de 1981 e receber uma estrondosa vaia do público presente à final do festival no Maracanãzinho, o qual preferia a segunda colocada, "Planeta Água", de Guilherme Arantes, Lucinha Lins estreava o espetáculo “Sempre, Sempre Mais”, ao lado de Cláudio Tovar, com quem viria a se casar, com enorme sucesso. O musical ficou dois anos em cartaz. Lucinha Lins foi eleita a musa do verão carioca e estava em todos os lugares: na capa da revista Veja, nos programas de televisão, nos discos e no cinema, com o filme Saltimbancos Trapalhões, sucesso absoluto de bilheteria.

Como atriz de TV, estreou na série Plantão de Polícia. Posteriormente trabalhou na série Sítio do Picapau Amarelo como a personagem Rapunzel e foi uma das protagonistas da minissérie Rabo-de-Saia, com direção de Walter Avancini, onde vivia uma das três mulheres do personagem de Ney Latorraca. Viveu ainda a personagem Mocinha, na novela Roque Santeiro (1985). Mas seu papel mais lembrado pelo público e pela crítica foi Estela, da novela A Viagem, onde ela brilhou em cenas de grande intensidade dramática e mostrou ser uma das mais talentosas atrizes do Brasil.

Novamente em parceria com Cláudio Tovar, seu segundo marido, Lucinha Lins produziu musicais infantis como “Sapatinho de Cristal”, “Simbad de Bagdá” e “Caixa de Brinquedos”. O sucesso desses espetáculos foi tanto, que a Rede Manchete de televisão convidou o casal para criar e apresentar um programa infantil: “Lupu Limpim Claplá Topô” - inesquecível para quem foi criança em meados dos anos 80.

Como atriz e cantora, participou de vários musicais no teatro, como “O Corsário do Rei” de Edu Lobo e Chico Buarque, “Splish-Splash”, “O Fantópera da Asma”, “Rosa, um Musical Brasileiro” e muitos outros. Em 2003, em agosto, estreou no papel de Vitória Régia, uma das protagonistas da remontagem do musical “A Ópera do Malandro”, de Chico Buarque, dirigida por Charles Moeller e Cláudio Botelho, o maior sucesso de público e crítica dos últimos anos no Rio de Janeiro, onde teve oportunidade de contracenar com seu filho Claudio Lins e seu marido Claudio Tovar. Com essa montagem, foi indicada ao Prêmio Shell de melhor atriz, em 2003.

Mas Lucinha também fez papéis dramáticos em peças de teatro que não eram musicais, como é o caso de "Intimidade Indecente", peça de Leilah Assumpção, em que Lucinha substituiu Irene Ravache e Vera Holtz no papel principal, ao lado de Otávio Augusto, que substituiu Marcos Caruso.

Atualmente, Lucinha é contratada da Rede Record de Televisão, onde fez a novela Vidas Opostas e em 2008, interpretou uma vilã na novela Chamas da Vida.

Depois de vinte anos sem gravar um disco solo, participando apenas de trilhas sonoras e de discos de outros intérpretes, Lucinha Lins regressou ao mundo fonográfico com um songbook inteiramente dedicado à compositora brasileira Sueli Costa. O disco foi lançado em novembro de 2002, pela Biscoito Fino. Nele, Lucinha interpreta 17 músicas com letras dos parceiros Abel Silva, Capinam, Aldir Blanc, Vitor Martins, Ana Terra, Cacaso, Paulo César Pinheiro e Tite de Lemos. A interpretação de Lucinha Lins ganhou um reforço e tanto: a arte dos músicos Paulo Russo no contrabaixo, Mauro Senise nos sopros, Ricardo Silveira na guitarra, João Cortez na bateria mais Gilson Peranzzetta, no piano acústico, nos arranjos e na regência. A produção é de Zé Luiz Mazzioti.

É mãe de Luciana Lins (adotada), João Lins e do ator Cláudio Lins, frutos do seu casamento com o cantor Ivan Lins. É casada com o também ator, dançarino, cantor e figurinista Cláudio Tovar, com quem tem uma filha, Beatriz Tovar.

Lucinha Lins posou nua para a revista Playboy, na edição de número 109, em agosto de 1984, cuja temática do ensaio fotográfico, foi inspirada nas fotos de Marilyn Monroe, a pedido de Lucinha.

Em 2014, ao lado de Tânia Alves e Virginia Rosa, Lucinha Lins estreia a turnê do espetáculo musical Palavra de Mulher, sob direção de Fernando Cardoso, com músicas de Chico Buarque, sendo um sucesso de público e de crítica.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão
Novelas
Ano Título Papel Emissora Notas
1979 Plantão de Polícia Gisela Rede Globo Coprotagonista
1981 Sítio do Picapau Amarelo Rapunzel Participação Especial
1984 Rabo-de-Saia Santinha Protagonista
1985 Roque Santeiro Mocinha Abelha Coprotagonista
1989 O Salvador da Pátria Ângela Coadjuvante
1991 O Dono do Mundo Vanda Participação Especial
Mundo da Lua Roberta TV Cultura Coprotagonista
1992 Despedida de Solteiro Marta Rede Globo Coprotagonista
1993 Fera Ferida Laurinda Mota da Costa Participação Especial
1994 A Viagem Estela Toledo Coprotagonista
As Pupilas do Senhor Reitor Magali do Porto SBT Participação Especial
Xuxa Especial de Natal Bruxa Rede Globo Participação Especial
1995 Sangue do Meu Sangue Helena Rezende SBT Coprotagonista
1996 Perdidos de Amor Lali Massini Rede Bandeirantes Coadjuvante
1997 Malhação Bárbara Maldonado Rede Globo Coadjuvante
1998 Corpo Dourado Hilda Coadjuvante
1999 Tiro e Queda Isabel Amarante Rede Record Protagonista
2000 Esplendor Lígia Mallet Rede Globo Participação Especial
2001 Estrela-Guia Lucrécia Espíndola Coadjuvante
2003 Chocolate com Pimenta Elvira Rodrigues Albuquerque Participação Especial
2004 Esmeralda Branca Álvares Real SBT Coprotagonista
2006 Vidas Opostas Ísis Campobello Rede Record Coprotagonista
2008 Chamas da Vida Vilma Oliveira Santos Antagonista
2011 Vidas em Jogo Alzira Duarte Monteiro (Zizi) Coprotagonista
2014 Vitória Zuzu Coprotagonista
Conselho Tutelar Vera [3] [4]
Cinema
Ano Título
1981 Os Saltimbancos Trapalhões
1983 Atrapalhando a Suate
1984 Amor Voraz
1992 Sua Excelência, o candidato
2001 Villa-Lobos - Uma Vida de Paixão
Música - Discografia
Ano Título Formato e Gravadora
1974 Lucinha Lins Compacto Simples RCA
1982 Sempre, Sempre Mais LP Philips/Polygram
2002 Canção Brasileira - Lucinha Lins Interpreta Sueli Costa CD Biscoito Fino

Participações[editar | editar código-fonte]

  • Ivan Lins - Ivan Lins...Agora (1971 - Forma), Deixa O Trem Seguir (1971 - Forma), Quem Sou Eu (1972 - Philips/Phonogram); Modo Livre (1974 - RCA) ; Somos Todos Iguais Nesta Noite (1977 - EMI-Odeon); Nos Dias de Hoje (1978 - EMI-Odeon); A Noite (1979 - EMI-Odeon); Novo Tempo (1980 - EMI-Odeon); Daquilo Que Eu Sei (1981 - Philips/Polygram)
  • Beth Carvalho - Pra Seu Governo (1974 - Tapecar)
  • Emilio Santiago - Emilio Santiago (1975 - CID)
  • Edson Frederico - Edson Frederico e a Transa (1975 - RCA)
  • Diversos Intérpretes - Sítio do Pica-Pau Amarelo (1977 - Som Livre); Os Saltimbancos Trapalhões (1981 - Ariola); 84 Carnaval Liberou Geral..Uma Inflação de Sucessos (1983 - Philips/Polygram); O Corsário do Rei (1985 - Som Livre); Entre Amigos (1985 - Pointer); O Salvador da Pátria - Trilha Sonora da Novela (1989 - Som Livre); Songbook Braguinha - Vol.3 (2002 - Lumiar Discos); Luiz Eça - Reencontro (2002 - Biscoito Fino); A Bossa de Billy Blanco (2002 - Biscoito Fino); Samba pras Crianças (2003 - Biscoitinho/Biscoito Fino); Ópera do Malandro - Ao Vivo (2003 - Biscoito Fino)
  • Elis Regina - Elis (1977 - Philips/Phonogram)
  • George Duke - A Brazilian Love Affair (1979 - Epic)
  • Jorge Ben Jor - Alô Alô, Como Vai? (1980 - Som Livre)
  • Francisco Mário - Revolta dos Palhaços (1980 - Independente)
  • Sivuca - Vou Vida Afora (1981 - Copacabana)
  • Rosa Maria - Cristal (1984 - Pointer)
  • Trem da Alegria - Trem da Alegria do Clube da Criança (1985 - RCA)
  • Paulinho Tapajós e Marcelo Lessa - Viola Violão (2004 - Dabliú Discos)
  • Nei Lopes - Partido Ao Cubo (2004 - Fina Flor)
  • Célia e Dino Barioni - Faço no Tempo Soar Minha Sílaba (2007 - Lua Discos)
  • Cláudio Lins - Cara (2009 - Biscoito Fino)
  • Virginia Rosa e Geraldo Flach - Virgínia Rosa & Geraldo Flach - Voz & Piano (2010 - Lua Discos)

Referências

  1. Lucinha Lins Instituto Cultural Cravo Albin. Visitado em 7 de maio de 2012.
  2. PERFIL: LUCINHA LINS CARAS Brasil. Visitado em 17 de janeiro de 2014.
  3. Flávio Ricco; José Carlos Nery (10 de novembro de 2014). Lucinha Lins agride criança em nova série da Record. Visitado em 26 de novembro de 2014.
  4. Carla Bittencourt (26 de novembro de 2014). Lucinha Lins vive médica bem sucedida que maltrata filha adotiva em segredo Extra Telinha. Visitado em 26 de novembro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]