Aracy Balabanian

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde outubro de 2011) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde setembro de 2012).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Aracy Balabanian
Nascimento 22 de fevereiro de 1940 (74 anos)[1]
Campo Grande (Mato Grosso do Sul)
Nacionalidade  brasileira
Ocupação Atriz
IMDb: (inglês)

Aracy Balabanian (Campo Grande, 22 de fevereiro de 1940)[1] é uma atriz brasileira de origem armênia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seus pais vieram para o Brasil da Armênia, fugindo do genocídio promovido naquele país pelos turcos otomanos. Eles fixaram residência em Campo Grande, capital do atual estado de Mato Grosso do Sul onde Aracy e os irmãos nasceram. Seu pai se chamava Rafael Balabanian e era comerciante e sua mãe era chamada Estér Balabanian, uma dona-de-casa.

Aos quinze anos mudou-se para São Paulo com os sete irmãos e ajudava os pais na criação dos irmãos menores. Fez e passou no vestibular para Ciências Sociais e para a Escola de Arte Dramática, vindo a abandonar os estudos de Sociologia, de outro vestibular que ela fez e tinha passado, para se dedicar ao teatro, sua verdadeira paixão. Diz que viveu numa época que era considerado feio uma mulher fazer teatro, já que antigamente a mulher era educada para ser dona-de-casa e obedecer ao marido.

A sua estreia em televisão foi na peça Antígona, de Sófocles, montada pela TV Tupi. Contrário à carreira da atriz, o pai de Aracy só aceitou a opção profissional da filha em 1968, quando contracenou com Sérgio Cardoso na telenovela Antônio Maria.

Se tornou uma das maiores intérpretes do meio e criou personagens inesquecíveis como a idealista Violeta de O Casarão (1976), de Lauro César Muniz, a sofrida Maria Faz-Favor de Coração Alado (1980/81), de Janete Clair, a ardilosa Marta de Ti Ti Ti (1985/86) e a misteriosa Maria Fromet de Que Rei Sou Eu? (1989), ambas de Cassiano Gabus Mendes, a excêntrica Dona Armênia das novelas Rainha da Sucata (1990) e Deus nos Acuda (1992/93), ambas de Sílvio de Abreu e aquela que talvez seja a sua mais marcante, a fria e autoritária matriarca Filomena Ferreto de A Próxima Vítima (1995), também de Sílvio de Abreu. Interpretou, em 2004, a personagem Germana em Da Cor do Pecado, um dos personagens centrais da trama. Outro papel marcante é a Gemma Matoli, irmã do protagonista interpretado por Tony Ramos na novela Passione (2010\11). Em 2013, fez no remake de Saramandaia Dona Pupu, uma idosa mãe de um lobisomem interpretada no original por Elza Gomes.

Atuou poucas vezes no cinema e no teatro, pode-se ressaltar seus desempenhos em peças dirigidas por Ademar Guerra, como Hair, de 1968 e interpretando Clarice Lispector em Clarice Coração Selvagem, encenada em 1998. Sua personagem mais conhecida pelo grande público no teatro foi a socialite decadente Cassandra, no humorístico Sai de Baixo, gravado ao vivo do Teatro Procópio Ferreira de 1996 a 2002 para a Rede Globo de Televisão. Aracy declarou que no começo do programa, havia pedido para sair vendo que após extenso currículo de tragédias, não funcionava nesse papel cômico, acima de tudo por não segurar o riso diante dos colegas. O diretor Daniel Filho então pediu para ela rir sempre que quisesse. O riso da atriz em cena se tornou marca registrada, com Miguel Falabella chegando a dizer que ‘Se o público não entendeu a piada, a Aracy fecha’.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Emissora
1964 Marcados pelo Amor[3] Lúcia TV Record
1966 O Amor Tem Cara de Mulher Matilde TV Tupi
Um Rosto Perdido[3] Alba
1967 Angústia de Amar Jane
Meu Filho, Minha Vida Nellie
Sublime Amor Helena TV Excelsior
1968 Antônio Maria[3] Heloísa TV Tupi
1969 Nino, o Italianinho [3] Bianca
1971 A Fábrica[3] Isabel
1972 O Primeiro Amor[3] Giovana[3] Rede Globo
Vila Sésamo[3] Gabriela Rede Globo
TV Cultura
1974 Corrida do Ouro[3] Teresa Rede Globo
1975 Bravo![3] Cristina Lemos
1976 O Casarão [3] Violeta Souza
1977 Locomotivas[3] Milena Cabral
1978 Pecado Rasgado[3] Teca
1980 Coração Alado[3] Maria Faz Favor
1981 Brilhante[3] Vera Mesquita
1982 Elas por Elas[3] Helena Aranha Muniz
1983 Guerra dos Sexos[3] Greta
1984 Transas e Caretas[3] Ana
1985 Ti Ti Ti[3] Marta
1986 Mania de Querer[3] Lúcia Rede Manchete
1987 Helena[3] Úrsula
1989 Que Rei Sou Eu?[3] Maria Fromet / Lenore Gaillard Rede Globo
1990 Rainha da Sucata[3] Dona Armênia Giovani
1991 Felicidade[3] Paquita
1992 Deus Nos Acuda[3] Dona Armênia
1994 Pátria Minha[3] Rosário
A Desinibida do Grajaú Esperança
1995 Engraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados Dona Geninha
A Próxima Vítima[3] Filomena Ferreto
1996-2002 Sai de Baixo[3] Cassandra Mathias Salão Pereira
2001 Brava Gente Custódia
2002 Sabor da Paixão Hermínia Lemos
2003 Linha Direta Ana Rosa Naves
2004 Da Cor do Pecado Germana Cordiolli Lambertini
2005 A Lua Me Disse Leontina Sá Marques
2007 Eterna Magia Inácia Finnegan
2008 Casos e Acasos Amélia (um episódio)
Queridos Amigos Teresa Fernandes Moretti
Toma Lá, Dá Cá Shafika Sarakutian (episódio: "A Ilha do Dr. Ladir")
O Natal do Menino Imperador D. Mariana
2010 Passione Gemma Mattoli[4]
2012 Cheias de Charme Máslova Tilman
2013 Louco por Elas Cândida [5]
Sai de Baixo Cassandra Mathias Salão Pereira [6] Canal Viva
Saramandaia Dona Eponina Camargo (Pupu)[7] Rede Globo
2014 Geração Brasil Iracema Avelar [8] [9]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • 1963 - Os Ossos do Barão[3]
  • 1966 - Oh, que delícia de guerra[3]
  • 1969 - Hair[3]
  • 1977 - Brechet, segundo Brechet
  • 1980 - A Direita do Presidente
  • 1985 - Boa noite Mãe[3]
  • 1985 - O Tempo e os Conways[3]
  • 1988 - Folias no Box[3]
  • 1991 - Fulaninha e Dona Coisa
  • 1995 - Dias Felizes
  • 1998 - Clarice Coração Selvagem[3]
  • 2006 - Comendo entre as refeições

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Prêmio Trabalho Resultado
1995 Melhor atriz Melhores do Ano A Próxima Vítima Venceu
1996 Troféu APCA Venceu
Troféu Imprensa Venceu
2002 Melhor atriz cômica Prêmio Contigo Sabor da Paixão Venceu

Referências

  1. a b Título não preenchido, favor adicionar. Memória Globo. Página visitada em 15/05/2011.
  2. Aracy Balabanian - Galeria de personagens, Estado de Minas
  3. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al Globo, Memória (10/2009). Aracy Balabanian (em Língua portuguesa). Página visitada em 27/03/2014.
  4. Aracy Balabanian grava cenas de Passione com Tony Ramos no Rio.
  5. Gshow (19 de março de 2013). Ação! Aracy Balabanian vive empresária de Giovana em gravação para TV. O Programa - Louco por Elas. Página visitada em 13 de julho de 2014.
  6. Léo Martinez (17 de junho de 2013). 'Não é para voltar mais', diz Aracy Balabanian sobre 'Sai de Baixo'. Ego. Página visitada em 13 de julho de 2014.
  7. Rede Globo (05 de junho de 2013). Saramandaia: Aracy Balabanian adota o cabelo laranja de Dona Pupu. Rede Globo > saramandaia. Página visitada em 13 de julho de 2014.
  8. Gshow (08 de abril de 2014). Aracy Balabanian será dona de casa conectada!. Extras - Geração Brasil. Página visitada em 05 de abril de 2014.
  9. Gshow (5 de maio de 2014). Iracema Avelar - Personagens - Geração Brasil. Personagens > Geração Brasil. Página visitada em 30 de maio de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aracy Balabanian