O Astro (1977)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Astro
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 50 minutos aproximadamente
Criador(es) Janete Clair
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Daniel Filho
Gonzaga Blota
Produtor(es) Sergio Dionísio
Anthony Ferreira
Elenco Francisco Cuoco
Dina Sfat
Tony Ramos
Elizabeth Savalla
Tereza Rachel
Rubens de Falco
Dionísio Azevedo
Edwin Luisi
Carlos Eduardo Dolabella
Eloísa Mafalda
ver mais
Tema de abertura "Bijuterias" - João Bosco
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Globo
Transmissão original 6 de dezembro de 1977 - 7 de julho de 1978
Nº de episódios 185
Cronologia
Último
Último
Espelho Mágico
Dancin' Days
Próximo
Próximo
Programas relacionados O Astro (2011)
Duas Vidas
Pai Herói

O Astro é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 6 de dezembro de 1977 e 7 de julho de 1978, substituindo Espelho Mágico e sendo substituída por Dancin' Days. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Daniel Filho e Gonzaga Blota, tendo contado com 185 capítulos. Com direção geral de Daniel Filho.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A novela começa em 1962, ano da conquista do bicampeonato mundial de futebol pelo Brasil, quando, na cidade de Guariba, Herculano Quintanilha é traído pelo companheiro de trapaças, Neco da Silva, que foge com o dinheiro angariado para a reforma da igreja do lugarejo com a conversa dos "arquitetos". Herculano é humilhado em praça pública e foge para o Rio de Janeiro, deixando a mulher, Doralice, e o filho pequeno Alan, prometendo vir buscá-los um dia. A história, então, começa a se passar no ano de 1974, doze anos depois, quando Herculano trabalha numa churrascaria, fazendo apresentações na pele de um tarólogo, astrólogo, cartomante, quiromante e assemelhados. Numa de suas apresentações, reconhece entre os clientes o amigo traidor, Neco, de quem novamente se aproxima, porém cheio de mágoa e à espera de uma oportunidade para se vingar.[1]

Paralelamente(a princípio), corre a história da milionária família Hayalla, capitaneada pelo patriarca Salomão, que é casado com a fútil Clô e pai de Márcio, um jovem que se diz enviado de São Francisco de Assis e rejeita a riqueza da família. Salomão sempre planejou que o filho tomasse conta de tudo um dia, mas o rapaz não se mostra nem um pouco propenso. Márcio resolve sair de casa, depois de ser internado num hospício, fugir e se desentender mais uma vez com o pai. Nessa fuga, conhece Herculano, que se aproxima aos poucos dos Hayalla, graças a uma de suas clientes, Beatriz, secretária da diretoria do grupo. É também através de Beatriz que, na churrascaria, Herculano conhece Amanda Mello Assumpção, diretora da construtora que leva o seu nome de família e ex-mulher de Samir Hayalla, um dos tios paternos de Márcio.[2]

Márcio passa a morar com Herculano e conhece Lili, cunhada de Neco, moça humilde que não pensa em depender de homem nenhum para tocar a vida, trabalhando na barbearia do cunhado e até como taxista. Contrariando os desejos de sua família, que quer vê-lo casado com Jose, irmã de Amanda, Márcio se apaixona pela suburbana Lili, com quem se envolve. Para complicar ainda mais, Lili se divide entre Márcio, a quem ama de verdade, e o bondoso açougueiro Natal, apaixonado pela moça. Herculano e Amanda também se envolvem amorosamente.[2]

No capítulo 42, dá-se a notícia: Salomão Hayalla está morto, seu carro fora encontrado em destroços no Alto da Boa Vista. Depois, descobre-se que, na verdade, ele havia morrido antes, misteriosamente assassinado, e o criminoso planejou tudo para que parecesse um acidente. Márcio então cumpre os desejos do pai, com remorso: assume a direção das empresas, tendo Herculano como braço direito, e se casa com Jose, com Lili sendo afastada dele por uma trama de Clô, a qual acaba fazendo a moça passar algum tempo na cadeia. Enquanto Herculano galga cada vez mais rápido postos na hierarquia das empresas dos Hayalla, corre a investigação em torno da morte do patriarca. Márcio segue apaixonado por Lili, dividida entre ficar com ele ou casar com Natal. Jose é infeliz no casamento, e o filho de Herculano, Alan, vai morar com o pai no Rio de Janeiro.[2]

Herculano, valendo-se de sua alta posição nas empresas, trai a confiança de Márcio e ganha muito dinheiro em transações escusas. O crime do passado em Guariba e os expedientes atuais são descobertos por Samir (empenhado graças ao despeito por Amanda tê-lo trocado pelo "professor"), e Herculano foge. Jose morre e Márcio pode, enfim, viver ao lado da amada e do filho, Chiquinho. É descoberto o assassino do milionário: Felipe Cerqueira, jovem com problemas com entorpecentes, amante de Clô, o qual agira com a cumplicidade do amigo cabeleireiro Henri. Amanda vai ao encontro de Herculano, num país da América Central onde ele exerce função de confiança junto ao velho presidente. À chegada da mulher, Herculano fica muito feliz, mas, a um chamado do presidente, sai, dizendo não demorar. Sozinha, Amanda compreende que o poder é o que de fato importa ao homem a quem ama, voltando ao Brasil e preferindo para sempre perdê-lo.[2]

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Francisco Cuoco interpretou o protagonista Herculano.
Elizabeth Savalla interpretou a protagonista Lili.
Tony Ramos interpretou o músico Márcio.
Dina Sfat interpretou a empresária Amanda.
Edwin Luisi interpretou o malandro Felipe.
Rubens de Falco interpretou o antagonista Samir.
Ator Personagem
Francisco Cuoco Herculano Quintanilha
Dina Sfat Amanda Mello Assumpção
Elizabeth Savalla Lili (Lilian Paranhos)
Tony Ramos Márcio Hayalla
Tereza Rachel Clô (Clotilde Hayalla)
Dionísio Azevedo Salomão Hayalla
Rubens de Falco Samir Hayalla
Carlos Eduardo Dolabella Natal (Natalício Valença)
Stepan Nercessian Alan Quintanilha
Flávio Migliaccio Neco (Nestor da Silva)
Ângela Leal Laurinha (Laura Paranhos da Silva)
Edwin Luisi Felipe Cerqueira
Eloísa Mafalda Consolação Paranhos
Ida Gomes Tia Magda
Heloísa Helena Beatriz
Sílvia Salgado Jôse (Joselina Mello Assumpção Hayalla)
Hélio Ary Mello Assumpção (Agenor Mello Assumpção)
Macedo Neto Amin Hayalla
Marilena Cury Nadja Hayalla
Isaac Bardavid Youssef Hayalla
Leda Borba Jamile Hayalla
Telma Elita Myrian Lambert Mello Assumpção
Ênio Santos Dr. Pirilo Cerqueira
Marília Barbosa Mara Célia
Cleyde Blota Doralice
Paulo Gonçalves Inspetor Malvino
Paulo Ascenção Paulinho
Rejane Marques Luísa
Tony Ferreira Gilberto
José Luiz Rodi Henri
Edson Silva Almeidinha
Maria Sílvia Tânia
Juan Daniel Seu Dondinho
Maria Helena Velasco Valéria
Mira Palheta Sílvia
Luiz Macedo Zeca
César Augusto Joaquim
Cecília Loyola Nilza
Aguinaldo Rocha Dr. Jandir
Carlos Poyart Nequinho
Michele Bulos Michele
Newton Martins Delegado
Nestor de Montemar Padre Laurindo
José Maria Monteiro Mordomo dos Hayalla
Zilda Pereira Carmem

Música[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

  • Capa: logotipo da novela
  1. "Um Jeito Estúpido de Te Amar" - Maria Bethânia
  2. "Que Pena" - Peninha
  3. "Saco de Feijão" - Beth Carvalho
  4. "Estado de Fotografia" - Vanusa
  5. "Nêga" - Emílio Santiago
  6. "As Forças da Natureza" - Clara Nunes
  7. "Bijuterias" - João Bosco
  8. "Trocando em Miúdos" - Francis Hime
  9. "Boi da Cara Branca" - Hélio Matheus
  10. "Ambição" - Rita Lee
  11. "É Hora" - Djavan
  12. "Olha" - Marília Barbosa
  13. "Enredo de Pirraça" - Elza Soares
  14. "Mais Uma Vez" - Marizinha

Internacional[editar | editar código-fonte]

  1. "Don't Let Me Be Misunderstood" - Santa Esmeralda
  2. "Easy" - The Commodores
  3. "Only The Strong Survive" - Billy Paul
  4. "For Once In My Life" - Freddy Cole
  5. "I'm Sagittarius" - Roberta Kelly
  6. "You're Too Far Away" - David Castle
  7. "Loneliness" - Joe John Daniel
  8. "We're All Alone" - Rita Coolidge
  9. "Citations Ininterrompues" - Café Crème
  10. "Love For Sale" - Boney M.
  11. "Bird Songs" - Chrystian
  12. "The Name Of The Game" - Abba
  13. "Dreamin' "- Liverpool Express
  14. "Destiny" - Julian Grey

Complementar: temas instrumentais[editar | editar código-fonte]

  • Capa: logotipo da novela
  1. "Loneliness" - Joe John Daniel
  2. "Love Is a Simple Thing" - Joe John Daniel

Remake[editar | editar código-fonte]

Um remake da novela foi apresentado em 2011 para comemorar os 60 anos de televisão no Brasil, adaptado por Alcides Nogueira, com direção de núcleo de Roberto Talma.[3] As fotos dos protagonistas já foram divulgadas. Rodrigo Lombardi viverá Herculano Quintanilha. Alinne Moraes, Carolina Ferraz, Daniel Filho e Regina Duarte também estão no elenco.[4]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.