Snowboard

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Homem praticando Snowboard.

O Snowboard ou Snowboarding é um esporte que, tal como o skate e o surfe, consiste em equilibrar-se sobre uma prancha, este porém se faz na superfície nevosa das encostas de montanhas - como o esqui. A prancha usada deve ser proporcional ao corpo do praticante, ela devendo ter o comprimento do chão até a altura do nariz. A prancha é lisa e não há rodas ou ferros na sua parte inferior. Usa-se prendedores aos pés e as pontas dianteiras e traseiras da prancha são ligeiramente curvadas para cima. Uma vez que a neve dificulta o impulso da prancha com a ajuda dos pés a única maneira de praticá-lo é descendo as encostas de montanhas. Há modalidades que incluem o uso de halfpipes compridas em declive (estruturas côncavas em formato de meio cilindro) e rampas artificiais para a realização de grandes saltos onde se pode fazer várias manobras antes de se alcançar o chão.

O surfe é o equivalente na água do snowboard.

    1. Sobre Sn
    2. Prancha de snowboard.

O snowboard é um esporte radical e muitas vezes perigoso, é que algum deslize pode fazer o snowboarder (o praticante do desporto em inglês) rolar montanha abaixo, são necessários equipamentos de proteção tais como:

  • roupas especiais;
  • óculos apropriados - usar óculos de boas lentes é recomendado para estâncias de muita luz solar;
  • fixações para os pés.

Os equipamentos mais essenciais são o capacete e as luvas as quais geralmente contêm placas de plástico que impedem o movimento dos pulsos, reduzindo assim a chance de quebrá-los quando houver acidente.

Ao caso de alugar ou comprar um capacete deve-se sempre certificar-se de que:

  • esteja sempre intacto;
  • tenha uma proteção para as orelhas;
  • uso de fivelas ajustáveis.

Na compra das roupas é importante lembrar-se de que:

  • idealmente são roupas coloridas e distantes do branco ou preto para em caso de avalanche ou outros problemas o grupo de resgate conseguir visualizar a vítima à distância;
  • devem ser quentes e confortáveis para combaterem o rigor do frio e da neve;
  • devem ser leves;
  • porém não devem ser muito grossas pois assim elas inibem a mobilidade do praticante.

As luvas preferencialmente devem ter uma placa de plástico embutida e dois componentes: uma luva de pano e uma luva grossa. A razão é que quando se está praticando snowboard sempre é necessário tirar a bota e colocá-la de novo, por isso a luva de pano facilita o manuseamento.

Snowboarder mostrado nos diversos estágios de um mid-flight.

Começando[editar | editar código-fonte]

Primeiramente deve-se decidir o pé dianteiro que é colocado na prancha. Pessoas que põem o pé direito na frente são chamadas de goofy (patetas em inglês) e as que põem o esquerdo são chamadas de regulars (normais em inglês). As pessoas que praticam skate ou surfam, tendem a aprender mais rápido porque a técnica de jogar o peso pra frente e para trás desses esportes é a mesma. As duas coisas que sempre devem ser lembradas são: manter-se nas pontas dos pés ou nos calcanhares e não deixar a prancha ficar completamente encostada no chão. A razão é simples pois quando fica totalmente encostada no chão ela perde a estabilidade e a pessoa cai. Para frear deve-se pôr o peso do corpo nos calcanhares, procedimento que faz a prancha parar. Cuidado para não exagerar no peso pois senão a prancha desliza e a pessoa também cai. No início é bastante difícil acertar a quantidade de peso que se deve colocar, o que com a prática se arranja o jeito.

Classificação de pistas[editar | editar código-fonte]

Geralmente na maiorias das estações de esqui e snowboard há quatro classificações para as pistas:

  • Verde (para aprendizagem)
  • Azul (para iniciantes)
  • Vermelho (para intermediários)
  • Preta (para experts)
  • Laranja ( muito rara e com perigo de morte)

O praticante deve escolher a pista de acordo com o grau de experiência e aptidão, lembrando que sempre se pode mudar o grau conforme se vai avançando no esporte. Escolher uma pista que exige um grau de habilidade muito acima do seu, ou desrespeitar os sinais da pista, podem gerar sérios acidentes.

Modalidades[editar | editar código-fonte]

Manobras comuns do Snowboard[editar | editar código-fonte]

Air-to-fakie: consiste em um salto simples que o praticante dá no halfpipe, entrando de frente para a parede e voltando com a parte traseira da prancha (backside).

Alley-oop: é qualquer manobra de rotação maior que 180 graus.

Blindside: é um giro realizado pela parte traseira da prancha.

Boned: quando se está no ar segura-se a prancha e esticam-se as pernas para trás.

Cab: o praticante está de backside, gira 360 graus e aterrissa de frente.

Carve: consiste em fincar o lado traseiro ou dianteiro da prancha no chão, enquanto deslizando para reduzir o atrito e descer mais rápido.

Flip: salto mortal.

Spins: são as voltas que o praticante dá com a prancha.

Rodeo: é o popular parafuso, mistura do spin com o flip.

Fakie: deslizar com o pé traseiro na frente.

Mute: o corpo gira em 90 graus e coloca a mão entre as pernas.

Tailgrab: colocar a mão ou na ponta da frente ou de tras.

Normas da Federação Internacional de Esqui[editar | editar código-fonte]

Eis as dez normas de conduta e segurança da Federação Internacional de Esqui:

1. Respeito pelos outros: Todos os utilizadores das pistas deverão comportar-se de modo a não colocar em risco todos os outros esquiadores.

2. Controle: Todos os utilizadores das pistas deverão adaptar a velocidade ao seu nível técnico e capacidade física, bem como, às condições atmosféricas, de terreno e de tráfego.

3. Escolha da trajetória:o esquiador em posição superior deverá escolher a trajectória de forma a garantir a segurança de quem está em baixo. O esquiador em zona inferior (vale) tem sempre prioridade.

4. Ultrapassagens: poderão ser feitas por cima (montanha), por baixo (vale), pela direita ou esquerda, sempre de forma folgada, garantindo a possível evolução daquele que se ultrapassa.

5. Entrada nas pistas e num cruzamento: ao entrar numa descida (pista) ou ao passar um cruzamento todo o utilizador deverá olhar para cima (montanha) e para os lados, por forma a verificar se poderá entrar nas pistas com a maior segurança.

6. Paragem/parada: todos os utilizadores deverão evitar parar em zonas estreitas, lombas e zonas sem visibilidade. Em caso de queda deverão retirar-se da pista o mais rápido possível.

7. Subidas e descidas a pé: deverão ser feitas pelos laterais das pistas, tendo atenção para não colocar em perigo todos os outros utilizadores.

8. Respeito pela marcação, sinalização e informação nas pistas: todos os utilizadores das pistas deverão estar informados sobre as condições reais de cada zona de pistas, bem como respeitar todas as indicações e marcações de segurança existentes nas mesmas.

9. Assistência: qualquer pessoa envolvida ou testemunha de um acidente deverá prestar assistência e dar o alerta para o mesmo. Em caso de necessidade e a pedido dos socorristas deverá colocar-se ao serviço dos mesmos.

10. Identificação: Qualquer pessoa, testemunha ou envolvida num acidente, deverá se identificar perante a equipe de socorro.

Atletas do Esporte[editar | editar código-fonte]

Snowboard Brasileiro[editar | editar código-fonte]

Desde final da década de 90 já existia um local com o uso de uma pista de neve artificial de mais de 400 metros de extensão, na cidade de São Roque, estado de São Paulo, para a prática de snowboard no Brasil. Hoje existem outras pistas artificiais a fim de promover e difundir o esporte em várias localidades do País.

Porém, mesmo com poucos lugares para a prática do snowboard, os brasileiros dominam o esporte em nível profissional na América Latina. Uma vez que não há montanhas no Brasil em que neve frequentemente, muitos brasileiros profissionais se deslocam a outros países do continente, que possuem montanhas nevosas, como o Chile e a Argentina, para praticá-lo; também se encontram brasileiros praticando-o na Europa e na América do Norte.

O Brasil é líder do ranking sul-americano de snowboard nas categorias feminina e masculina. Há uma lista a seguir de pontos dos atletas que foi publicada pela Federação Internacional de Esqui.

A brasileira Isabel Clark, que obteve 9º lugar nos Jogos Olímpicos de Inverno de Turim em 2006, lidera com folga no overall feminino (pontuação geral de todas as modalidades) com 379,13 pontos. Na 2ª colocação está a chilena Josefina Elton, com 87 pontos. Além da grande pontuação no overall, Isabel se destacou no boardercross com 310 pontos; a partir disso, obteve a melhor pontuação na modalidade em que é especialista e, com isso, Isabel chega à 20ª colocação no ranking mundial.

Já no masculino, Mário Zulian tem 81 pontos, seguido pelo argentino Diego Linares com 65,85 pontos. Riccardo Moruzzi lidera o ranking sul-americano nas disciplinas alpinas com 48 pontos, seguido pelo também brasileiro José Carvalho Jr., que soma 38,40 pontos.

O Brasil foi o melhor colocado da América latina nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2006, em Turim, na Itália.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Snowboard