Drift

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde outubro de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Toyota Supra em uma competição de drift; Atlanta, 2005.

Drift ou Drifting (ドリフト走行, dorifuto sōkō?), é uma técnica de direção de carros que consiste em deslizar nas curvas escapando a traseira, girar o volante para que as rodas dianteiras estejam sempre em uma direção oposta a curva (se o carro vira para a direita então a roda deve estar a esquerda, e vice versa), controlando o nível de derrapagem, fazendo o carro literalmente andar de lado.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O drift moderno teve início no “All Japan Touring Car Championship races” há 40 anos atrás. O legendário piloto Kunimitsu Takahashi foi o criador da técnica em 1970. Ele ficou famoso batendo seu “apex” (o ponto onde o carro esta mais perto da curva) em alta velocidade e derrapando na curva, saindo da curva com mais velocidade que o normal. Depois dessa façanha ele ganhou uma legião de fãs que deram início ao drift japonês.

Uma competição de drift por times; Melbourne, 2005.

Um corredor de rua chamado Keiichi Tsuchiya ficou particularmente interessado no drift de Takahashi, Tsuchiya começou a praticar suas técnicas de drift nas montanhas do Japão, e rapidamente ganhou uma grande reputação. Em 1987, uma revista muito popular de tunning e carros concordou em produzir um vídeo sobre as habilidades de Tsuchiya, esse vídeo conhecido como Pluspy se tornou um hit e inspirou milhares de corredores profissionais de drift que correm nos circuitos atualmente. Em 1988 o diretor chefe da Option magazine Daijiro Inada ajudou a organizar o primeiro torneio especializado em drift.

O drift chegou no Brasil muito tempo depois, o drift no Brasil só começou a ganhar destaque com a popularização do tuning e a chegada de jogos e filmes relacionados, caso do filme Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio e divulgação feita pela Drift Brazil. Depois de sua estreia vários documentários e matérias em jornais e revistas começaram a falar sobre o drift,o drift está representado por diversos clubes e foruns em Portugal e no Brasil.

Técnicas[editar | editar código-fonte]

Para fazer drift é necessário ter um carro tração traseira. O suposto "drift" com carros de tração dianteira é na verdade conhecido como power sliding.

drifting é levar seu carro além dos limites. Depende da técnica de direção para fazer o carro deslizar de lado e manter isso. Você tem que equilibrar a velocidade e o ângulo do drift unindo movimentos. Para ser o melhor você tem que aprender a unir alta velocidade com ângulo do drift simultaneamente.

Aprenda a unir Velocidade, Ângulo, Inércia, crie um traçado imaginário.

Existem dois passos a serem seguidos para qualquer drift, então preste atenção.

O primeiro passo é iniciar o drift. Isto significa deixar o carro de lado. Há muitas maneiras de iniciar um drift, e aprender as técnicas para fazê-lo . O segundo passo é controlar o drift. Vamos ver o básico.

Drifting básico

Se você quer fazer drift, tem que entender como se fazer uma curva. Ela acontece quando a traseira do carro gira na direção da curva. Há muitas maneiras de fazer isso acontecer, vou ensinar todas para vocês. Em carros tração traseira, você pode usar a aceleração para regular o ângulo do drift. Forçar a curva com o carro é uma grande parte do drift. Mas se você não conseguir controlar o carro vai acabar batendo.

Para evitar que o carro gire, você precisa virar na direção contraria. Vire as rodas dianteiras com calma na direção da curva e equilibre a aceleração para manter o drift. Treine este equilíbrio até se acostumar. Os carros são diferentes, então treine bastante naquele que você acha mais seu estilo. Para drifting, use carros com tração traseira..

Power over

Vamos fazer anglo simples: drift por aceleração. É só usar a aceleração para deixar seu carro de lado. Para fazer isso, acelere bastante e vire totalmente para esquerda ou direita. Tente girar o carro em círculos no mesmo lugar, isso vai ajudá-lo a treinar. Quando você tiver dominado isso, conseguira fazer muito mais! Talvez você precise virar na direção contraria para evitar que o carro gire, principalmente depois, com mais potencia.

Side

(também conhecido como drift de freio de mão)

Esse é fácil: puxe o freio de mão e vire a direção. Se você estiver numa reta, o carro ira girar rapidamente. Se você já estiver no drift, usando o freio de mão ira travar as rodas traseiras, aumentando o ângulo do drift. Lembre-se que o ângulo baseia-se no tempo que você segura o freio de mão. Se você segurar por muito tempo, pode acabar girando. Acertar um drift de frenagem lateral depende de travar as rodas traseiras. Travar e girar, entendeu? Tente misturar a frenagem lateral com aceleração, ou outras técnicas. Quando você estiver de lado, acelere e vire na direção contraria para manter o drift. Não é muito aconselhável pois o carro pode perder o controlo rapidamente. Ás vezes o que é fácil não ajuda.

Braking

Você já entendeu que o drifting depende de tirar o equilíbrio do carro. Esse drift faz exatamente isso, acaba com o equilíbrio do carro. Confira! Entre em alta velocidade. Agora solte o acelerador e freie! Segure um pouco e volte ao acelerador. Se você fizer certo, o carro vai rodar. Pisando no freio faz o peso do carro mudar para a dianteira abruptamente. Isso faz a traseira perder tração e começar a girar.

Esse e o mais difícil até agora, arrisque!

Drift por redução de marcha

A redução de marcha pode ser feita na corrida de GRIP, para começar um drift ou durante um drift para mantê-lo. Durante a curva, rapidamente reduza a marcha, aumenta a rotação do motor. A força extra ajuda as rodas traseiras a girarem. O carro ira rodar imediatamente. Garanta que o acelerador esteja pressionado quando for reduzir a marcha, ou não vai funcionar. Quando você fizer corretamente, o carro irá (pular), então vire na direção contraria ou você vai rodar durante a curva.

Acel off

É exatamente o que parece, para essa técnica , você precisa soltar o acelerador para fazer o carro rodar. Entre em uma curva mais rápido do que deveria. Garanta que o acelerador esteja pressionado. Quando estiver pronto para virar, solte o acelerador, nesse momento o carro deve girar com a suspensão traseira ficando mais leve (a transferência de peso ocorre como no drift por frenagem, só que mais sutil). Vire na direção contraria e aproveite. Você pode unir essa técnica com outras, como a de redução de marcha para aumentar a distancia do drift ou o ângulo. Use isso para grandes driftS e para acertar o ângulo.

Furikai

(também conhecido como drift pendulo, chicote escandinavo, ou "scandinavian flick")

Furikai é uma técnica usada comummente em corridas de rally. Consiste em entrar na curva por dentro ao invés da trazada comum, onde o carro é dirigido pelo exterior da curva. No momento de entrar na curva, o carro há de ser virado para fora, e logo abruptamente para dentro. Fazendo isso, consegue-se alterar a distribução de peso do veículo para o mesmo lado do exterior da curva, e, pelo giro repentino, provoca-se a perda de tracção no eixo traseiro. Uma vantagem desta manobra é a relativa facilidade para recuperar o controle do carro simplesmente soltando o acelerador.

Manji

Técnica igual ao Feint, mas feita em retas. Com a velocidade certa, se o veículo vira-se para um lado, e solta-se o acelerador (isso fará a traseira rodar rapidamente), a distribução do peso é alterada, ao virar para o outro lado pisando no acelerador simultaneamente, a perda de tracção criada pode ser mantida virando para a direcção contrária mais uma vez, ja que uma vez a inercia é suficiente para criar a perda de tracção, é possível fazer drifts em direcções opostas sequencialmente.

Dirt drop

Isto é feito deixando sair os pneus traseiros fora da pista (na sujeira) para manter ou ganhar o ângulo de drift sem poder ou velocidade perdedora e para ajustar-se para a curva seguinte. Somente permissível nas estrada sem barreiras e alinhadas com sujeira ou outros materiais que posam perder a tração. isto é feito geralmente em rallying de WRC.

Clutch kick

Kicking, pise rapidamente na embreagem dentro da curva sem tirar o pé do acelerador, à embreagem empura para dentro ou para fora, use esta tecnica para ajustar o ângulo do drift, para um ajuste muito rapido.

Changing side swing

Esta técnica é usada extensivamente na competição D1 japonesa e é muito similar à drift inércia (feint). É feita frequentemente no primeiro canto do drift da entrada, que é frequentemente uma volta dobro longa do apex imediatamente antes de um muito rápido straight-way. Se straight-way antes que o apex dobro é de uma orientação em declive, o condutor se mantiver dirigir no lado da trilha que é a mais closetest ao canto. Então com sincronismo correto na mente, o condutor muda abruptamente o carro no outro lado. Este movimento tem o momentum do carro a ser alterado fazendo com que as rodas traseiras percam a tração. O carro está em uma direita do movimento do drift agora. O drift é carregada então sobre o canto e através dela.

Choku dori

Isto é usado principalmente depois de viradas longas, retardar para baixo o carro e executar drift POR REDUÇÃO DE MARCHA. O carro está jogado em um feint e balançado para trás a outra maneira em velocidades muito elevadas, quando o condutor usar o BRAKING manter a linha dos carros e estender à tração.

Kansei

Essa técnica é utilizada em curvas de alta-velocidade, se executada perfeitamente não é utilizado o freio. Na entrada da curva retira-se o pé do acelerador (accel-off) transferindo o peso para frente e provocando a perda de tração nas rodas de trás.

Dynamic drift

Esta técnica é similar ao Choku Dori. Emprega todos os formulários das técnicas acima - e não restringido a somente uma - nas combinações para realizar o movimento desejado da tração.

Carros[editar | editar código-fonte]

Um Toyota AE86 realizando drift

Os carros utilizados em drift são consideravelmente leves. No Japão os carros mais usados são o Nissan Silvia,Nissan 350z ou (zeto), Toyota AE86, Mazda RX-7, Nissan Cefiro (versão com tração traseira), Nissan Laurel, Nissan Skyline (com tração traseira), Nissan Fairlady Z, Toyota Altezza, Toyota Soarer, Honda S2000, Mazda Miata, Toyota Supra, Subaru Impreza e Mitsubishi Lancer Evolution. Já a competição de drift nos EUA utiliza versões locais desses carros (tais como Nissan 240SX e o Corolla GT-S de Toyota), carros americanos de alta desempenho Dodge Viper, e muscle cars como o Dodge Challenger ou o Ford Mustang. Os drifters em outros países geralmente usam seus carros locais, tais como o Ford Sierra (Ucrânia e Irlanda), BMW Série 3 (em outras partes da Europa), ou Volvos. Porém, não basta somente com que sejam carros a tracção traseira: A distribução de peso, e portanto, a posição do motor, fazem muito difíceis de dirigir num drift aqueles carros com motor central, como o Lotus Elise, ou traseiro, como o Porsche 911.

Os carros FWD (com tracção dianteira) não são permitidos nos torneios de drift como o D1GP.

Os carros AWD (com tracção nas quatro rodas, conhecidos também como 4WD ou 4x4), como o Subaru Impreza WRX STi, e Mitsubishi Lancer Evolution possuem drift de ângulos bem diferentes. D1 e outras competições profissionais não permitem carros AWD. Porém, carros como o Impreza e o Lancer podem ser convertidos para RWD para poderem competir nesses torneios.

Tem que ser notado que a única manera para manter o drift é mediante a propulsão das rodas traseiras. Obviamente, isso faz inviável carros de tracção dianteira para campeonatos de drift, mas não para fazer a própia manobra. De fato, o "Scandinavian flick" foi criado nos Rallies devido a que a subviragem dos carros de tracção dianteira usados na época fazia úteis técnicas mais agressivas.

Mercedes-Benz CLS em demonstração, note o esterçamento da roda dianteira e a "saída" de traseira.

Manga e Anime[editar | editar código-fonte]

  • A série de mangá Initial D criada por Shuichi Shigeno, que teve uma adaptação para desenho animado japonês (anime) e um seriado live-action, é uma série de grande sucesso no Japão que retrata fielmente o drift nas montanhas.

Jogos baseados em Drift[editar | editar código-fonte]

  • Vários jogos de corrida do tipo arcade como Project Gotham Racing, Daytona USA, OutRun e especialmente Ridge Racer que apesar de apresentar de modo arcade, o drift prioriza a diversão.
  • Jogos de corrida como Gran Turismo (PS3), Forza Motorsport (xbox360), Enthusia Professional Racing (PS2), Racer Driver Grid e Need for Speed: Shift 2 Unleashed retratam seu drift com algum realismo.
  • No jogo Live For Speed (PC) é necessário fazer uma configuração própria de carro, ajustando cada parte específica como pressão dos pneus, ou altura de suspensão e entre mais de 20 peças que podem ser modificadas, você tem que realmente fazer tudo que um piloto faria na vida real. A física não decepciona, assim como o desgaste dos pneus vai ocorrendo, fazendo com que o veículo esteja em constante mudança em relação a estabilidade.
  • Em Need for Speed: Underground, os circuitos de drift são em estacionamentos, porém não retrata realmente a sensação do drift.
  • Need for Speed: Underground 2 foi o primeiro jogo que começou a retratar os drifts em canyons, porém, a física é a mesma, se, comparado ao seu antecessor.
  • Need For Speed: Carbon prioriza os eventos em canyons, as pistas de drift variam entre os canyons, circuitos e ruas da Palmont City. Baseada em uma nova engine, os drifts são baseados no modo kansei; não retrata realmente o drift.
  • Em Need For Speed: ProStreet, a engine feita para drift faz a experiência mais realista do que seus antecessores.
  • Em 2007 saiu o jogo que se baseia no 3º filme da série Velocidade Furiosa.
  • O jogo coreano Skid Rush para o inglês, 'Drift City', apresenta o drift como elemento principal para o sucesso de um piloto na OMD (um tipo de FBI). O ponto fraco do jogo é a facilidade de se fazer drift e ausência de técnicas específicas.
  • O jogo D1GP Séries, que foi lançado em 2005 pela editora "Yukes", apresenta um aspecto peculiar o mundo do drift; assim o piloto terá de usar técnicas para se fazer.
  • Lançado para o console Play Station 3 baseado na série Initial D o jogo Initial D: Extreme Stage foi produzido pela SEGA e lançado em 3 de Julho de 2008 no formato de disco Blu-Ray, mas, apenas foi disponibilizado para Japão, Hong Kong, Singapura, Taiwan e Coréia do Sul.
  • No jogo Juiced 2: Hot Import Nights o jogador tem que se adaptar ào modo de drifting do jogo para fazer conquistas que necessitam um certo grau de dificuldade, tal como fazer pontuações superiores a 1 milhão sem bater ou em um determinado tempo imposto pelas regras das corridas.
  • Nas ruas de Paradise City retratado no jogo Burnout Paradise, é possível fazer drifts para adquidir nitro extra ou para acumular pontos em eventos característicos da série.
  • Em todo o ambiente do jogo Need for Speed: Hot Pursuit, é possível fazer drifts sem restrições de carros, categorias ou circuitos. Praticamente em qualquer rua de Seacrest Country é possível aplicar a técnica.
  • Existem vários simuladores de eventos tipo rally como o WRC FIA World Rally Championship e Dirt que simulam de forma quase real como seria a técnica do drift sob diferentes terrenos.
  • Outro é o Tokyo Xtreme Racer: Drift 2, um jogo de drift lançado pela Genki em 28 de julho de de 2005, para o console PlayStation 2, que retrata o drift tanto em montanha como em circuitos, onde os carros são montados de acordo com as preferências do jogador, na maioria carros japoneses, com preparação peculiar de drift com ajustes de motor, suspensão, blocantes, escapamentos e é claro, a parte visual personalizável.

Cinema[editar | editar código-fonte]

  • Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio no Brasil, (The Fast and the Furious Tokyo Drift) é o terceiro filme da série Velozes e Furiosos. Esse filme é inteiramente ambientado no mundo do drift na cidade de Tóquio que conta com uma grande quantidade de carros licenciados e corridas ilegais tanto em estacionamentos, montanhas e ruas.
  • Evolusi Kl Drift, é um filme baseado no tão famoso Velozes e Furiosos, Desafio em Tóquio, mas este, foi produzido na Malasia. Ao contrário de "Desafio em Tóquio" este foi produzido em ruas da própria Malasia, tal como as famosas ruas de Johor Bahru, localizada em Johor, Bukit Tinggi no distrito de Pahang e na capital Putrajaya.
  • Racha: Velocidade sem Limites, é um filme que foi baseado no First Stage do animê Initial D, no qual a história ficou bem resumida, já que foram condensados perto de quarenta episódios um único filme. É indicado mais para os fãs, sendo razoavelmente fiel a este. Entre as adaptações que mais chamam a atenção, está o fato do Hachi-Roku ganhar capô preto antes de Takumi entrar para o Project D, o sumiço do Keisuke e o fato do Itsuki virar filho do dono do posto de combustível. Destaque para o Bunta, interpretado pelo mesmo sujeito que fez o filme Casa da Fúria, produzido por Jackie Chan.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons

Referências

  1. "". ITSD.