TV Roraima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
TV Roraima
Rádio TV do Amazonas Ltda.
Av. João Pereira de Melo, 680
Cidade de concessão Boa Vista, RR
Canais
4 VHF analógico
17 UHF digital
Outros canais 09 Alto Alegre
12 - Amajari
11 Bonfim
08 Cantá
06 Caracaraí
02 Caroebe
09 Iracema
07 Mucajaí
07 Normandia
04 Pacaraima
04 Rorainópolis
13 São João da Baliza
04 São Luís
05 Uiramutã
Slogan Cada vez mais perto de você
Rede Rede Globo
Proprietário Phelippe Daou
Fundação 14 de junho de 1974 (40 anos) (experimental)
29 de janeiro de 1975 (39 anos) (oficial)
Prefixo ZYB 600
Cobertura + ou - 70% de Roraima
Redes anteriores Rede Bandeirantes
Página oficial portalamazonia.com

A TV Roraima é uma emissora de televisão brasileira com sede em Boa Vista, Capital do Estado de Roraima.

A emissora de TV é afiliada à Rede Globo e é sintonizada no canal 4 VHF. É a primeira estação de TV em Roraima e também a primeira a entrar no ar no Hemisfério do Norte brasileiro.

A emissora tem sinal de satélite BrasilSat B4, na qual cobre quase todo o estado de Roraima, possibilitando repassar a programação local da emissora às repetidoras do interior.

Recebe desde 2008, o sinal da Rede Fuso devido a diferença de 1 hora em relação ao horário de Brasília, com exerção aos domingos, pois a programação da Globo é de classificação livre. Quando começa e termina o horário de verão, a programação da Rede Fuso fica 1 hora de diferença, mas aos domingos, a diferença é 2 horas.

História[editar | editar código-fonte]

A chegada da televisão em Roraima se remete às vésperas da Copa de 1970, quando o estado de Roraima, era idêntico ao que balançava o restante do país, quando a Seleção Brasileira de Futebol ainda rumava para o tri-campeonato de futebol. Por aquela época o técnico em telecomunicações e eletrônica, Esdras Avelino Leitão, lutava para brindar parentes e amigos com imagens da final da Copa do Mundo do México.[1] [2]

Entretanto, desde final dos anos 60, algumas pessoas assistiam imagens através de receptores espalhados pela cidade. Na época, o técnico em eletrônica, Esdras Leitão, já captava imagens da final da Copa do Mundo do México, na qual o Brasil se sagrou tri-campeão. O feito só foi possível devido à sua persistência que, improvisando pequenas parabólicas, conseguiam captar imagens geradas pela emissora de TV costa riquense[1] [2] (a Teletica), emissoras venezuelanas[1] [2] (como a RCTV Canal 2, Venevisión Canal 4, TVN Canal 5, Venezolana de Televisión Canal 8, todas vindas de Caracas) e até americanas[1] [2] (NBC, ABC e CBS). E isso era possível com certa regularidade e qualidade razoável.[1] [2]

A luta deste técnico permitiu que, por quase quatro anos, amigos e parentes pudessem assistir diariamente a televisão, com programação bastante variada. Na maioria das vezes, com o sistema de rastreamento desenvolvido, eram captadas imagens apenas de outros países, quase sempre da Venezuela.[1] [2]

Quando assumiu o Governo do Território de Roraima, em 12 de março de 1970, o coronel-aviador Hélio Costa Campos tomou conhecimento das aventuras empreitadas pelo técnico Esdras. Ligado à área de telecomunicações, o coronel-aviador não conseguia entender por que um território com mais de 30 mil habitantes não podia ter o privilégio de assistir televisão. Hélio Campos se empolgou com a história. Num levantamento preliminar descobriu-se que em todo o território existiam 70 aparelhos de televisão, todos captando as imagens de emissoras estrangeiras.[1] [2]

Entusiasmado com a vontade dos roraimenses, o governador se comprometeu publicamente em abril, que todos os habitantes “iriam assistir a abertura da Copa do Mundo de 1974, prevista para o mês de junho, com imagens geradas por uma emissora instalada em Roraima”.[1] [2]

A determinação do governador foi fundamental para a idealização do objetivo. Em tempo recorde (15 dias) foi construído o prédio para as instalações da TV. O jornalista Laucides Oliveira foi destacado para acompanhar o projeto de implantação da emissora. Mas quem acabou mesmo supervisionando o projeto foi o próprio governador.[1] [2]

Imediatamente começa a batalha para aquisição dos equipamentos para a emissora entrar em operação, ao mesmo tempo foi liberado pelo Ministério das Comunicações o sinal para o Governo de Roraima iniciar a retransmissão de programação. Com boa parte dos equipamentos emprestados da TV Educativa do Maranhão e com material e programação gravada pela TV Amazonas.[1] [2]

No dia 14 de junho de 1974, às 18 horas, todos os roraimenses acompanharam a inauguração oficial da TV Roraima Canal 2, a primeira em operação em território brasileiro no hemisfério Norte. Inaugurada, as primeiras imagens geradas pela TV roraimense foram da Copa do Mundo da Alemanha Ocidental. Para que isso fosse possível foi montada uma operação de guerra. Como no território não tinha equipamento para a captação das imagens, a programação de inauguração foi gravada em Manaus (distante 800 quilômetros de Boa Vista) e um avião cedido gentilmente pelo governo do Amazonas se encarregou de trazer para Roraima o governador e as fitas com toda a programação gravada. Só assim foi possível, quatro horas após o encerramento da abertura e do primeiro jogo (empate entre Brasil e Iugoslávia, realizado no final da tarde de 13 de junho), os roraimenses assistirem as mesmas imagens que já tinham sido exibidas em quase todo o país. Desde o primeiro dia de funcionamento, ao contrário de emissoras de TV na época que iniciaram em preto e branco, a TV Roraima já gerava imagens a cores. E a programação se estendeu até às 22 horas.[1] [2]

No dia seguinte, mais uma missão de guerra para a emissora entrar em funcionamento. O problema era a falta de programação. Os filmes, shows, entre outras produções, eram comprados fora de Roraima. As dificuldades ainda impediam uma programação local. Mesmo assim o diretor da emissora, Laucides Oliveira, resolveu levar ao ar telejornal local, aproveitava o noticiário transmitido pela Rádio Nacional. Dentro da TV foi montado estúdio de rádio. Os apresentadores Célio Antunes e Benjamin Monteiro repetiam na TV o que faziam no rádio, da cabine liam todo o noticiário com duração de meia hora. Os telespectadores ouviam as notícias e assistiam imagens (slides) de Boa Vista. Como não era possível a captação de imagens, a emissora colocava, durante o “telejornal”, slides com vistas da cidade.[1] [2]

Portanto, independente da notícia, invariavelmente o roraimense assistia, todos os dias, as mesmas imagens enquanto que os apresentadores liam as mais variadas informações. Assim foi até o fim daquele ano. O restante da programação, com duração de quatro horas diárias, era composta por filmes, shows, noticiários, adquiridos em outras emissoras do Rio de Janeiro e de São Paulo.[1] [2]

Com a transmissão da primeira Copa do Mundo em cores e ao vivo para o Brasil, na verdade para quase todo o país, a falta dos satélites (chegariam uma década depois) submeteu a população ao vídeo-tape. Por causa disso, em Roraima, por exemplo, os jogos eram vistos dias (às vezes, semana) após a sua realização. Era o tempo que levava para as fitas com as gravações serem enviadas do Rio de Janeiro ou de Manaus em vôos semanais. “Boa parte dos roraimenses só acreditou na desclassificação brasileira com uma semana de atraso, mesmo assim foi uma comoção geral, muitos choram diante do aparelho de TV”, afirmou o jornalista Laucides Oliveira, que na época era diretor da Rádio Nacional em Roraima, primeiro diretor, repórter e apresentador da televisão roraimense.[1] [2]

Porém, quatro meses depois de inaugurada, em 26 de setembro, o governo do território resolveu transferir a emissora para a iniciativa privada, anunciada como a “televisão comercial”.[3] [1] [2] Todos os acervos da emissora foram entregue à Rede Amazônica de Rádio e Televisão, sediada em Manaus, capital de Amazonas. Com isso, a televisão só chegou Roraima oficialmente em setembro de 1974. No final do mês, a emissora saiu do ar.[1] [2]

Na segunda quinzena de dezembro de 1974, a TV Roraima entrou em operação experimental. A volta era apenas em testes de sinais e sons pra ser inaugurado pro próximo ano.[1] [2]

No dia 29 de janeiro de 1975, a TV Roraima entra em funcionamento oficial, agora como emissora comercial e transferido do canal 2 para o 4, retransmitindo a programação da Rede Bandeirantes. Toda a programação era em cores, com exceção do noticiário local, agora com imagens, mas em preto e branco.[1] [2]

A TV Roraima foi a primeira emissora do país a utilizar o vídeo cassete, recém-lançado nos Estados Unidos. Porém, a programação continuava sendo gravada em Manaus e enviada para Boa Vista em malotes. Não era possível ainda a geração e captação de imagens via satélite. Só em meados de 1975 se instalou a Embratel em Roraima. Os grandes malotes, que levavam dias para chegar à Boa Vista, foram abandonados.[1] [2]

Desde a inauguração de 1974 até o final dos anos de 80, a TV Roraima atuou sozinha no estado durante 16 anos, contando de 1974.

Em 1976, o telejornalismo local foi ampliado e a Rede Amazônica firmou contrato para a retransmissão da Rede Globo em Roraima, mas permaneceu com Bandeirantes, na prática, a emissora tornou-se afiliação independente.[1] [2]

Nos anos de 1978, 1982, 1986 e 1990, que coincidiram nas Copas disputadas pelo Brasil, a emissora passou a expandir pelo interior do Território Federal, para que os roraimenses de todos os municípios acompanhassem a conquista do tetra-campeonato do país em 1994, já como Estado.

Em 1982, a TV Roraima deixa retransmitir programação de duas redes, quando deixa a Bandeirantes e passa a retransmitir com exclusividade toda a programação da Rede Globo. É a primeira afiliada da Rede Amazônica à Rede Globo.[1] [2] No mesmo ano, as TVs Acre, Amapá e Rondônia passaram serem Globo.

Em 1985, amplia-se o espaço para a programação local, antes eram destinados apenas 15 minutos para a produção local. Gradativamente este espaço cresceu. Hoje já são mais de duas horas, sendo que dois terços deste espaço é ocupado pela Rede Amazônica para a veiculação de notícias locais.[1] [2]

Em 1986, a última emissora da Rede Amazônica, a TV Amazonas, se se tornou afiliada à Globo.

Até 1990, a emissora atuava sozinha no Território Federal até o final do governo do presidente José Sarney (1985-1990) e início do governo do presidente Fernando Collor de Mello (1990-1992). No governo Sarney, ocorreu centenas de concessões para exploração de sinais de radio-teledifusão distribuídas por todo o país. No caso de Roraima, foram liberadas quatro concessões.[1] [2]

Com a entrada do ar da TV Macuxi (afiliada à TVE Brasil, hoje TV Brasil) no Canal 2 (que até então foi ocupado pela TV Roraima), em março do mesmo ano, encerrou o monopólio como única emissora do estado.[1] [2]

Em setembro, entrou em funcionamento o terceiro canal, a TV Caburaí (afiliada à Rede Bandeirantes) no canal 8, depois de oito anos sem sinal quando era retransmitido junto com Globo pela TV Roraima.[1] [2]

Em 5 de outubro de 1991, primeiro aniversário da transformação de Roraima de Território em Estado, entrava no ar a TV Boa Vista (afiliada à Rede Manchete, hoje RedeTV!) no Canal 12.[1] [2]

Em 11 de outubro do mesmo ano, entra em funcionamento em caráter experimental, o quinto canal de televisão em Roraima, a TV Tropical (afiliada ao SBT) no Canal 10.[1] [2]

Em data e mês incerta, embora seja em 1991, entrava no ar o sexto e último canal de televisão em Roraima, a TV Imperial (afiliada à Rede Record) no Canal 6.[1] [2]

Nos anos que se seguiram, entraram no ar outras emissoras Amazon Sat (1997), TV Maracá (2001, em 2007 mudou para TV Cidade), TV Ativa (2003, afiliada à Rede Gazeta), repetidora da Rede Boas Novas (2003, atual Boas Novas). Apesar de novos canais, a TV Roraima se consolida na liderança com a Rede Globo.[1] [2]

Em 2010, houve a estadualização dos sinais das emissoras da Rede Amazônica em seus respectivos estados, o que significa que cada emissora em seu estado de origem envia a programação local para seus próprios municípios (antes as emissoras do interior dos estados cobertos pela Rede Amazônica recebiam a programação originada pela TV Amazonas, de Manaus). Com isso, a TV Roraima ganhou um sinal de satélite próprio no BrasilSat B4 para essa finalidade.[4]

Em 26 de abril de 2012 a emissora inaugurou seu sinal digital em HDTV para a cidade de Boa Vista e entregou sua sede inteiramente reformada e estreou novos cenários para seus telejornais, seguindo o modelo do Jornal do Amazonas e de outros telejornais da Rede Globo, a fim de se aproximar do telespectador.

Em 22 de março de 2013 a emissora ganha uma página para divulgação de suas matérias jornalísticas no Portal G1, das Organizações Globo. A página pode ser acessada através do endereço g1.globo.com/roraima.

Programação [5] [editar | editar código-fonte]

Os programas Amazônia em Revista, Zappeando, Viagens pela Amazônia e Amazônia Rural são produzidos pelo canal AmazonSat, da Rede Amazônica, em Manaus. Apesar do nome, o telejornal Bom Dia Amazônia é produzido e gerado por cada emissora da Rede Amazônica para seus respectivos estados, deixando de ser transmitido em rede regional desde 2009. O antigo Amazônia TV foi extinto em 01 de abril de 2013, passando a se chamar Roraima TV.

Além dessa grade fixa, a emissora também gera os boletins Jornal 24 horas e Roraima Serviço durante os intervalos da programação nacional.

Cobertura[editar | editar código-fonte]

As estações do interior do estado, ao invés de serem identificadas tradicionalmente pelo próprio nome da emissora/cabeça de rede, como ocorre com a maioria das emissoras de outros estados brasileiros (exemplo: TV Roraima - Caracaraí), são identificadas apenas pelo nome do município onde estão localizadas (por exemplo, TV Caracaraí, TV Mucajaí)

Repetidoras

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac Prof. Msc. Edileuson ALMEIDA (Universidade Federal de Roraima, UFRR) (2008). Além do Equador: A história da mídia audiovisual em Roraima UFRGS. Página visitada em 11-12-2012.
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac Prof. Msc. Edileuson ALMEIDA (Universidade Federal de Roraima, UFRR) (2008). Além do Equador: A história da mídia audiovisual em Roraima UFRR. Página visitada em 12-12-2012.
  3. Jornal Boa Vista, 27 de setembro de 1974.
  4. Andrezza Lifsitch (28 de Abril de 2010, 18hs42min). Rede Amazônica implanta programação regionalizada em quatro estados do Norte Portal Amazônia.
  5. Rede Amazônica: programação.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Emissora Inexistente
Canal 2 VHF de Boa Vista
1974 a 1975
Sucedido por
Sem Sinal (1975 a 1990)
TV Macuxi