Torn (canção)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Torn"
Single de Natalie Imbruglia
do álbum Left of the Middle
Lançamento Reino Unido 03 de Novembro de 1997
Formato(s) CD single
Gênero(s) Pop, soft rock
Duração 4:04
Gravadora(s) RCA
Composição Anne Preven, Phil Thornalley, Scott Cutler
Produção Phil Thornalley
Cronologia de singles de Natalie Imbruglia
Último
Último
"Big Mistake"
(1998)
Próximo
Próximo

"Torn" é uma música dos anos 90 composta por Phil Thornalley, ex-baixista da banda The Cure, com Scott Cutler e Anne Preven e que ficou conhecida mundialmente na voz da cantora australiana Natalie Imbruglia. A canção foi lançada como o primeiro single da carreira da cantora, e primeiro single do álbum de estréia da cantora, intitulado Left of the Middle (1997). O single estourou no mundo inteiro, alcançando o topo das paradas da Bélgica, Brasil, Canadá, Dinamarca, Suécia, e ficando na posição de número 2 no Reino Unido.

Antecedentes e regravação[editar | editar código-fonte]

Após fazer alguns filmes, a australiana Natalie Imbruglia decidiu que queria se tornar cantora, se mudando para Londres, em 1996, para tentar a sorte como cantora. Logo, ela gravou uma demo, que inclui "Torn", conseguindo assinar um contrato com a RCA.[1]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Greg Prato do Allmusic disse que a canção "é a melhor do álbum, com uma deliciosa sensação acústica."[2] Rob Sheffield da Rolling Stone disse que a canção "é como o céu: uma doce canção europop sobre coração partido, com o triste vocal de Imbruglia alcançando o esplendor de uma garota solitária."[3]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Graças ao sucesso de "Torn", Natalie Imbruglia foi nomeada em 1999 ao Grammy na categoria "Melhor Performance Vocal Pop Feminina".[4] A cantora concorreu a três VMAs em 1998, ganhando na categoria "Melhor Novo Artista". A canção também ganhou o prêmio de "Melhor Canção" no MTV Europe Music Awards. No ARIA Music Awards, a cantora ganhou 6 prêmios, incluindo os prêmios "Melhor Single Australiano", "Melhor Single de Estréia Australiano" e "Melhor Single Australiano Mais Vendido". No Billboard Music Awards, a canção conseguiu o prêmio de "Adult Top 40 Track of the Year."

Recepção comercial[editar | editar código-fonte]

Nas paradas de sucesso, "Torn" foi um sucesso absoluto, liderando as paradas da Bélgica, Brasil, Canadá, Dinamarca e Suécia,[5] enquanto que no Reino Unido, o single ocupou a posição de número 2.[6] Nos Estados Unidos, a canção foi impossibilitada de subir nas paradas, já que só tinha sido lançada nas rádios, ocupando assim a posição de número 42. Nas outras tabelas dos Estados Unidos, a canção alcançou maior sucesso, liderando a "Top 40 Mainstream" e "Hot Adult Top 40 Tracks".[7]

Videoclipe[editar | editar código-fonte]

O videoclipe da canção foi dirigido pelo diretor Alison Maclean, e foi gravado em um take só, num apartamento. O clipe traz cenas de Natalie cantando a canção, e também dela e do ator Jeremy Sheffield numa conversa romântica. Durante a última cena, as paredes do apartamento começam a cair, revelando que a locação faz parte de um set de um estúdio. No final do clipe, Natalie começa a dançar, enquanto que o "seu mundo" cai sobre ela. O clipe foi tido como o segundo melhor clipe de todos os tempos pela MTV da Itália.

CD Single[editar | editar código-fonte]

Lançados pela BMG Internacional em 1997:

  • Reino Unido CD 1
  1. "Torn" (4:06)
  2. "Sometimes" (3:52)
  3. "Frightened Child" (1:37)
  • Reino Unido CD 2
  1. "Torn" (4:06)
  2. "Contradictions" (4:07)
  3. "Diving In The Deep End" (3:30)
  • Europa Maxi-single
  1. "Torn" (4:06)
  2. "Sometimes" (3:52)
  3. "Contradictions" (4:07)
  4. "Diving In The Deep End" (3:30)
  • Europa
  1. "Torn" (4:06)
  2. "Diving In The Deep End" (3:30)

Paradas[editar | editar código-fonte]

Parada (1998) Posição
Austrália (ARIA Charts)[5] 2
Áustria (Ö3 Austria Top 40)[5] 3
Bélgica (Ultratop 50)[5] 1
Bélgica (Ultratop 40)[5] 5
Brasil (Hot 100 Brasil) 1
Canadá (RPM) 1
Dinamarca (Tracklisten)[5] 1
Estados Unidos (Billboard Top 40 Mainstream)[7] 1
Estados Unidos (Billboard Hot Adult Top 40 Tracks)[7] 1
Estados Unidos (Billboard Hot Adult Contemporary Tracks)[7] 4
Estados Unidos (Billboard Modern Rock Tracks)[7] 12
Estados Unidos (Hot 100)[7] 42
França (SNEP)[5] 4
Holanda (Dutch Top 40)[5] 3
Irlanda (IRMA)[5] 4
Itália (FIMI)[5] 2
Nova Zelândia (RIANZ)[5] 2
Reino Unido (UK Singles Chart)[6] 2
Suécia (Sverigetopplistan)[5] 1

Versão de Rouge[editar | editar código-fonte]

"O Amor é Ilusão"
Single de Rouge
do álbum Mil e Uma Noites
Lançamento 27 de setembro de 2005
Formato(s) CD single
Gênero(s) Pop rock
Duração 4:06
Gravadora(s) Sony BMG
Composição Milton Guedes
Produção Rick Bonadio
Cronologia de singles de Rouge
Último
Último
Vem Habib (Wala Wala)
(2005)
"Tudo é Rouge"
(2013)
Próximo
Próximo

O girl group brasileiro Rouge fez uma versão em português da canção, intitulada "O Amor é Ilusão", que foi incluída no quarto e último álbum das meninas, intitulado "Mil e Uma Noites" (2005). A canção foi lançada como segundo e último single do álbum, e também foi o último single da banda, até elas voltarem com "Tudo é Rouge", em 2013.

A versão da canção foi escrita por Milton Guedes, que já escreveu os sucessos "Não Dá pra Resistir", "Beijo Molhado", entre outros, e foi produzida por Rick Bonadio. A canção foi bem recebida pelos críticos, e se tornou um sucesso moderado, ao alcançar a posição de número 23 nas paradas de sucesso. O grupo promoveu a canção em diversos lugares, incluindo a turnê Mil e Uma Noites, em 2005.

Antecedentes e regravação[editar | editar código-fonte]

Após lançarem três álbuns inéditos, as meninas queria que seu novo disco tivesse apenas músicas novas, mas a gravadora queria uma coletânea. Para o Rouge, mostrar músicas inéditas naquele momento (2005) era uma forma de provar para o público e a imprensa que o grupo não acabou, como foi especulado. Após a discussão sobre o destino do álbum, "Mil e Uma Noites" se tornou uma coletânea e um CD de músicas inéditas num só disco. O formato do disco foi a forma encontrada pelas meninas para conciliar seus interesses com os da gravadora.[8]

Como sempre, o álbum contou com versões de canções em inglês para o português, dentre elas, "Torn", que estourou na voz de Natalie Imbruglia.[9] Após o sucesso de "Vem Habib (Wala Wala)", a gravador anunciou "O Amor é Ilusão" como segundo single do álbum, a ser lançado no final de setembro.[9]

Composição[editar | editar código-fonte]

"O Amor é Ilusão" foi escrita por Milton Guedes, responsável pelos hits "Não Dá pra Resistir" e "Beijo Molhado", do primeiro álbum das garotas, e outras canções dos álbuns seguintes, enquanto a sua produção ficou por conta de Rick Bonadio.[10] A canção tem quase o mesmo sentido lírico de "Torn", falando sobre um amor que começa afastando a protagonista da solidão, mas que, do nada, vai embora e a deixa triste.[11]

A canção começa com Fantine falando sobre o começo de um amor, que a fez acreditar num sonho que a fez chorar. Após Fantine, Karin fala sobre esse amor, que a afastou da solidão, mas que foi embora e "fechou seu coração". Fantine mais uma vez canta que nada vez a pessoa mudar, mesmo ela querendo mostrar o amor que sentia. No refrão, Fantine canta a voz principal, enquanto as meninas fazem backing: "Não importa mais tudo que guardei, tudo que eu quis meus dias com você, sonhos que não voltam mais O amor é ilusão de ter você pra mim, e acordada posso ver você não está aqui...," cantam as meninas. Na segunda parte da canção, Patrícia continua falando desse amor, que a fez promessas e a enganou, e Fantine complementa que a pessoa apenas a usou e enganou. O bridge da canção conta com Aline cantando a parte, "Mas nada fez você mudar, tantas vezes quis tentar, e mostrar meu amor."[11]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica e comercial[editar | editar código-fonte]

O crítico Bruno Nogueira da Folhapé elogiou a versão das meninas, dizendo que "o ponto alto de Mil e Uma Noites são mesmo as versões, incluindo O Amor é Ilusão."[12]

Nas paradas de sucesso, a canção se deu bem, debutando no dia 01 de outubro de 2005, e alcançando a posição de número 23, no dia 29 de outubro de 2005, sendo a última canção do grupo a entrar nas paradas de sucesso (já que foi o último single lançado oficialmente).[13]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

Mesmo sem clipe, a canção foi bem divulgada, sendo apresentada nos programas Domingo Legal, Boa Noite Brasil, Mulheres, Programa Raul Gil, Sabadaço, Todo Seu e O Poderoso Magrão. Além disso, as meninas cantaram a canção na turnê Mil e Uma Noites (2005).

Paradas[editar | editar código-fonte]

Parada (2005) Posição
Brasil (Hot 100 Brasil)[13] 23

Referências

  1. Natalie Imbruglia - Allmusic. Allmusic. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  2. Left Of the Middle - Natalie Imbruglia - Allmusic. Allmusic. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  3. Left Of the Middle - Natalie Imbruglia - Rolling Stone. Rolling Stone. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  4. 1999 Grammy Nominees - NME.com. NME. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  5. a b c d e f g h i j k l Australian-Charts.com - Natalie Imbruglia - Torn. ARIA Charts. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  6. a b Natalie Imbruglia - Official Charts. UK Singles Chart. Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  7. a b c d e f Left of the Middle Charts and Awards: Billboard Singles. allmusic.com. Página visitada em 2010-03-10.
  8. Entre o novo e o antigo : Rouge. Universo Musical (26 de junho de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  9. a b Rouge regrava Natalie Imbruglia. Território da Música (20 de setembro de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  10. Mil e Uma Noites : Rouge. Universo Musical (26 de junho de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  11. a b O Amor é Ilusão, de Rouge: Letras e Músicas. Letras. Página visitada em 13 de outubro de 2013.
  12. As Mil e uma Noites.... Sempre Rouge (16 - 30 de junho de 2005). Página visitada em 12 de outubro de 2013.
  13. a b Hot 100 Brasil (em português). Página visitada em 02 de outubro de 2013.