Voo VASP 168

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Voo VASP 168
Sumário
Data 8 de junho de 1982 (31 anos)
Causa Voo controlado contra o terreno
Local Brasil Serra da Aratanha, próximo a Pacatuba (Região Metropolitana de Fortaleza), CE, Brasil
Origem Aeroporto Internacional de Congonhas, SP
Destino Aeroporto Pinto Martins, CE
Passageiros 128
Tripulantes 9
Mortos 137
Sobreviventes 0
Aeronave
Modelo Boeing 727-212
Operador Brasil VASP
Prefixo PP-SRK[1]
Primeiro voo 1977

O Voo VASP 168 foi um acidente aéreo ocorrido em 8 de junho de 1982, quando um Boeing 727-200 com destino a Fortaleza se chocou contra a Serra da Aratanha, próximo de Pacatuba (na Região Metropolitana de Fortaleza), Ceará. Todos os 137 ocupantes do Boeing morreram na colisão, sendo esse o mais grave acidente da aviação comercial brasileira na época. Este acidente foi superado em 29 de setembro de 2006 pelo acidente com o Voo Gol 1907, que matou todos os 154 ocupantes, e pelo acidente em 17 de julho de 2007 com o Voo TAM 3054 que também matou ao todo 199 pessoas inclusive algumas em terra, sendo este superado pelo Voo Air France 447, que caiu próximo ao arquipélago de São Pedro e São Paulo, na madrugada de 1 de Junho de 2009, matando ao todo 228 pessoas.

O comandante pediu para deixar o nível de cruzeiro a aproximadamente 253 km de Fortaleza, quando pelas cartas de navegação utilizadas para a aproximação ao Aeroporto Pinto Martins deveria fazê-lo a 159 km. Tanto o controle de tráfego quanto o seu auxiliar não questionaram o motivo de descer tão longe. Ao estabilizar na altitude autorizada pelo tráfego, já dava para ver as luzes da capital cearense. Foi quando o co-piloto disse: "Não tem uns morrotes aí na frente?". Nesse momento, o Boeing da Vasp sobrevoava a região de Pacatuba. Seis alarmes soaram na cabine, mas o piloto os ignorou, às 02h53, o Boeing se chocou contra a Serra de Aratanha sem deixar sobreviventes.

Entre as vítimas conhecidas estava Edson Queiroz, empresário cearense proprietário de um grupo empresarial com atuação em vários estados brasileiros (Grupo Edson Queiroz), e do Sistema Verdes Mares, que detinha a TV Verdes Mares, afiliada da Rede Globo na capital cearense, além de emissoras de rádio no Ceará e em outros estados.

O ultimo voo[editar | editar código-fonte]

Na madrugada de 8 de junho de 1982, às 02h45, um dos Boeing 727 "Super 200" com as cores da empresa paulista Vasp e ostentando o prefixo PP-SRK, aproximava-se para efetuar seu pouso sob uma fina chuva na cidade de Fortaleza, Ceará, após cumprir mais um voo na extensa malha de rotas da companhia.

Porém, repentinamente, um estrondo foi ouvido em uma pequena localidade nos arredores da capital chamada Pacatuba, acordando a maioria dos moradores que, sem saber, ouviram o maior e mais grave acidente da aviação comercial brasileira (na época).

O avião, que havia decolado do aeroporto de Congonhas em São Paulo e feito escala no Rio de Janeiro, realizava o voo 168 sem maiores problemas até bater e explodir em uma serra durante sua aproximação, causando a morte imediata das 137 pessoas que levava.

O avião[editar | editar código-fonte]

A aeronave não era de propriedade da Vasp. A empresa paulista, que encomendou seu primeiro 727 em 1977, foi a única empresa brasileira a operar o modelo 200 no país nos anos 80, chegando a ter um total de 12 unidades de 727 com as suas cores, entre dois modelos 100 que operaram como cargueiros (vindos da Lufthansa) e os modelo 200, na empresa chamados de Super 200 para diferenciá-los dos 727 das outras companhias nacionais.

Enquanto aguardava a entrega de algumas de suas próprias unidades (e também dos seus novos Airbus A300), a Vasp arrendou um 727-212A que havia sido antes da Singapore Airlines, que aqui operou com o prefixo PP-SRK.

A aeronave em questão tinha o Serial Number 21347 e era o avião de número 1282 na linha de montagem da Boeing, tendo voado pela primeira vez em 23 de julho de 1977.

Encomendado como 9V-SXA pela Singapore, foi entregue para a empresa como 9V-SGA em 30 de agosto de 1977 e, com menos de três anos de uso, foi vendido em 6 de junho de 1980 para a International Lease Finance Corporation (ILFC), sendo arrendado para a Vasp nesta mesma data, operando por apenas dois anos na empresa brasileira antes do acidente.

Ironicamente, o PP-SRK estava prestes a ser devolvido, pois no mês de outubro voltaria para a ILFC. Não se tem conhecimento de outros incidentes relevantes com o PP-SRK antes da tragédia no Ceará e sua diferença visível para os 727-2A1 (nomenclatura correta dos modelos comprados diretamente na fábrica pela Vasp) estava na parte inferior da fuselagem, que era pintada em um tom de cinza claro, ao invés do metal polido dos demais.

Lista de vítimas[editar | editar código-fonte]

Tripulantes[editar | editar código-fonte]

  • Fernando Antônio Vieira de Paiva (Comandante - Base: SP): Era o membro mais antigo da tripulação do PP-SRK, tinha 43 anos e era natural de Caxambu, Minas Gerais. Foi admitido na Vasp em 15 de março de 1961 e era piloto desde 1959.
  • Carlos Roberto Duarte Barbosa (Co-Piloto - Base: SP): 28 anos, casado e natural de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Foi admitido na Vasp em 28 de fevereiro de 1980 e tinha dois anos e meio como primeiro oficial nos 727-200 da empresa paulista. Antes de entrar na Vasp esteve na Varig por oito anos como co-piloto nos equipamentos Avro 748, Boeing 707 e Boeing 727.
  • José Erimar de Freitas (Engenheiro de Bordo - Base: SP): 31 anos, natural de Nova Morada, Ceará, também era casado e tinha duas filhas, a menor com menos de um mês de idade. Fanático por aviação, entrou para a Vasp em 19 de junho de 1972 como mecânico de manutenção e passou a mecânico de voo de Boeing 727 em 1979.
  • Humberto da Silva Pestana (Comissário - Base: SP): 49 anos, solteiro, nasceu em Portugal e tinha cidadania brasileira, tendo sido admitido pela Vasp em 12 de maio de 1961. Esperava aposentar-se após mais um ou dois anos de serviço.
  • Gisele de Souza Vaz (Comissária - Base: SP): 27 anos, solteira, natural de São Paulo, capital. Admitida na Vasp em 1 de julho de 1981. Conhecida por "Guísela", havia se destacado há pouco mais de um ano por efetuar, com a ajuda dos companheiros Janete, Ajan e Luana (que não estavam no Voo 168), um parto, ocorrido no dia 1 de setembro de 1981 dentro de um voo da Vasp entre São Paulo e Campo Grande.
  • Julia Maria Pereira Nunes José (Comissária - Base: RJ): 29 anos, casada e mãe de dois filhos. Admitida na Vasp em 17 de janeiro de 1977.
  • Maria de Lourdes Brito Melo (Comissária - Base: SP): 30 anos, casada, natural de Pilar do Sul. Admitida na Vasp em 8 de janeiro de 1979.
  • Miriam Cocato Lima (Comissária - Base: SP): 22 anos, solteira, natural de São Paulo, capital. Admitida na Vasp em 5 de março de 1979. Esta comissária não foi originalmente escalada para o Voo 168 e somente estava no PP-SRK para substituir um companheiro (comissário Soré) que teve uma crise de hipertensão poucos minutos antes do embarque, sendo retirado da escala por ordens médicas.
  • Emília Barbosa de Souza (Comissária - Base: SP): 20 anos, solteira, natural de Santo Antônio do Piratininga, Minas Gerais. Admitida na Vasp em 1 de julho de 1981.

Passageiros (SP/RJ)[editar | editar código-fonte]

  • Adalzira Gallo (SP)
  • Ademir Gallo (SP)
  • Ademir Moraes (SP)
  • Afonso Temporal (SP)
  • Alda Almeida (RJ)
  • Alexandra Mitulo (TR)
  • Alfredo Beriso (RJ)
  • Ana Márcia Chagas Peixoto (RJ)
  • Antonio Barreto Sobrinho (SP)
  • Antonio Carlos Cysne (RJ)
  • Antonio Hissa Filho (RJ)
  • Atôipi(SP)
  • Antônio Pereira (SP)
  • Antonio Alberto da Silva (SP)
  • Augusta Damasceno (RJ)
  • Áurea Sandra da Silva (?)
  • Bárbara Pinheiro (SP)
  • Carlos Collyer (RJ)
  • Carlos Francisco Cysne (SP)
  • Carlos Mendes (SP)
  • Carlos Oliveira (RJ)
  • Carlos Silva (TR)
  • Carmen Justino (RJ)
  • Celma Serpa (SP)
  • César Silva (SP)
  • Charles Collyer (RJ)
  • Cierre Luz (SP)
  • Cleyne Silva (RJ)
  • Creusa Pires de Paiva (RJ)
  • D. Logman (SP)
  • Deiza Amaral (RJ)
  • Dica Pires de Paiva Barroso(RJ)
  • Dimitri Kasakewitch (RJ)
  • Domingos Sobrinho Lima (SP)
  • Edson Queiroz (CE)
  • Ernesto Lundgreen (RJ)
  • Fabrício Araújo (SP)
  • Fátima Silva (SP)
  • Fernando Freitas (TR)
  • Florêncio Paiva (RJ)
  • Francisco Cavalcante (RJ)
  • Francisco Ceda (RJ)
  • Francisco Guimarães (SP)
  • Francisco Pazzini (SP)
  • Francisco Ribeiro (SP)
  • Genário Lins Peixoto (RJ)
  • Hector Rapacini (SP)
  • Heliani Azim (SP)
  • Hélio Sobreira (SP)
  • Henrique Costa (RJ)
  • Hermenegildo Magalhães (RJ)
  • Horácio Lima (SP)
  • Isac Vasconcelos (RJ)
  • Ivone Frota (RJ)
  • J. Watikus (RJ)
  • Jãdi(RJ)
  • João Dias (RJ)
  • João Rocha (SP)
  • José Azim (SP)
  • José Bezerra (RJ)
  • José Carlos Matos (RJ)
  • José Mattos (RJ)
  • José Coelho (RJ)
  • José Cunha (SP)
  • José Lyra (RJ)
  • José Mourão Filho (RJ)
  • José Olavo Lira (RJ)
  • José Oliveira (SP)
  • José Oliveira (RJ)
  • José Paiva (SP)
  • José Pereira (RJ)
  • José Sampaio (RJ)
  • José Viana (RJ)
  • Jocelino Araújo (SP)
  • Judith Mitoso Amazonas (TR)
  • Júlio Almeida (SP)
  • Júlio Oliveira (RJ)
  • Lúcio Franco (RJ)
  • Luiz Souza (SP)
  • Maria José Souza (RJ)
  • Maria Lima (RJ)
  • Maria Magalhães (RJ)
  • Maria Magdalena Oliveira (SP)
  • Maria Pereira (RJ)
  • Maria Silva (SP)
  • Maria José Souza (RJ)
  • Mariângela Lima (RJ)
  • Milton Silva (RJ)
  • Myrtes Jereissati (RJ)
  • Manoel Helal Costa (SP)
  • Manoel Santos (RJ)
  • Marcelo A.M. Silva (TR)
  • Márcio Canedo (RJ)
  • Margarida Oliveira (RJ)
  • Maria Alencar (RJ)
  • Maria Angélica Catunda (RJ)
  • Maria Bezerra (RJ)
  • Maria Gladys Accioly (RJ)
  • Mirtes Miranda (RJ)
  • Moésio Júnior Melo (SP)
  • Núbia Rola (RJ)
  • Odílio Freitas (RJ)
  • Olimar Agosti (SP)
  • Pascoal Segana (SP)
  • Paulo Cristino (SP)
  • Paulo Guimarães (RJ)
  • Raimunda Ferraz (RJ)
  • Reinaldo Carvalho (SP)
  • Renato Lara (SP)
  • Roberto Gomes (RJ)
  • Rosamaria Lima (SP)
  • Rosana Lara (SP)
  • Rubens Serpa (SP)
  • Sebastião Carvalho (SP)
  • Sebastião Carvalho Júnior (SP)
  • Sebastião Saraiva (SP)
  • Tarcísio Pinto (SP)
  • Telêmaco Coutinho (RJ)
  • Teresinha Barreto (RJ)
  • Teresinha Araújo (SP)
  • Terezinha Cavalcante (RJ)
  • Vagner Dantas (RJ)
  • Vicente Silva (SP)
  • Victor Pereira Neto (SP)
  • Waldir Peixoto Filho (RJ)
  • Walkíria Lemos (RJ)
  • Walter Carvalho (SP)
  • Wilson Barata (RJ)
  • Winston Kasbiner (SP)
  • Zuleide Studart (RJ)

Observação: Os números divergem e algumas fontes dizem que o 727 tinha 128 passageiros, enquanto outras que eram 126. Porém, as duas listas obtidas (ambas de jornais da época) somente mostram 126 nomes.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.