André Esteves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
André Esteves
Nome completo André Santos Esteves
Nascimento 12 de julho de 1968 (49 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Fortuna R$ 6,51 bilhões (2016)[1]
Filho(s) 3
Ocupação Empresário
Cargo Senior Partner do banco BTG Pactual de investimentos

André Santos Esteves (Rio de Janeiro, 12 de julho de 1968) é um empresário brasileiro, ex-executivo-chefe (CEO) do BTG Pactual, uma empresa financeira brasileira com presença global.

De acordo com o ranking "Bilionários do Mundo" da revista Forbes, Esteves é classificado na posição de número 628. Em 1º de outubro de 2015, seu patrimônio era estimado em ,1 bilhões de dólares. Entre os bilionários brasileiros, Esteves está posicionado na 13ª colocação, com patrimônio estimado em 9 bilhões de reais.[2]

Em 2014, André Esteves foi nomeado "Personalidade do Ano" pela Câmara Brasileira de Comércio do Reino Unido[3] e uma das 50 pessoas mais influentes do mundo pela agência de notícias Bloomberg em 2012.[4] Em 2016 foi listado entre os 70 maiores bilionários do Brasil pela revista Forbes.[5]

Em novembro de 2015, foi preso preventivamente pelo então ministro do STF Teori Zavascki, mas foi solto logo em seguida por falta de provas concretas de seu envolvimento.[6][7][8] Em julho de 2016, foi denunciado pelo Ministério Público Federal de Brasilia por obstrução à justiça na Operação Lava Jato, e em setembro de 2017, em nova manifestação, o MPF através do procurador da República Ivan Marx, pediu a absolvição do André Esteves por falta de provas.[9]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

André Esteves nasceu em uma família de classe média do Rio de Janeiro, no bairro da Tijuca e obteve seu diploma de Bacharel em Ciência da Computação e Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.[10] Ele é filho único, criado pela mãe, uma professora universitária, com apoio da avó. Esteves é casado e tem três filhos. Quando perguntado sobre atividades durante tempo livre, Esteves diz gostar de cinema, vinho e boa comida.[11]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1989, André Esteves começou a trabalhar no Banco Pactual como analista de sistemas, ainda nos tempos da faculdade.[10] Ele tinha 21 anos. Quatro anos mais tarde, tornou-se sócio da companhia.

Em 2006, o Banco Pactual foi comprado pelo banco suíço UBS e se tornou a principal divisão na América Latina. A aquisição criou, portanto, o UBS Pactual. Na instituição, André Esteves ficou à frente das operações do novo banco, até se mudar para Londres onde assumiu o cargo de Chefe Global de Renda Fixa entre 2007 e 2008.[10]

Em junho de 2008, Esteves deixou o UBS Pactual e, junto com um grupo de sócios criou o BTG Investments, empresa global de investimentos com a mesma cultura do Pactual.

Em maio de 2009, o BTG Investments concluiu a aquisição do UBS Pactual por 2,5 bilhões de dólares e criou o BTG Pactual.

Como CEO do BTG Pactual, André Esteves era responsável pela gestão de uma empresa que possui R$ 306,8 bilhões em ativos e patrimônio sob gestão, 245 sócios, 3.500 funcionários e escritórios em 20 países.

Em 1º de dezembro de 2015, depois de ter sido preso por suspeita de planejar obstruir as investigações da Operação Lava Jato, André Esteves renunciou ao cargo de membro do conselho da BR Properties.[12]

Em 2 de dezembro de 2015, após renunciar de todos os cargos no BTG Pactual e no conselho da BM&FBovespa[13] e de renunciar no Banco Pan,[14] André Esteves deixou o controle da instituição financeira com outros sete sócios.[15]

Em 27 de abril de 2016, Esteves volta a integrar o BTG Pactual como senior partner aconselhando o banco em temas estratégicos e apoiando o desenvolvimento de suas atividades e operações.[16]

Filantropia[editar | editar código-fonte]

André Esteves tem apoiado iniciativas, projetos e instituições que ajudam a melhorar a educação, fortalecer a saúde e promover as artes no Brasil. Instituições como a Universidade de São Paulo, o Hospital de Câncer de Barretos e o Museu de Arte Moderna de São Paulo estão entre as apoiadas por Esteves como CEO do BTG Pactual.

André Esteves é também membro do conselho da Conservation International, instituição que visa conservar a natureza, promovendo sociedades saudáveis, sustentáveis e o bem-estar humano por meio de três eixos centrais: capital natural, produção sustentável e governança.[17] Ele também fez doações à Harvard Business School, permitindo a renovação do Baker Hall, atual Esteves Hall, uma residência de estudantes usada por muitos estrangeiros, especialmente brasileiros.[18] Na instituição, Esteves também compôs a bancada de membros do Conselho Consultivo da América Latina.[19][20]

Prêmios recebidos[editar | editar código-fonte]

  • Personalidade do Ano pela Câmara Brasileira de Comércio do Reino Unido em 2014.[3]
  • Personalidade do Ano pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos em 2012.[21]
  • Nomeado uma das 50 pessoas mais influentes do mundo pela Bloomberg em 2012.[4]
  • Executivo de Destaque na área de bancos e instituições financeiras pelo jornal Valor Econômico por três anos consecutivos, em 2013, 2012 e 2011.[22]
  • Um dos líderes mais admirados do ano pela revista Carta Capital, por dois anos consecutivos, em 2012 e 2011.[23]
  • Nomeado um dos “100 Brasileiros Mais Influentes” pela revista Época, por quatro anos consecutivos, em 2012, 2011, 2010 e 2009.[24]
  • Personalidade do Ano pela Latin Finance em 2011.[25]
  • Eleito um dos 25 executivos mais influentes no setor financeiro, de acordo com pesquisa da Investidor Institucional em 2009.[26]
  • CEO do ano, segundo a revista IstoÉ Dinheiro em 2011.[27]
  • Nomeado líder em Instituições Financeiras pela Líderes do Brasil em 2013.[28]

BTG Pactual[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: BTG Pactual

O BTG Pactual, banco em que André Esteves foi CEO, oferece serviços de assessoria em transações de fusões e aquisições, renda variável, subscrição de dívida (debt underwriting), asset management, wealth management, sales e trading, empréstimos e financiamentos (corporate lending) e administração de fundos para clientes que incluem sociedades anônimas, instituições financeiras, governos e pessoas de alto patrimônio. O Banco atua também em investimentos proprietários (tanto a classe de ativos líquidos quanto de ativos não líquidos). Em 2012, o BTG iniciou seus investimentos em ativos florestais, assinando contrato de aquisição da TTG Brasil Investimentos Florestais (“TTG Brasil”), uma das maiores empresas de gestão de ativos florestais da América Latina.[29][30] É reconhecido por ser um dos principais bancos de investimento nos mercados emergentes, o maior banco de investimento independente e a maior gestora de ativos do Brasil.[31]

Premiações concedidas ao BTG Pactual[editar | editar código-fonte]

  • Eleito o Banco de Investimentos mais inovador da América Latina pela The Banker (2013) e o Melhor Banco de Investimentos do Brasil e do Chile pela World Finance (2013)[32]
  • Líder em emissões de ações na América Latina desde 2004 (Dealogic) e no Brasil (Bloomberg, 2012), eleita a Melhor Merger & Acquisition House (Brasil) e a Melhor Equity House (Brasil, Chile e América Latina) pela Euromoney (2013)[33]
  • Líder em volume e número de transações de renda fixa de empresas brasileiras no mercado internacional (Dealogic, 2013) e em operações de M&A no Brasil (Thomson Reuters, 2013);[34]
  • Considerada a melhor casa de Research da América Latina (2012) e do Brasil (2013 e 2012) e líder em Sales&Trading na América Latina (2013) e no Brasil (2013 e 2012) pela Institutional Investor[35]
  • Asset Management eleita a Melhor Gestora de Fundos do Brasil pela revista Exame/FGV, por dois anos consecutivos (2012 e 2011)[36][37]
  • Wealth Management escolhida o Melhor Private Bank do Brasil pelas revistas The Banker e Euromoney (2013)[38]
  • Melhor banco de Equities Sales do Brasil no ranking da Institutional Investor (2017)[39]
  • Eleito como melhor “solução financeira” no Prêmio Master imobiliário do Estadão com o Fundo do BTG Pactual (2017)[40]

Problemas judiciais[editar | editar código-fonte]

André Esteves a caminho do Presídio Ary Franco

Em 25 de novembro de 2015, foi preso pela Polícia Federal quando estava em sua residência, no Rio de Janeiro. A sua prisão foi decretada temporariamente após a divulgação de uma gravação obtida pelo Ministério Público Federal na qual o senador[41] Delcídio do Amaral afirma que André Esteves estaria colaborando para obstrução das investigações.[42]

No dia 29 de novembro de 2015, a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), o ministro do STF Teori Zavascki converteu a prisão temporária do banqueiro para preventiva.[43] Em resumo, Teori Zavascki deixou claro que havia razões suficientes para a medida.

"O requerimento de prisão preventiva demonstra de maneira robusta, com base no material indiciário colhido até o momento e indicando, com margem suficiente, a possível existência de graves crimes contra a Administração da Justiça, contra a Administração Pública, organização criminosa e mesmo lavagem de dinheiro, para a consecução dos quais teria havido supostamente importante participação dos requeridos", disse o ministro. "O fundamento principal é, como não poderia deixar de ser, a garantia da instrução criminal, tendo em vista a apontada tentativa de co-optação de réu colaborador, a fim de evitar que fatos e pessoas fossem delatados mediante pagamento de vantagens. Visam os nominados, portanto, a impedir a jurisdição criminal. Nesta seara, está nitidamente demonstrada a necessidade de garantir a instrução criminal, as investigações e a higidez de eventuais ações penais vindouras, tendo em vista a concreta ocorrência e a possibilidade de interferência no depoimento de testemunhas e na produção de provas, circunstâncias que realmente autorizam a decretação da custódia cautelar".[44]

Durante a investigação, Nestor Cerveró teria conhecimento de que Esteves pagou propina ao senador Fernando Collor por um contrato de R$ 122 milhões com a Petrobras Distribuidora, que abrangia cerca de 120 postos de combustíveis que pertenciam ao Banco BTG Pactual e ao "Grupo Santiago". Para evitar essas acusações, Esteves teria corrompido Cerveró, de acordo com o mencionado por este último na sua delação premiada.[45] Segundo o delator, Esteves recebeu um documento que supostamente teria sido escrito por Cerveró, referente à sua delação premiada, e assim tomou conhecimento das acusações. Por isso, na gravação de Delcídio do Amaral, este menciona que o banqueiro teria oferecido 4 milhões de reais a Cerveró, além de prontificar-se a mantê-lo no país por algum tempo, mediante o pagamento de R$ 50 mil por mês, para que o BTG Pactual, bem como, ele próprio e o senador Delcídio não fossem citados na delação premiada que fora acordada entre Cerveró e o Ministério Público.[46][47][48]

Em 7 de dezembro de 2015, a Procuradoria apresentou uma denúncia contra o senador Delcídio do Amaral e contra André Esteves. A denúncia também incluiu o chefe de gabinete de Delcídio, Diogo Ferreira, e o advogado Edson Ribeiro, que trabalhava na defesa de Nestor Cerveró. A Procuradoria acusa os quatro pelo crime de impedir e embaraçar a investigação de infrações penais[49] que envolvem organização criminosa e patrocínio infiel. O senador, o chefe de gabinete e o advogado também são acusados de exploração de prestígio (que consiste em "solicitar ou receber dinheiro ou qualquer outra utilidade, a pretexto de influir em juiz, jurado, órgão do Ministério Público, funcionário de justiça, perito, tradutor, intérprete ou testemunha").[50]

Em 18 de dezembro de 2015, André Esteves deixou o presídio Bangu 8, no complexo penitenciário de Gericinó, após decisão do ministro do STF Teori Zavascki para ficar em prisão domiciliar.[51] Em 25 de abril de 2016, a prisão domiciliar também foi revogada, mantendo apenas restrição para viagens ao exterior em caso de período superior a 7 dias.[52]

Em 19 de abril de 2017, o juiz federal Vallisney de Souza Oliveira pediu a quebra do sigilo bancário e fiscal do banqueiro André Esteves além de busca e apreensão de documentos em sua casa na Operação Conclave, por suspeita de aquisição fraudulenta de ações do Banco Panamericano pela Caixa Participações S.A. No entanto, a busca e apreensão não tiveram êxito, pois o banqueiro já havia deixado os documentos à disposição da justiça em ocasião anterior.[53]

Em 1º de setembro de 2017, o Ministério Público Federal pediu a absolvição do banqueiro André Esteves sob o argumento de que não há provas que ele tenha participado do esquema criminoso. O órgão entregou à Justiça Federal em Brasília as alegações finais na ação penal, na qual apresenta as conclusões com base nas provas e depoimentos realizados. O MPF diz não ter encontrado evidências de que André Esteves cometeu o crime de obstrução de Justiça. “O André foi envolvido indevidamente nesse processo, a instrução comprovou isso de forma cabal”, afirmou Antônio Carlos Almeida de Castro, advogado de André Esteves, sobre o pedido de absolvição.[54][55]

Referências

  1. http://www.forbes.com.br/listas/2016/08/70-maiores-bilionarios-do-brasil-em-2016/#foto46
  2. «Perfil do Andre Esteves». Forbes. Consultado em 6 de Setembro de 2017 
  3. a b «Gala Dinner and Personality of the Year Awards 2014». Consultado em 5 de outubro de 2015 
  4. a b «Os 10 banqueiros mais influentes do mundo, pela Bloomberg | EXAME». exame.abril.com.br. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  5. «70 maiores bilionários do Brasil em 2016». Forbes. Consultado em 29 de agosto de 2016 
  6. Ricardo Brito (21 de julho de 2016). «MPF de Brasília denuncia Lula, Delcídio, André Esteves por obstrução à Justiça». Estadão. Consultado em 21 de julho de 2016 
  7. «Banqueiro André Esteves deixará prisão de Bangu 8». O Globo. 18 de dezembro de 2015. Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  8. «STF revoga prisão domiciliar de André Esteves, que poderá reassumir banco». O Globo. 25 de abril de 2016 
  9. «Procurador pede absolvição de Lula no caso Cerveró». Fausto Macedo 
  10. a b c «Época NEGÓCIOS - EDT MATERIA IMPRIMIR - A maior aposta de Esteves». epocanegocios.globo.com. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  11. «Novo enólogo para os vinhos de André Esteves». www.revistamenu.com.br. Consultado em 5 de outubro de 2015 
  12. «André Esteves renuncia a cargo de membro de conselho da BR Properties». Diario do Pernambuco. 1 de dezembro de 2015. Consultado em 2 de dezembro de 2015 
  13. «Preso, André Esteves deixa Conselho de Administração da BM&FBovespa». G1 Economia. 30 de novembro de 2015. Consultado em 2 de dezembro de 2015 
  14. Agência Estado (30 de novembro de 2015). «André Esteves renuncia à vice-presidência de conselho do Banco Pan». Estado de Minas. Consultado em 2 de dezembro de 2015 
  15. «André Esteves deixa controle do BTG Pactual nas mãos de outros 7 sócios». G1. Globo. 2 de dezembro de 2015. Consultado em 2 de dezembro de 2015 
  16. «André Esteves está de volta ao BTG». Direto da Fonte 
  17. «Conservation International Home». Conservation International (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2017 
  18. Nota Bene. Harvard magazine, maio-junho de 2013.
  19. «Esteves Hall HBS Executive Education - Executive Education - Harvard Business School». HBS Executive Education (em inglês) 
  20. «Building a Better Brazil - Alumni - Harvard Business School». www.alumni.hbs.edu (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2017 
  21. «Person of the Year Award Archives | The Brazilian-American Chamber of Commerce». brazilcham.com. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  22. «Valor anuncia executivos de destaque em 23 setores da economia». Consultado em 6 de outubro de 2015 
  23. «Com os pés na economia real». Consultado em 6 de outubro de 2015 
  24. «Bilionário brasileiro é eleito um dos 10 banqueiros mais influentes do mundo». Consultado em 6 de outubro de 2015 
  25. «Person of the Year 2015». Consultado em 6 de outubro de 2015 
  26. «André Esteves Pushes Brazil's BTG Pactual Into Front Ranks of Investment Banking». Institutionalinvestor.com. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  27. Citação vazia (ajuda) 
  28. «Os 100 líderes com a melhor reputação no Brasil | EXAME». exame.abril.com.br. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  29. «BTG Pactual compra TTG Brasil Investimentos Florestais». Painel Florestal. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  30. «O que o BTG viu na floresta? - ISTOÉ DINHEIRO». ISTOÉ DINHEIRO. 15 de maio de 2015 
  31. «BTG Pactual nasce como maior banco de investimentos independente baseado em mercados emergentes» (PDF). 15 de setembro de 2009. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  32. «The Banker Database - interactive banking reports & global finance rankings  :: Banco BTG Pactual Overview». www.thebankerdatabase.com. Consultado em 5 de outubro de 2015 
  33. «Private Banking and Wealth Management Survey 2015: Latin America regional @Euromoney». www.euromoney.com. Consultado em 5 de outubro de 2015 
  34. «TABLE-BTG Pactual, Itaú top Brazil's first-half M&A rankings». Reuters. 1 de julho de 2015 
  35. «BTG Pactual Leads All-Brazil Research Team for Third Year». www.institutionalinvestor.com. Consultado em 5 de outubro de 2015 
  36. «EXAME elege os melhores gestores de fundos | EXAME». exame.abril.com.br. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  37. «Os melhores gestores de fundos do ano | EXAME». exame.abril.com.br. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  38. Banker, The. «PWM/The Banker Private Banking Awards 2013». www.thebanker.com (em inglês). Consultado em 6 de setembro de 2017 
  39. «The 2017 LATAM Sales Team». www.institutionalinvestor.com. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  40. «Fundo rende troféu de solução financeira ao BTG - Economia - Estadão». Estadão 
  41. «Senado cassa mandato de Delcídio por 74 votos a favor e nenhum contra». Política. 10 de maio de 2016 
  42. Leitão, Matheus. ÁUDIO: ouça a gravação que embasou a prisão do senador Delcídio do Amaral. Globo Comunicação e Participações. 25/11/2015 [cited 26/11/2015].
  43. Prisão temporária do banqueiro André Esteves é convertida em preventiva. Empresa Jornalística Econômico. 29 de novembro de 2015 [cited 1 de dezembro de 2015].
  44. «STF determina prisão preventiva para André Esteves e Diogo Ferreira». Operação lava jato. 29 de novembro de 2015 
  45. Talento, Aguirre & Falcão, Márcio. Em delação, Cerveró diz que André Esteves pagou propina a Collor. Folha de S.Paulo. 25/11/2015 [cited 26/11/2015].
  46. Bedinelli, Talita. Senador Delcídio irritou Supremo ao citar nomes de ministros em gravação. Ediciones El País. 25/11/2015 [cited 26/11/2015].
  47. Oliveira, Mariana & Dionísio, Bibiana. Teori autoriza inclusão de advogado de Cerveró em lista da Interpol. Globo Comunicação e Participações. 26/11/2015 [cited 26/11/2015].
  48. «André Esteves pagou propina a Collor, diz Cerveró, novo delator da Lava Jato | VEJA.com». VEJA.com 
  49. art. 2º, § 1º da Lei 12.850/2013
  50. PGR apresenta denúncia contra Delcídio do Amaral e André Esteves. G1, 7 de dezembro de 2015.
  51. ÉPOCA NEGÓCIOS ONLINE (17 de dezembro de 2015). «Supremo revoga a prisão preventiva de André Esteves». Época Negócios. Consultado em 6 de setembro de 2017 
  52. «STF revoga prisão domiciliar de André Esteves, que poderá reassumir banco». O Globo. 25 de abril de 2016 
  53. «Operação Conclave investiga venda de ações do banco Panamericano | VEJA.com». VEJA.com 
  54. «Procurador pede absolvição de Lula e André Esteves no caso Cerveró». epocanegocios.globo.com 
  55. «Procurador pede absolvição de Lula no caso Cerveró». Fausto Macedo 
Ícone de esboço Este artigo sobre um empresário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.