Boeing C-17 Globemaster III

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wiki letter w.svg
Por favor melhore este artigo, expandindo-o. Mais informação pode ser encontrada no artigo «Boeing C-17 Globemaster III» na Wikipédia em inglês e também na página de discussão. (setembro de 2015)
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
C-17 Globemaster III
Picto infobox aircraft.png
Teste de voo de um C-17 conhecido como T-1 em 2007
Descrição
Tipo / Missão Aeronave de transporte de cargas e passageiros de uso militar e civil, com motores turbofan, quadrimotor monoplano
País de origem  Estados Unidos
Fabricante McDonnell Douglas/Boeing
Período de produção 1991-2015
Quantidade produzida Até fevereiro de 2015, 279 unidade(s)
Custo unitário US$ 218 milhões (Custo de voo do AF de 2007)
Desenvolvido de McDonnell Douglas YC-15
Primeiro voo em 15 de setembro de 1991 (24 anos)
Introduzido em 17 de janeiro de 1995
Variantes
  • C-17A "ER"
  • C-17B
  • MD-17 (uso civil)
Tripulação 3: dois pilotos e um loadmaster (cinco pessoal adicional para evacuação aeromédica)
Carga útil 77 519 kg (171 000 lb)
Notas
Mais dados: Ver seção "Especificações"

O Boeing C-17 Globemaster III foi um avião de transporte tático feito pela Boeing Integrated Defense Systems, e operada pela Força Aérea Americana, Real Força Aérea , Real Força Aérea Australiana e Força Aérea da Índia. A OTAN planeja adquirir a aeronave.

Nos anos 70, a USAF estava olhando um avião de transporte tático para substituir o C-130 Hercules. Existiam uma competição entre Boeing e McDonnell Douglas. A Boeing propunha o Boeing YC-14 e a McDonnell Douglas propunha o McDonnell Douglas YC-15. Ambos excediam as especificações requeridas, e a competição foi cancelada antes do vencedor ser escolhido.

O Boeing C-17 Globemaster III apresenta uma característica muito interessante: o trem de pouso. A imagem ao lado mostra perfeitamente como é o trem de pouso desse avião. A primeira coisa a ser notada é o fato de as portas do mesmo permanecerem abertas enquanto ele está abaixado. Isso, é estranho, pois a maioria dos aviões desse porte tem um mecanismo que permite essas portas serem fechadas com trem de pouso estendido. Além disso, o trem de pouso traseiro é formado por dois pares de rodas principais. Porém, do lado de cada roda "interna" existe uma outra roda, em posição um pouco elevada, voltada para o centro da aeronave. O trem de pouso frontal é simples, isto é, duplo. É difícil ver um avião desse porte ter apenas uma roda, mesmo no trem de pouso frontal.

Outra característica interessante sobre o modelo é a sua capacidade de abrir a porta do compartimento de carga, em pleno voo, mesmo sem a adição de uma segunda fuselagem. Alguns aviões que possuem essa capacidade, como o C-5 Galaxy ou Antonov An-124 precisam de uma segunda fuselagem para dar a resistência estrutural que a aeronave precisa para abrir a porta traseira do compartimento de carga em pleno voo. (Veja as páginas dos C-5 Galaxy ou do Antonov An-124 para saber a razão da necessidade dessa segunda fuselagem.) Além disso, os aviões supracitados possuem duas portas que dão acesso ao compartimento de carga, uma de proa (frontal) e outra de popa (traseira). O Globemaster III, por sua vez, possui apenas a porta de popa. Entretanto, essas portas que mencionamos são acessos para carga. Existem várias outras destinadas a permitir que humanos entrem e saiam do Globemaster. Aliás, o Globemaster tem duas portas de popa, uma de cada lado, que podem ser abertas em pleno voo, para a liberação de soldados paraquedistas.

Ao lado, exibimos um pequeno vídeo promocional que mostra um pouco das capacidades operacionais do Globemaster III. Note que o Globemaster é capaz de "lançar fogo". Esse "fogo", na verdade, é uma medida de defesa que visa proteger o avião de ataques com mísseis termossensíveis. Ela funciona atraindo tais mísseis para si e, consequentemente, desviando eles do avião. Duração do vídeo: 1 min e 10 segs.

O compartimento de carga desse avião possui comprimento de 20,78 metros. O comprimento da rampa é de 6,52 metros e sua capacidade é de 18,144 toneladas. A largura utilizável do compartimento de carga é de 5,49 metros e a altura é de 4 metros e meio, depois das asas. Antes das asas, a altura é de 3,76 metros.

O sistema eletrônico do Boeing C-17 Globemaster III trabalha com quádrupla redundância. Isso significa que, se um dos sistemas falhar, há outros três trabalhando. O sistema de navegação é digital, assim como muito outros componentes da aeronave.

Especificações (C-17)

Dados de: U.S. Air Force,[nota 1] Boeing.[nota 2] [nota 3]

Descrições gerais
  • Tripulação: 3 - 2 pilotos e um oficial de carga
  • Capacidade: 102 paraquedistas ou
    134 soldados com assentos paletizados e assentos de parede ou
    54 assentos de parede (mais 13 paletes de carga) somente ou
    36 macas e 54 pacientes ambulatoriais e enfermeiros e médicos ou
    Carga, de um M1 Abrams, três M1126 Stryker ou seis M1117
    77 519 kg (171 000 lb) de carga distribuída ou misturada com veículos
  • Comprimento: 53 m (170 ft)
  • Envergadura: 51,75 m (170 ft)
  • Altura: 16,8 m (55 ft)
  • Área alar: 353  (3 800 ft²)
  • Peso vazio: 128 100 kg (282 000 lb)
  • Peso de decolagem: 265 350 kg (585 000 lb)
  • Capacidade de combustível: 134 556 l (35 500 US-gal)
Motorização
Performance



Notas das especificações

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Boeing C-17 Globemaster III
Ícone de esboço Este artigo sobre um avião, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.