Esporte Clube Operário de Mafra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Operário De Mafra
Esporte Clube Operário de Mafra.png
Nome Esporte Clube Operário de Mafra
Alcunhas Glorioso

Alvinegro do Planalto Norte Alvinegro Catarinense

Torcedor/Adepto Alvinegro
Mascote Operário
Fundação 08 de dezembro de 1940 (79 anos)
Estádio Estádio Alfredo Herbst

16 de Abril

Capacidade 1.500

2.000

Localização Mafra - Santa Catarina

Itaiópolis - Santa Catarina

Treinador Edemar Heiler
Patrocinador Big Passo Calçados
Material (d)esportivo Urro
Competição Catarinense - Série C
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Esporte Clube Operário de Mafra é um clube desportivo brasileiro da cidade de Mafra, Santa Catarina.

História[editar | editar código-fonte]

Em 12 de maio de 1897, foi criado a Sociedade Esportiva e Recreativa dos Operários Mafrenses (SEROM), ou Clube Zeppelin, porém, era apenas um clube social.

Na década de 1930, foi fundado um clube com o nome Operário, que era mantido pela classe operária, e foi o "embrião" do Clube Atlético Operário (CAO), fundado em 08 de dezembro de 1940, então, nascia ali, a força do futebol do planalto norte catarinense, bem como sua história no Campeonato Catarinense.

Em 1937 o antigo Operário, juntamente ao Pery Ferroviário, América e Rio Negro ambas de Mafra, Três Barras de Três Barras, Canoinhas de Canoinhas e Bandeirantes de São Bento do Sul fundam em Mafra a Liga Esportiva Catarinense - LEC.

O Clube Atlético Operário foi profissionalizado em 1977, sendo incluído no Campeonato Catarinense, recebendo equipes de ponta de Santa Catarina. Em 1978 passou a disputar as finais do campeonato catarinense, após sagrar-se campeão de sua chave e encerrou sua participação dentre os primeiros colocados.

Uma das maiores aspirações do torcedor mafrense, foi realizado em maio de 1980, com a inauguração do sistema de iluminação do estádio Alfredo Herbst, o popular Pedra Amarela, foi uma festa que ficou marcada no esporte, com a participação de várias autoridades políticas. Foi o maior público registrado até hoje no estádio, estava totalmente tomado, mais de 3000 torcedores fizeram parte desta festa de inauguração da iluminação. Na ocasião o Mafra Atlético Clube (MAC), que passou a denominar-se, esta agremiação em 21 de setembro de 1979, enfrentou o Joinville, pela Taça Santa Catarina, fase preliminar do Campeonato Catarinense na época.

No início do anos 90 o Operário foi refundado e disputou a Série B do Catarinense, época que o clube começou a ser administrado pela Sociedade Esportiva e Recreativa dos Operários Mafrenses, atuando com tal nomenclatura.

De 2003 a 2005 voltou a ativa nas divisões de acesso, e em 2009 na Série C do Catarinense, fez uma boa campanha, ficando entre os semifinalistas.

No ano de 2015 o Operário comprou a vaga do Canoinhas Atlético Clube e ressurgiu na Série B do Catarinense sob a alcunha de Esporte Clube Operário de Mafra (ECOM).[1]

No ano de 2017, muda-se para a cidade de Itaiópolis passando a mandar seus jogos no Estádio 16 de Abril.

Hino[editar | editar código-fonte]

Nós somos os defensores do Operário, do Operário

Lutamos com ardor pela nossa bandeira

Para cobrir o nosso pavilhão de glória

Lutamos com ardor pela vitória

Avante Operário!! Avante!!

Avante bravos jogadores

Lutar incansavelmente é nosso desejo ardente,

para defender nossas cores

A turma que agora vai partindo

Partindo alegres sorrindo

Essa turma que vai partindo agora

Leva nos lábios o sorriso da vitória

Operário, Operário o teu lema é vencer

Operário, Operário, Operário até perder

Operário, Operário o teu lema é vencer

Operário, Operário, Operário até morrer

Títulos[editar | editar código-fonte]

MUNICIPAIS
Competição Títulos Temporadas
Santa Catarina Campeonato Regional da Zona Norte - LEC 4 1947, 1948, 1956 e 1962
Mafra Campeonato Municipal 14 1947, 1948, 1949, 1954, 1956, 1958, 1959, 1962, 1970, 1973, 1985, 1989, 1996 e 2003

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Santa Catarina Campeonato Catarinense da Zona Norte - ACD (Vice): 1947

Santa Catarina Campeonato Regional da Zona Norte - LEC (Vice): 1949

Santa Catarina Taça Haroldo Ferreira: 2004

Retrospecto estadual[editar | editar código-fonte]

Santa Catarina Campeonato Catarinense 1ª Divisão[editar | editar código-fonte]

Ano Posição
1980 13º
1978 ?
1977 18º
1964 Regional - Zona Central
1956 Fase Amadora
1947
1937 Fase Regional (LEC)

Santa Catarina Campeonato Catarinense 2ª Divisão[editar | editar código-fonte]

Ano Posição
2018 10º (Lanterna e rebaixado)
2017
2016
2015
2003
1993
1992 ?
1991 ?

Santa Catarina Campeonato Catarinense 3ª Divisão[editar | editar código-fonte]

Ano Posição
2019 À disputar
2009
2005
2004

Santa Catarina Copa Santa Catarina[editar | editar código-fonte]

Ano Posição
2018 Em Andamento
1995 Segunda fase
1993 Primeira fase

Santa Catarina Taça Santa Catarina[editar | editar código-fonte]

Ano Posição
1986 ?
1980 ?

O clube[editar | editar código-fonte]

Torcidas[editar | editar código-fonte]

  • Torcida Esquadrão;
  • Torcida Fúria Negra.

Estrangeiros[editar | editar código-fonte]

  • Togo Bill (em 2015);
  • Paraguai Tito Paraguaio (em 2005).

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

Em 1961 houve um clássico Pery Ferroviário Esporte Clube x Operário, também de Mafra. Estava 1 a 0 no primeiro tempo para o Pery quando o juiz marcou um pênalti. Aí o Jogador Melchíades Rosa do Pery, chamou o juiz de ladrão e foi expulso. Até a polícia precisou ser chamada para que o jogador deixasse o campo pelo lado da torcida do Operário. O estádio estava cheio. Na seqüência o jogador ainda agrediu o policial que disparou dois tiros, que por sorte não acertou ninguém. O jogador saiu correndo em zigue-zague. Em seguida dois policiais pegaram o jogador que ainda acertou um soco em um deles. A partida virou uma confusão. Na época não existia cartão amarelo nem vermelho. O Juiz acabou tendo que chamar o Exército para terminar com a pancadaria e a partida terminou ali mesmo.

Uniformes históricos[editar | editar código-fonte]

Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1920 C.A.O.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1962 C.A.O.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1978 C.A.O.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1980 M.A.C.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
1990 S.E.R.O.M.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2009 S.E.R.O.M.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
2015 E.C.O.M.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Luiz, Miguel (14 de maio de 2016). «Especial Operário 100 anos» (PDF). Click Rio Mafra 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre clubes brasileiros de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.