Estação Praça da Bandeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Praça da Bandeira
Estação Praça da Bandeira, em 2016
Informações
Praça da Bandeira está localizado em: Baixada Fluminense e parte da cidade do Rio de Janeiro
Praça da Bandeira
Localização da Estação Praça da Bandeira
Endereço Praça da Bandeira, s/n – Centro Rio de Janeiro – RJ – 20.270-150
Coordenadas 22° 54' 35.47" S 43° 12' 46.52" O
Administração Logo da SuperVia.svg SuperVia
Uso Atual Estação de metropolitanos
Código RJ-1301
Linhas Linha Deodoro
Estrutura Superfície
Níveis 2
Plataformas 1
Outras Informações
Inauguração 12 de novembro de 1907 (111 anos)
Inauguração da atual edificação 12 de fevereiro de 1942 (77 anos)[1]
Nome antigo Lauro Müller
Movimento
Passageiros (2018) 1051000 [2]
Próxima Estação
Sentido Centro
Sv-vcentralstation.svg Central do Brasil
Sv-vorangelinecontshortdis.svg Sv-vorangeline.svg Sv-vpurpleline.svg Sv-vblueline.svg Sv-vgreenline.svg Sv-vredstation.svg Praça da Bandeira
Sv-vorangeinterincldis.svg Sv-vorangeinterleftydis.svg Sv-vpurpleintermiddle.svg Sv-vblueintermiddle.svg Sv-vgreenintermiddle.svg Sv-vredinterright.svg São Cristóvão
Sv-vorangelinecontshort.svg Sv-vpurplelinecontshort.svg Sv-vbluelinecontshort.svg Sv-vgreenlinecontshort.svg Sv-vredlinecontshort.svg
Sentido Baixada/Zona Oeste

Estação Praça da Bandeira, antes conhecida como Estação Lauro Müller, é uma estação de trem da Zona Norte do Rio de Janeiro.

História[editar | editar código-fonte]

Estação Praça da Bandeira

A estação foi inaugurada em 12 de novembro de 1907, com o nome de Lauro Müller, após a Estrada de Ferro Central do Brasil modificar o leito da linha entre as estações Pedro II e São Cristóvão."[3][4] A revista Manchete, em 1957, contou a história da construção da estação: "(…) Com o tráfego aumentando dia a dia, principalmente depois do início dos serviços do cais do porto, e pela necessidade de evitar futuras complicações com as avenidas laterais do novo Canal do Mangue, aberto pela Comissão Construtora do Cais do Porto, o diretor Francisco de Paiva Ramos, pelo ofício 605, de 25 de maio de 1903, sugeriu a elevação da linha entre São Cristóvão e São Diogo, acabando com a travessia das passagens de níveis das ruas Praia Formosa, Figueira de Melo e São Cristóvão. Aprovada a ideia, o projeto foi executado pela Seção Técnica da Linha, sob a chefia do engenheiro Carlos Euler, auxiliado pelo seu colega Mário Martins Costa. Os trabalhos de elevação da linha, que incluíam a construção do viaduto metálico por onde ela atravessa o Mangue, perto da Leopoldina, tiveram início em 1905, sendo chefe da linha o engenheiro José de Andrade Pinto. Com a elevação, São Diogo perdeu a sua importância, e surgiu a estação de Lauro Muller, nome do ministro da Viação da época, que inaugurou a obra com Afonso Pena, presidente da República."[5]

Durante um temporal em dezembro de 1931, parte da cobertura das plataformas da estação foi arrancada, obrigando a Central a realizar reparos em suas edificações.[6] Com isso, as edificações da estação (incluindo a entrada e a transferência de passageiros entre plataformas) foram reformadas, entre 1934 e 1942. Até então feita em superfície, com passagem de nível de pedestres, passou a ser feita através de uma passagem sob os trilhos.[7] Com as obras realizadas e entregues em 12 de fevereiro de 1942, o acesso à estação de Lauro Muller passou a ser realizado pela Praça da Bandeira.[8][1]

Em 29 de julho de 1999, a estação foi reinaugurada após uma reforma geral, de duzentos mil reais, realizada pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro.[9] Na década de 2000, a estação foi rebatizada com o nome da praça onde está localizada.


Plataforma[editar | editar código-fonte]

Diagrama da estação Praça da Bandeira
Sentido Deodoro

a
1

b
Sentido Central do Brasil

Legenda

                     Linha férrea

  Plataforma


Linhas

Plataforma 1: Linha Deodoro
Via a: Sentido Deodoro
Via b: Sentido Central do Brasil

Dias úteis[editar | editar código-fonte]

Plataforma 1A: Deodoro
Plataforma 1B: Central do Brasil

Sábados (após as 8 horas)[editar | editar código-fonte]

Plataforma 1A: destina-se aos trens com destino a Japeri e Santa Cruz
Plataforma 1B: destina-se aos trens com destino à Central do Brasil

Domingos e feriados[editar | editar código-fonte]

Plataforma 1A: destina-se aos trens com destino a Santa Cruz e Japeri
Plataforma 1B: destina-se aos trens com destino à Central do Brasil

Referências

  1. a b «Uma passagem subterrânea na estação de Lauro Muller». Diário de Notícias, ano XII, edição 5291, página 7. 12 de fevereiro de 1942 
  2. «Movimento anual de passageiros embarcados por estações e subsistemas do sistema ferroviário entre 1995-2018». Data Rio-Instituto Pereira Passos. 2019. Consultado em 1 de julho de 2019 
  3. Estação Praça da Bandeira
  4. Guia Geral das Estradas de Ferro (1960). «EFCB - Estrada de Ferro Central do Brasil-Linha do Centro (Bitola de 1,60 m)». Centro Oeste. Consultado em 1 de julho de 2019 
  5. Estação Praça da Bandeira
  6. «Caiu ontem à tarde um temporal pouco demorado, mas violento». O Jornal (RJ), ano XVI,edição 4028, página 8/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 22 de dezembro de 1931. Consultado em 1 de julho de 2019 
  7. «Fechamento da estação Mangueira». O Jornal (RJ), ano XVI,edição 4482, página 14/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 29 de maio de 1934. Consultado em 1 de julho de 2019 
  8. «O fechamento da estação de Lauro Muller». O Jornal (RJ), ano XVII,edição 4800, página 12/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 5 de junho de 1935. Consultado em 1 de julho de 2019 
  9. «Estação recuperada». Jornal do Commércio, ano CLXXII, edição 248, página A-15/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 30 de julho de 1999. Consultado em 1 de julho de 2019 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Estação Praça da Bandeira