Força Aérea Real

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: RAF redireciona para este artigo. Para outros significados, veja RAF (desambiguação).
Força Aérea Real
Boeing.e3-d.sentry.takeoff.arp.jpg
E-3 Sentry AEW1 da RAF.
País  Reino Unido
Subordinação MinistryofDefence.svg Forças Armadas Britânicas
Missão Força Aérea
Criação 1 de abril de 1918-
Marcha Royal Air Force March Past
Lema Per ardua ad astra
Através da adversidade para as Estrelas
História
Guerras/batalhas Primeira Guerra Mundial
Batalha da Grã-Bretanha
Segunda Guerra Mundial
Guerra Fria
Guerra do Golfo
Guerra do Kosovo
Guerra do Afeganistão
Guerra do Iraque
Guerra contra o Estado Islâmico
Logística
Efetivo 34 200 militares
Insígnias
Roundel RAF roundel.svg
Emblema do estabilizador vertical RAF-Finflash-Noncombat.svg
Bandeira Ensign of the Royal Air Force.svg
Comando
Comandante-em-Chefe Rainha Elizabeth II
Chefe da Força Aérea Real Stephen Dalton
Comandantes
notáveis
Lord Trenchard
Lord Portal
Sede
Guarnição Whitehall, Londres

A Força Aérea Real (RAF) (inglês: Royal Air Force) é a força aérea independente mais antiga do mundo.

Foi criada em 1 de abril de 1918, durante a Primeira Guerra Mundial, pela mescla do Corpo Real de Voo (Royal Flying Corps) e do Serviço Aeronaval Real (Royal Naval Air Service). Desde lá, teve um importante papel na história militar britânica, especialmente na Segunda Guerra Mundial. Nesse conflito, durante a Batalha da Inglaterra, a RAF teve grande importância defensiva.

Apesar da superioridade numérica dos nazistas, os ingleses conseguiram enfrentá-los, devido à uma arma secreta: o radar. Causaram assim cerca de 2500 mortes na Luftwaffe, destruindo 1887 aviões alemães, e perderam 544 homens e 1547 aeronaves. Nessa época teve grande importância os caças Spitfire, que enfrentavam os caças de escolta alemães, e os Hurricane, encarregados de abater os bombardeiros. O radar diminuía a necessidade de voos de ronda, e assim, os caças da RAF poderiam se concentrar para atacá-los. Posteriormente, junto à força aérea americana (USAF), teve um papel marcante nos bombardeios sobre o continente europeu e nas batalhas sobre a Alemanha que acabaram destruindo a força aérea de Hitler.

Mais recentemente, atuou no Iraque e continua atuando em outras zonas de guerra, sendo uma das forças aéreas mais modernas do mundo. A RAF possui mais de 1.000 aeronaves e, em 2007, 45.710 de pessoal regular. Hoje a RAF tem como aeronaves de ataque e apoio ofensivo os caças Tornado GR4, Harrier GR9 e o Eurofighter Typhoon FGR4. As aeronaves de defesa aérea e alerta aéreo antecipado são o Eurofighter Typhoon F2 e o Tornado F3. As aeronaves de reconhecimento são o Sentry AEW1, o Nimrod R1, o Sentinel R1 e o MQ-9 Reaper.[1]

Fotos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Air Power and Colonial Control: The Royal Air Force, 1919-1939 By David E. Omissi, Published 1 January 1990, Acessado em 4 de março de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Força Aérea Real


Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.