Hipertricose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde fevereiro de 2013).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde abril de 2017). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Hipertricose
Classificação e recursos externos
CID-10 L68, Q84.2
CID-9 704.1, 757.4
OMIM 135400
DiseasesDB 20886
MedlinePlus 003148
MeSH D006983
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Hipertricose (também conhecida como a síndrome do lobisomem[carece de fontes?]) é um termo médico usado para descrever uma doença extremamente rara que causa o excesso de pêlos no corpo humano.

A hipertricose é , caracterizada por um crescimento excessivo de pêlos. As pessoas acometidas por este distúrbio apresentam a pele toda coberta de pêlos, exceto as palmas das mãos e dos pés. Só foram relatados 50 casos, desde a Idade Média.

Existem basicamente duas variantes da doença, são elas:

  • Hipertricose Lanuginosa Congênita: o cabelo é relativamente fino e felpudo e pode chegar a 25 cm de comprimento.
  • Síndrome de Abras: nesta variante da doença o cabelo é mais grosso, é colorido, e cresce durante toda a vida.

Como geralmente ocorre com estes tipos raros de anomalias, não se sabe muita coisa a seu respeito. Sabe-se, porém, que se trata de uma mutação genética. Na maioria das vezes, os indivíduos a adquirem através de herança familiar, esta hereditariedade faz com que seja normal que, em algumas famílias, existam diversos integrantes com esta alteração, visto que existem 50% de chances de que o descendente tenha a síndrome. É interessante ressaltar, porém, que nem sempre as mutações ocorrem de forma hereditária, mas espontaneamente (embora seja ainda mais raro), ou seja, não se conhece a localização genética da mutação nem como ela ocorre.

A pessoa que sofre deste distúrbio geralmente fica isolada, discriminada, maltratada física ou psicologicamente, fato que a torna mais propensa a ter problemas psicológicos, como por exemplo, a depressão.

A maioria das pessoas com esta anomalia tem se tornado famosa ao longo da história. Devido a seu aspecto chamativo, muitos foram trabalhar em circos. Um caso ocorrido em Tenerife nas Ilhas Canárias, onde Pedro Gonçalvez era exibido por sua família no castelo de Ambras, deu origem ao nome de uma das variantes deste distúrbio.

O tratamento mais eficaz e durador encontrado, até hoje, é a depilação a laser.[1]

No filme Fur (A pele), relata a história de Lionel que possuia esta doença e o preconceito sofrido em sua volta. Outro exemplo é narrado em 2016 no filme "A leoa", onde a pequena Eva nasce prematuramente em 1912 com a doença. Filha de um funcionário da estação de trem de uma cidade da Noruega e de uma jovem e linda mulher que morre no parto dela, a protagonista vive de forma isolada grande parte da sua vida, mas termina destacando-se na Matemática.

Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Hipertricose
  1. Terra: Aos 33 anos, americano descobre que mãe é mulher barbada