História do telefone celular

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A história do telefone celular (português brasileiro) ou telemóvel (português europeu) começa nas primeiras décadas do século XX, com um brasileiro.

Primórdios[editar | editar código-fonte]

Martin Cooper e um Motorola DynaTAC 8000X em 2007.


A partir de 1918, o sistema ferroviário testou a telefonia móvel nos trens da ferrovia alemã entre Berlim e Zossen (distrito de Teltow-Fläming). [1] Em 1924, começaram os testes particulares de ligações telefônicas em trens, no trajeto entre Berlim e Hamburgo. Em 1925, foi fundada a empresa Zugtelephonie AG, para fornecer equipamentos de telefonia para trens, e, em 1926, o serviço telefônico nos trens da Deutsche Reichsbahn e do Reichspost (serviço alemão de correios) na linha Hamburgo-Berlim foi aprovado, passando a ser oferecido aos viajantes da 1ª classe.[2]

Ligações radiotelefônicas eram feitas para fins militares durante a Segunda Guerra Mundial. Transceptores de rádio portáteis existem desde a década de 1940, quando os telefones celulares para automóveis passaram a ser oferecidos por algumas empresas de telefonia. Os primeiros aparelhos eram volumosos e consumiam muita energia, e a rede suportava apenas poucas conversas simultâneas.

Em 1947, nos Laboratórios Bell, nos Estados Unidos, foi desenvolvido um sistema telefônico de alta capacidade, [3] interligado por diversas antenas, sendo que cada antena era considerada como uma célula. Por isso o nome de "celular".

Lololo Ebi Fernando Casimiro

Em 1956, a empresa sueca Ericsson desenvolveu seu primeiro celular, denominado Ericsson MTA (Mobilie Telephony A). O Ericsson MTA[4] , pesava cerca de 40 quilos e foi desenvolvido para ser instalado em porta malas de carros.

Entre 1955 e 1961, na antiga URSS, Leonid Kupriyanovich, um engenheiro de Moscou, desenvolveu e apresentou uma série de modelos experimentais de telefones celulares portáteis. O primeiro em 1955, tinha alcance de cerca de 1,5 km e pesava 1, 2 kg. O peso de um modelo, apresentado em 1961, era de apenas 70 g e poderia caber na palma da mão. [5] [6] Em 1958, a URSS também iniciou o desenvolvimento do "Altay", serviço nacional de telefonia móvel civil para carros, com base no padrão soviético MRT-1327. Os principais desenvolvedores do sistema Altay foram o VNIIS e o GSPI. O sistema de telefone pesava 11 kg e era colocado no porta-malas dos veículos de altos funcionários, que usavam um aparelho padrão no compartimento de passageiros.[7] Em 1963 esse serviço foi iniciado em Moscou; em 1970, o Altay já era utilizado em 30 cidades da URSS . As últimas versões do Altay ainda são usadas em alguns lugares da Rússia, como sistema de trunking. [8] Em 1965, na exposição internacional Inforga-65, em Moscou, a empresa búlgara "Radioelektronika" apresentou o telefone móvel automático combinado com uma estação base. As soluções usadas para esse telefone basearam-se num sistema desenvolvido por Kupriyanovich. Uma estação de base, ligada a uma linha de telefone, podia servir a até 15 clientes.[9] [10] A empresa americana Motorola também desenvolveu seu modelo de celular e, no dia 3 de abril de 1973, em Nova York, apresentou o modelo Dynatac 8000X[11] . Usando esse modelo ocorreu a histórica ligação feita por Martin Cooper, diretor de sistemas de operações da Motorola. O aparelho, muito prosaico, tinha 25 cm de comprimento e 7 cm de largura, além de pesar cerca de 1 quilo.

Em 1979, o telefone celular entrou em operação no Japão e na Suécia; em 1983, passou a ser usado também nos Estados Unidos.

No mundo[editar | editar código-fonte]

Em 1989, existiam 4 milhões de assinantes do serviço móvel em todo o mundo. Em 2009 são 4,6 bilhões, a caminho de 6 bilhões antecipados para 2013. Segundo a União Internacional de Telecomunicações, "o telefone móvel foi a tecnologia mais rapidamente adotada de toda história".[carece de fontes?]

Avanços[editar | editar código-fonte]

Os assinantes pagavam 20 mil dólares para possuir um sistema de telefonia deste tipo. Nas décadas de 70 e 80, países como Japão e Suécia efetivaram tecnologias próprias. Já no final da década de 1980, a tecnologia estava desenvolvida em quase todos os países.[carece de fontes?]

Referências

  1. 1918: Drahtloses Fernsprechen im Verkehr mit fahrenden Eisenbahnzügen wird auf der Militärbahnstrecke Berlin-Zossen erprobt. deutsches-telefon-museum.eu, 1º de abril de 1989.
  2. Informatikzentrum Mobilfunk (IZMF). "The development of digital mobile communications in Germany".
  3. (em inglês)Memorial descritivo. Por Douglas H. Ring, 1947.
  4. Ericsson MTA
  5. (em russo) Рыбчинский, Юрий РАДИОФОН. Орловская Правда 12–1961 Радиофон
  6. (em russo) Мартин Купер был не первым. Олег Измеров .
  7. Design and Analysis of MC-CDMA Transceivers Model Based Fourier Transform. Por Aktham Hasan Ali. Journal of Information Engineering and Applications, vol. 4, n° 9, 2014. ISSN 2224-5782 ISSN 2225-0506
  8. (em russo) Revistas "Nauka i zhizn", 8, 1957 e 10, 1958; "Technika-molodezhi", 2, 1959; "Za rulem" , 12, 1957, "Yuny technik", 7, 1957, 2, 1958 e 9, 1996; Jornal "Orlovskaya pravda", 12, 1961.
  9. Revista "Nauka i zhizn", 8, 1965.
  10. "Se diz comunista, mas usa Iphone". Outras Palavras, 5 de jameiro de 2015.
  11. Dynatac 8000X (foto).