Iapu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Iapu
Vista parcial de Iapu a partir da BR-458

Vista parcial de Iapu a partir da BR-458
Bandeira de Iapu
Brasão de Iapu
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 1 de janeiro de 1949 (70 anos)
Fundação 27 de dezembro de 1948[1]
Gentílico iapuense[2]
Lema Proteção aos fracos, liberdade a todos
Padroeiro(a) Santo Estêvão[3]
CEP 35190-000 a 35192-999[4]
Prefeito(a) José Carlos de Barros (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Iapu
Localização de Iapu em Minas Gerais
Iapu está localizado em: Brasil
Iapu
Localização de Iapu no Brasil
19° 26' 13" S 42° 13' 04" O19° 26' 13" S 42° 13' 04" O
Unidade federativa Minas Gerais
Região intermediária

Ipatinga IBGE/2017[5]

Região imediata

Ipatinga IBGE/2017[5]

Região metropolitana Vale do Aço
Municípios limítrofes Sobrália, Periquito, Naque, Bugre, Caratinga, Inhapim e São João do Oriente
Distância até a capital 252 km
Características geográficas
Área 340,579 km² [2]
Distritos Iapu (sede) e São Sebastião da Barra[1]
População 10 867 hab. estatísticas IBGE/2018[2]
Densidade 31,91 hab./km²
Altitude 450 m
Clima tropical quente semiúmido Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,654 médio PNUD/2010[6]
PIB R$ 99 856,96 mil IBGE/2016[7]
PIB per capita R$ 9 146,92 IBGE/2016[7]
Página oficial
Prefeitura www.iapu.mg.gov.br
Câmara camaramunicipaldeiapu.mg.gov.br

Iapu é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Localiza-se no Vale do Rio Doce e pertence ao colar metropolitano do Vale do Aço. Sua população estimada em 2018 era de 10 867 habitantes.[2]

História[editar | editar código-fonte]

A área onde está situado o atual município de Iapu fora explorada pela primeira vez no começo do século XIX, apesar de que artigos de cerâmica encontrados na região apontam a presença de indígenas em tempos anteriores. A 26 de dezembro de 1822, tem-se a chegada de Raimundo José de Souza e seu sobrinho Antônio Bronza de Souza, que acamparam à margem de um ribeirão, denominado por eles de Santo Estevão em honra ao dia do santo ser comemorado naquela data. As terras férteis atraíram novos moradores na década de 1880 e, posteriormente, a construção de uma pequena capela consolidou a formação do povoado.[1]

Dado o desenvolvimento, foi criado o distrito, denominado Santo Estevão e subordinado a Caratinga, pela lei municipal nº 116, de 30 de setembro de 1901. A lei estadual nº 843, de 7 de setembro de 1923, alterou a denominação distrital para Boachá, voltando a se chamar Santo Estevão pela lei estadual nº 1.035, de 20 de setembro de 1928. Pelo decreto estadual nº 148, de 17 de dezembro de 1938, o distrito foi transferido para Inhapim, tendo sua denominação alterada para Iapu pelo decreto estadual nº 1.058, de 31 de dezembro de 1943.[1]

A emancipação de Iapu foi decretada pela lei estadual nº 336, de 27 de dezembro de 1948, instalando-se em 1º de janeiro de 1949. Estava composto pelos distritos de Bugre e São João do Oriente, além da sede. Em 30 de dezembro de 1962, pela lei estadual nº 2.764, foi criado o distrito de São Sebastião da Barra, ao mesmo tempo que São João do Oriente foi elevado à categoria de município. Bugre também foi emancipado pela lei estadual n° 12.030, de 21 de dezembro de 1995.[1]

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[8] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária e Imediata de Ipatinga.[5] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Caratinga, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Vale do Rio Doce.[9]

Imagens[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Iapu - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 14 de junho de 2013. Cópia arquivada em 14 de junho de 2013 
  2. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Iapu». Consultado em 18 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2019 
  3. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 23. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  4. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  5. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 25 de setembro de 2017 
  6. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 8 de julho de 2014. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  7. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 18 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2019 
  8. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 25 de setembro de 2017. Cópia arquivada em 25 de setembro de 2017 
  9. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 25 de setembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.