Jales

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2012).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Jales (desambiguação).
Município de Jales
"Centro da Região"
Da esquerda para direita: Hospital do Câncer de Jales, Praça João Mariano de Freitas, Associação Comercial, Teatro Municipal, Vista parcial do Centro, Catedral.

Da esquerda para direita: Hospital do Câncer de Jales, Praça João Mariano de Freitas, Associação Comercial, Teatro Municipal, Vista parcial do Centro, Catedral.
Bandeira de Jales
Brasão de Jales
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 15 de abril
Fundação 15 de abril de 1941 (76 anos)
Gentílico jalesense, jaleense
Prefeito(a) Flávio Prandi Franco (DEM)
Localização
Localização de Jales
Localização de Jales em São Paulo
Jales está localizado em: Brasil
Jales
Localização de Jales no Brasil
20° 16' 08" S 50° 32' 45" O20° 16' 08" S 50° 32' 45" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião São José do Rio Preto IBGE/2008[1]
Microrregião Jales IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Paranapuã, Mesópolis, Vitória Brasil, Estrela d'Oeste, Pontalinda, Dirce Reis, São Francisco e Urânia
Distância até a capital 586 km[2]
Características geográficas
Área 368,5 km² [3]
População 50 010 hab. (SP: 132º) –  Censo IBGE/2013[3]
Densidade 135,71 hab./km²
Altitude 478 m
Clima tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,804 (SP: 143º) – muito alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 668 455 mil IBGE/2009[5]
PIB per capita R$ 13 370,17 IBGE/2009[5]
Página oficial
Prefeitura jales.sp.gov.br
Câmara camaradejales.sp.gov.br

Jales é um município brasileiro no interior do estado de São Paulo, Região Sudeste do país. Tem população estimada em 50.010 habitantes (IBGE/2017) e área de 368,5 km².[3] Localiza-se a cerca de 586 km da cidade de São Paulo.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Enquanto homens heroicos, dedicados ao trabalho, derrubando matas e arrancando do solo as riquezas indispensáveis à manutenção, iam, aqui e ali fazendo uma clareira na mata, o Dr. Euphly Jalles sonhava com a fundação de uma cidade, com possibilidades para tornar-se estável e que viesse a ser acolhedouro de uma civilização condgna. Não medindo sacrifícios, alimentando-se de caças sofrendo toda espécie de hostilidades, de insetos e animais selvagens, dormindo ao relento, embrenha-se no sertão em busca da concretização de seu sonho. Procede um estudo do solo, examina as posições e todas as possibilidades de substâncias para uma avantajada aglomeração humana. Depois de tudo bem estudado, conclui ser conveniente a criação de uma cidade em região que era totalmente coberta de matas virgens. Primeiramente prepara quatro ofícios, comunicando sua intenção de fundar uma cidade. Envia o primeiro a Getulio Vargas, um para o interventor do Estado que, era, nesta época, o Sr. Ademar de Barros, os outros aos Prefeitos de Tanabi e Pereira Barreto, Respectivamente. Depois munido de ferramentas adequadas e rodeado de diversos colaboradores, penetra no sertão de machado em punho. Confia a tarefa de derrubada do mato virgem a Athayde Gonçalves da Silva, João mariano de Freitas (Lapiá pai), José Nunes Brito, Jorge Batista, Pedro Marcelino, José Basílio, Juvêncio Pereira de Brito, Aristóphano Brasileiro de Souza, José Rosa e tantos outros. Dotados de espírito de luta, que não mediram esforços, não se curvando ante as incertezas que lhes podia acontecer ao encontra o desconhecido. Athayde Gonçalves, pegando a empreitada penetra no mato a dentro fazendo a derrubada da parte onde se localiza hoje a Vila São Jose, Lapiá (pai), Pedro Marcelino, aproveitando, lança à terra a primeira semente, produzindo a primeira colheita. Através de picadas no mato foram feitas as demarcações do perímetro e verificada a inaptidão do terreno para localização da cidade, procede-se outra derrubada no lugar onde está Praça João Mariano de Freitas antiga Praça Bandeirantes (conhecida com Praça do Jacaré). Era apenas uma roçada de pouco mais de dois quarteirões. 

Junto a esta picada no mato, que caia para dar lugar à nova cidade, na fervescente ansiedade de se ver brotar na mata virgem uma civilização, iam chegando daqui e dali, os soldados do desbravamento, tirando das selvas verdes a sua vestimenta, para dar lhes novos matizes de casas e lavouras e o colorido de homens e animais. Ângelo Pedreira da Silva constrói a primeira casa que passa a ser habitada por José Rosa. Jorge José Batista abre o primeiro boteco e já se vê ao cair da tarde, a rodinha para tomar aperitivo e recordar as anedotas. O cair das matas fazia surgir enfermidades várias e aparece o Moacir vendendo drogas. Mas Moacir não ficou muito tempo e logo foi substituído por Simão de Souza Nobre, que instalou a primeira botica. João Missena se dispõe a abrir a primeira pensão. A parte de carpintaria estava a cargo de Pereira da Silva, o mesmo que ajudaria a construir o cruzeiro. Para chegar as margens do Marimbondo, vindo de Votuporanga, o caminhão que trouxera a família de Lapiá e de Pedro Marcelino, levou dois dias. E das imediações do retiro Tamburi ao atual Largo de Santo Expedito foi preciso todo um dia de carro de boi. Mas por fim surgiu a via de transporte ligando Votuporanga e Vila Pereira à nascedoura Jales. Esta primeira estrada foi construída às espensas exclusivas do Dr. Euphly Jalles, até a nascente de Estrela D?Oeste foi construída no meio da mata, sem nem uma clareira sequer e o heroico homem desta construção foi o empreiteiro Altino Antônio de Oliveira. A estrada partiu de Jales e sua continuação de Estrela D’Oeste para frente também foi construída pelo Dr. Euphly Jalles que conseguiu do prefeito de Tanabi um auxilio de 500 mil réis por quilometro. A estrada foi inaugurada pelo Dr. Euphly Jalles que saiu de Jales ás 18:00 horas do dia 31 de dezembro de 1.941 arrastando seu pé-de-bode, e chegou a São José do Rio Preto às 06:00 horas da manhã do dia 01 de janeiro de 1.942, foi uma grande corrida. 

Ao cair da tarde de 15 de abril de 1941 toda a população se reúne no largo para levantar o madeiro, marco comemorativo do 1º aniversário da morte de uma floresta e nascimento de uma cidade. Fica na terra a cruz histórica. Presente ao ato comemorativo estava o representante de igreja Padre Vitor, que a noite celebrou missa campal encerrando as festividades do 1º aniversário. No vertiginoso desenrolar de seu progresso logo se fez necessária sua elevação a distrito, o que se deu três anos após a sua fundação, pelo decreto Lei nº 14.334, de 30de novembro de 1.944. Criado o distrito, o alvo era a criação do município, também, a emancipação. Euphly Jalles, que lutou para a criação do distrito e o contemplou, também lançou se à luta para criação do município e ai também a este viu brotar heroicamente pelo decreto Lei nº 233 de 24 de dezembro de 1.948 por determinação da Assembleia do Estado de acordo com o projeto de Lei Qüinqüenal, elaborado pela Comissão de Estatística, em cumprimento à Resolução nº 1 de15 de janeiro de 1.948. Era a terceira vitória da cidade e seu fundador.

O status de cidade centro de região sempre foi um diferencial de Jales desde os seus primórdios. Salta aos olhos a privilegiada condição geográfica, não somente em relação aos oitos municípios em que faz divisa, mas também pela proximidade com os estados limítrofes de Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. A Agricultura e o Comércio são as principais forças do desenvolvimento local e regional. O município é destacado nacionalmente pelo cultivo da fruticultura (Uvas Finas). A cidade também conta com uma unidade do Hospital de Câncer de Barretos que atende 1000 pacientes/dia vindos de aproximadamente 10 estados.

Administração[editar | editar código-fonte]

Vereadores (2017/2020)[editar | editar código-fonte]

  • Vanderley Vieira dos Santos - PPS
  • Vagner Sellis - PRB
  • Fabio Kazuto Matsumura - PSB
  • Nivaldo Batista de Oliveira - PSD
  • Bismark Jun Iti Kuwakino - PSDB
  • Claudecir Jose dos Santos - DEM
  • Adalberto Francisco de Oliveira Filho - PMDB
  • João Valeriano Zanetoni - PSB
  • Luiz Henrique Viotto - PP
  • Tiago Vandre de Souza Abra - PP

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2017

População total: 50.010[3]

  • Urbana: 47.510
  • Rural: 2.500
  • Homens: 24.510
  • Mulheres: 25.500

Densidade demográfica (hab./km²): 147,57

Taxa de alfabetização: 96,3%[6]

Dados do Censo - 2000

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 14,17

Expectativa de vida (anos): 72,15

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,96

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,804

  • IDH-M Renda: 0,741
  • IDH-M Longevidade: 0,786
  • IDH-M Educação: 0,884

(Fonte: IPEADATA)

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 20º16'08" sul e a uma longitude 50º32'45" oeste, estando a uma altitude de 478 metros. Possui uma área de 368,757 km².[7]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

  • Ribeirão Açoita Cavalo
  • Ribeirão Arribada
  • Ribeirão Cascavel
  • Ribeirão da Figueira
  • Ribeirão das Perobas
  • Ribeirão do Açude
  • Ribeirão do Café
  • Ribeirão dos Coqueiros
  • Ribeirão Figueirinha
  • Ribeirão Helena
  • Ribeirão Jataí
  • Ribeirão Lagoa
  • Ribeirão Marimbondo
  • Ribeirão Matão
  • Ribeirão Matãozinho
  • Ribeirão Perobinha
  • Ribeirão Quebra-Cabaça I
  • Ribeirão Quebra-Cabaça II
  • Ribeirão Sete de Setembro
  • Ribeirão Veadão
  • Ribeirão Veadinho[8]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Jales é o tropical com inverno seco, Aw na classificação de Köppen.

Dados climatológicos para Jales
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 32,0 32,0 32,0 30,4 29,0 28,0 29,0 31,0 31,0 33,0 32,0 32,0 30,9
Temperatura mínima média (°C) 21,0 20,0 20,0 16,9 15,0 14,0 14,0 16,0 18,0 19,0 19,0 21,0 17,8
Precipitação (mm) 220,5 174,6 139,3 83,4 61,4 29,2 19,0 17,7 60,1 102,3 130,3 183,8 1 221,6
Fonte: UNICAMP/CEPAGRI[9]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Faculdades, cursos técnicos e profissionalizantes[editar | editar código-fonte]

  • Escola Técnica Estadual "DR.José Luiz Viana Coutinho" - ETEC Jales (Centro Paula Souza) [10]
  • Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo - FATEC Jales (Centro Paula Souza) [11]
  • Universidade Aberta do Brasil (UAB)- Polo: UFSCar, IFSC, UFSM, UFOP, UNIFESP[12]
  • Universidade Virtual do Estado de São Paulo ( UNIVESP JALES) - Pólo ead Jales [13]
  • Instituto Educacional Profissionalizante (IEP)[14]
  • Unijales - Centro Universitário de Jales [15]

Saúde[editar | editar código-fonte]

"Dr.Shiguero Kitayama" - Cohab Roque Viola | "Dr. Getúlio de Carvalho" - Jd. Arapuã | "Dr. Luis Ernesto Sândi Mori" - Jacb | "Leonísio Gambeiro" - Jd. Oiti | "Dr. Francisco Xavier Rego"- Jd. Paraíso | "Uni-América" - Vila União | "Ozil Joaquim Resende" - Jd. Municipal | "Drª Zilda Arns Neumann" - Jd. Novo Mundo | “Setuo Suetugo” – Jd. São Jorge

Transportes[editar | editar código-fonte]

  • Rodoviária de Jales.jpg
  • Aeroporto Municipal de Jales
  • Terminal Rodoviário "Prefeito José Antônio Caparroz"
  • Transporte coletivo da empresa Jauense
  • Transporte Ferroviário da América Latina Logística (ALL)

Rodovias[editar | editar código-fonte]

  • SP-320 - Rodovia Euclides da Cunha
  • SP-463 - Rodovia Elyeser Montenegro Magalhães
  • SP-561 - Rodovia Jarbas de Moraes
  • SP-563 - Rodovia Dr. Euphly Jalles
  • Vicinal Dr. Victório Prandi
  • Vicinal "Osório Donda" (Estrada do Café)
  • Vicinal Estrada da Uva

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

* NARDOQUE, Sedeval. Apropriação capitalista da terra e a formação da pequena propriedade em Jales-SP. Dissertação (Mestrado em Geografia), FCT/UNESP - Presidente Prudente, 2002.

* NARDOQUE, Sedeval. Renda da terra e produção do espaço urbano em Jales-SP. Tese (Doutorado em Geografia), IGCE/UNESP - Rio Claro, 2007.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. a b «Distância entre Jales e o centro da cidade de São Paulo». Google Maps. Consultado em 22 de junho de 2012 
  3. a b c d «Censo Populacional 2010 - IBGE» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 10 de agosto de 2011 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 21 de dezembro de 2011 
  6. «Taxa de Alfabetização 2010» (zip). Censo 2010 IBGE: Indicadores Sociais Municipais. IBGE.gov.br. Consultado em 23 de janeiro de 2012 
  7. «Jales em Números». Prefeitura do Município de Jales. Consultado em 22 de junho de 2012 
  8. «Mapa Hidrográfico de Jales» (PDF). Prefeitura do Município de Jales. Consultado em 22 de junho de 2012 
  9. «Clima dos Municípios Paulistas: Jales». CEPAGRI 
  10. «ETEC Jales». Consultado em 9 de julho de 2012 
  11. «FATEC Jales». Consultado em 9 de julho de 2012 
  12. «UAB Jales». Universidade Aberta do Brasil. Consultado em 9 de julho de 2012 
  13. «Instituto Educacional Profissionalizante de Jales». Consultado em 9 de julho de 2012 
  14. «Centro Universitário de Jales». Consultado em 9 de julho de 2012 
  15. a b «Santa Casa de Jales». Santa Casa de Jales. Consultado em 21 de julho de 2012 
  16. «Hospital de Câncer de Jales (Unidade III de Barretos)». Hospital de Câncer de Barretos. Consultado em 21 de julho de 2012 
  17. «SAMU Jales». Prefeitura de Jales. Consultado em 21 de julho de 2012 
  18. 26 de setembro de 2013 http://www.jales.sp.gov.br/noticia/unidade-de-pericia-medica-e-inaugurada-em-jales.html. Consultado em 9 de outubro de 2014  Em falta ou vazio |título= (ajuda)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]