Kitsune

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Esta obake karuta (carta de monstro) do século XIX apresenta uma kitsune. O jogo envolve combinar fatos do folclore as imagens de criaturas específicas.

Kitsune (? AFI[kitsɯne]) (Loudspeaker.svg? Pronuncia) é a palavra japonesa para raposa. Raposas são um assunto comum no Folclore Japonês; kitsune refere-se geralmente neste contexto. Histórias as descrevem como seres inteligentes e com capacidades mágicas que aumentam com a sua idade e sabedoria. Entre estes poderes mágicos, tem a habilidade de assumir a forma humana — normalmente aparecem na forma de uma mulher bonita, uma jovem ou uma velha. Enquanto algumas histórias falam que as kitsunes usam essa habilidade apenas para enganar as pessoas — como muitas vezes fazem em folclores — outras histórias as retratam como guardiãs fiéis, amigas, amantes e esposas. Além da habilidade de assumir a forma humana, elas possuem os poderes de possessão, conseguem gerar fogo das suas caudas e da sua boca, o poder de aparecer nos sonhos e o de criar ilusões.

Raposas e seres humanos tem vivido próximos desde o Japão antigo; esta convivência deu origem a lendas sobre essas criaturas. Kitsunes são associadas muitas vezes com a figura do Deus Xintoísta, Inari — Deus do arroz, da fertilidade, da agricultura, das raposas e da industria — , servindo como suas mensageiras. Esta função reforçou o significado sobrenatural da raposa. A qualidade física mais notável da Kitsune são suas caudas, podendo chegar em nove. Quanto mais caudas uma kitsune tiver, mais velha, sábia e poderosa ela é. Histórias dizem que leva 100 anos para uma cauda aparecer. Devido a seu poder e influência, pessoas fazem oferendas para elas como se fossem divindades.

Origens[editar | editar código-fonte]

Muito dos mitos de raposas do Japão podem ser vistos no folclore da China, Coreia ou Índia. Esses mitos populares contam histórias de raposas que podem ter até nove caudas. Várias dessas histórias foram gravadas no Konjaku Monogatari, uma coleção do século XI de narrativas Chinesas, Indianas e Japonesas.

Há um debate sobre a origem dos mitos das Kitsunes, não sabem se foi inteiramente de fontes estrangeiras ou parte do folclore japonês, que datam a partir do século V O folclorista japonês Kiyoshi Nozaki argumenta que os japoneses veem positivamente as kitsunes desde o quarto século d.C.; as únicas coisas importadas da China ou da Coreia eram os atributos negativos em relação a elas. Ele afirma que, de acordo com um livro de registros do século XVI, chamado Nihon Ryakki, as raposas e o ser humano viveram muito próximos no Japão antigo, e afirma que as lendas indígenas sobre as criaturas se formaram em consequência desse convívio. A erudita Karen Smyers aponta que a ideia da raposa como sedutora e a conexão dos mitos de raposas ao Budismo foram introduzidas no folclore japonês com as histórias chinesas similares, mas diz que algumas histórias de kitsunes contêm elementos únicos do Japão.

Características[editar | editar código-fonte]

Estátua de uma Kitsune em um Templo

Acredita-se que as Kitsunes possuem uma inteligência superior, vida longa e poderes mágicos. Elas são um tipo de yōkai, ou de entidade espiritual, a palavra kitsune é muitas vezes traduzida como espírito da raposa. No entanto, isso não significa que elas são fantasmas, ou que sejam diferentes de raposas normais. Porque a palavra espírito é usada para refletir um estado de conhecimento ou Iluminismo.

Existem duas classificações comuns de kitsune. A zenko (善狐? literalmente, raposas do bem), que são raposas benevolentes, celestiais associadas ao Deus Inari; elas são chamadas às vezes simplesmente de raposas de Inari. Por outro lado, as yako (野狐? literalmente, raposas maldosas) tendem a ser mais maliciosas. Tradições locais costumam adicionar mais tipos. Por exemplo, ninko é um espírito de raposa invisível que seres humanos só podem percebe-los quando são possuídos. Outra classificação tradicional é definir a kitsune em uma dos treze tipos existentes, pelas habilidades sobrenaturais que a kitsune possui.

Fisicamente, kitsune são lembradas por ter nove caudas. Em geral, um maior número de caudas indica uma raposa mais velha e mais poderosa; nos folclores dizem que uma cauda crescerá após que a raposa viver 100 anos. Um, cinco, sete e nove caudas são os números mais comuns nas histórias. Quando uma kitsune recebe sua nona cauda, sua pele torna-se prateada ou dourada. Estas Kyūbi no Kitsune (九尾の狐? raposa de nove caudas) ganham a capacidade de ver e ouvir qualquer coisa em qualquer lugar no mundo também adquirem sabedoria infinita (Onisciência).

Poderes[editar | editar código-fonte]

A kitsune é, sem duvida, um dos youkais mais poderosos da Mitologia Japonesa. Uma das suas habilidades mais comuns é a de mudar de forma. Geralmente a de uma jovem e bela mulher (independentemente do género a da idade atual da raposa) geralmente com olhos pouco puxados, mas há histórias e relatos de kitsunes assumindo outras formas, como um velho, uma criança, ou formas ainda mais fantásticas, como uma árvore de altura incrível ou uma segunda lua no céu.

Outras características sobrenaturais normalmente atribuída ao kitsune incluem bocas ou caudas que gerem fogo ou relâmpago(conhecido como kitsune-bi, literalmente, a cauda da raposa),a kitsune também tem o poder de se curar,e nunca ficar doente,a manifestação voluntária nos sonhos dos outros, vôo, invisibilidade, e a criação de ilusões tão complicadas que é quase indistinguível da realidade. Alguns contos falam de kitsune com poderes ainda maiores, capazes de manipular o tempo e o espaço, e levar pessoas à loucura. Outras têm características que lembram vampiros ou súcubos e se alimentam da vida ou o espírito dos seres humanos, geralmente através do contato sexual.

Pessoas que são filhos(as) de (geralmente porque o pai delas acaba se casando com uma kitsune em forma humana sem querer) não vão ser necessariamente Kitsunes, mas podem herdar os poderes sobrenaturais destas. Apesar destes poderes, kitsunes tem uma fraqueza em particular: assim como os gatos, algumas kitsunes tem um medo patológico de cães, e uma vez que eles aparecem, as kitsunes saem correndo.

Tipos de Kitsune[editar | editar código-fonte]

  • Bakemono-Kitsune: É uma kitsune má e espectral (como um fantasma), muito parecido com Reiko, Kiko e Koryo.
  • Genko: Kitsune preta, normalmente é visto como um bom presságio.
  • Kiko: Espírito de uma kitsune.
  • Kitsune: Termo geral para a palavra "raposa", kitsunes podem ser retratadas tanto como boas ou más.
  • Kitsune-Bi: Kitsunes com o poder de invocar chamas com a boca e com sua cauda.
  • Koryo: Kitsune amaldiçoada.
  • Kuko: Kitsune do elemento Ar. Kukos são kitsunes muito más, consideradas do mesmo nível do Tengu, Goblin japonês.
  • Kyuubi: São as kitsunes que alcançaram os 900 anos e tem 9 caudas, elas ganham a habilidade de poder ver e ouvir tudo em qualquer lugar no mundo, também adquirem sabedoria infinita, a onisciência.
  • Nogitsune: Kitsunes Selvagens, normalmente é usada para diferenciar entre as Boas e Más Kitsunes. Assim eles usam o termo "Kitsune", para as Boas Kitsunes e "Nogitsune" para todas aquelas que enganam pessoas e são consideradas más. As Nogitsunes não são realmente más, apenas gostam de enganar as pessoas;
  • Reiko: Fantasma de uma kitsune, não é uma kitsune má, mas definitivamente é perversa.
  • Shakko: Kitsune vermelha, podem ser consideradas tanto boas como más.
  • Shouzaa: Espírito Seiryu, supervisor das raposas.
  • Tenko: Kitsune celestial elite das kitsunes, são aquelas que alcançaram os 1.000 anos de idade (normalmente nessa idade as kitsunes já possuem 9 caudas e sua pelagem muda de cor para prata ou dourada), mas algumas são consideradas tão más como a Tamamo-no-Mae ou benevolentes e sábias como as mensageiras do Deus Inari (Não Necessariamente são mensageiras dele).
  • Yako/Yakan: yako (野狐? literalmente, raposas maldosas)


Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Mitologia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.